15 de outubro de 2009

Tudo ilegal


A Entidade Reguladora da Comunicação (ERC) lá se pronunciou sobre a decisão de cancelamento do "Jornal da Manuela".

A ERC demorou 41 dias para chegar à conclusão que houve interferência da administração da TVI na esfera de competências da Direcção de informação, sendo que tal interferência consubstancia um acto ilegal.

Mais, a ERC considera que a administração da TVI misturou gestão empresarial e matéria editorial, e que tal facto assume especial gravidade por ter ocorrido em pleno período eleitoral.

Mas o "puxão de orelhas" não se fica por aqui.

A ERC deixa bem claro que o director de Informação da TVI, João Maia Abreu, tinha o direito de recusar o cumprimento desta ordem ilegal.

Pois, tinha ele e tem todo aquele que receber uma ordem ilegal!

Perguntinhas de algibeira:

Consequências desta decisão?

Porque é que a ERC só agora, quando está tudo posto em sossego, chegou a estas conclusões?

Ou só agora é que as divulgou?

O respeitinho é muito lindo, não é? Sem qualquer insinuação....

Mas será que era mesmo necessário ser-se assim tão "isento"?





2 comentários:

  1. A mesma ERC que, em Maio deste ano, afirmou depois de queixas referentes a peças jornalísticas emitidas no "Jornal Nacional-6ª" (conduzido por Manuela Moura Guedes): a ERC "reprova a actuação da TVI", e insta a estação a cumprir "de forma mais rigorosa o dever de rigor e isenção jornalísticas".
    O regulador considera que a TVI deve "demarcar 'claramente os factos da opinião'", como determina o Estatuto do Jornalista.
    DEVANEIOS A OCIDENTE À BEIRA MAR PLANTADO

    ResponderEliminar
  2. Sublinho que são demasiado....como dizer? "Isentos", é isso.

    ResponderEliminar