19 de outubro de 2018

Rir é o melhor remédio



OS CORNOS ?!?!? 

OS CORNOS NÃO EXISTEM.... 

ISSO SÃO COISAS QUE VOS METERAM NA CABEÇA...

======================

MÃE SOLTEIRA 

UMA MÃE SOLTEIRA É IGUAL A QUALQUER OUTRA MÃE. 

SÓ QUE COM OS TOMATES QUE O PAI NÃO TEVE.

=======================

INFORMAÇÃO

A IGREJA CATÓLICA INFORMA QUE TODAS AS "AVENTURAS EXTRA CONJUGAIS" COMETIDAS POR HOMENS COM MAIS DE 65 ANOS, DEIXAM DE SER PECADO, E PASSARÃO A SER PEQUENOS MILAGRES.

=======================

A MÁXIMA SOBRE COLESTEROL

" DEPOIS DOS 50 ANOS  A ÚNICA COISA QUE O MÉDICO DEIXA UM HOMEM COMER COM GORDURA É A SUA PRÓPRIA MULHER ..."

==========================

LA VIE EN ROSE 


BOM FIM-DE-SEMANA!

18 de outubro de 2018

O Brasil (PT) não percebeu o que se passou nos Estados Unidos (Hillary Clinton)


Como é que se explica que o "Trump tropical" consiga, de acordo com as últimas sondagens, ultrapassar já os 50% nas intenções de voto?
Da mesma forma que se explica, em boa parte, a eleição de Trump, é a resposta mais directa e mais simples.
Bolsonaro, com o seu discurso musculado, nacionalista, consegue surfar a onda que se vai estendendo um pouco como um terrível tsunami por vários pontos do Planeta.
Para lhe fazer frente era preciso alguém que se apresentasse com um discurso de ruptura com o passado recente, afastado das elites que cansaram, desiludiram e revoltaram os eleitores.
O oposto de Haddad.
Que não só não corporiza esta ruptura, cai no erro primário de se mostrar colado às figuras mais simbólicas da desilusão e revolta dos cidadãos brasileiros.
As visitas a Lula só vieram acentuar a imagem negativa, de marioneta ao seu serviço, que vinha colada a Haddad e que os apoiantes de Bolsonaro exploraram ao máximo.
E Bolsonaro, que se recusa debater ideias, que se esconde atrás da imagem de impoluto que foi criando e espalhando, vai crescendo nas intenções de voto à custa da queda em simultâneo de Haddad.
Muito mais que mérito de Bolsonaro, há aqui muito demérito de Haddad e do PT.
O Brasil (PT) não percebeu o que se passou nos Estados Unidos (Hillary Clinton).
E vai assistir à eleição de um populista porque não soube encontrar uma figura forte, de ruptura, que lhe fizesse frente. 

Intemporais (137)

16 de outubro de 2018

Furacão Leslie - mais uma negação dos negacionistas


O furacão Leslie atingiu Portugal com extrema violência, em especial a zona Centro do País.
Ainda há largos milhares de casas sem electricidade e a EDP não consegue prever com exactidão quando as ligações serão restabelecidas.
Destruição de infra-estruturas, um enorme susto, pessoas feridas, um cenário que Macau infelizmente conhece muito bem.
Macau e tantos outros locais no Planeta, cada vez mais a sentir os efeitos das alterações climáticas, a revolta da Natureza farta de ser desrespeitada e martirizada pelo Homem.
Portugal não conhecia um fenómeno semelhante ao Leslie desde 1842, ano em que um brutal furação praticamente destruiu a Ilha da Madeira.
Quase um século sem se ter conhecimento destes fenómenos extremos.
Que os cientistas nos vão alertando se vão fazer sentir cada vez com maior frequência.
Os cientistas, aqueles que estudam os fenómenos atmosféricos, as alterações climáticas, as suas causas e consequências.
Do outro lado da barricada, os ignorantes, os negacionistas, uma classe política irresponsável e obtusa que sobrepõe os interesses económicos ao futuro do Planeta.
Com Donald Trump, o entusiasta do carvão, como porta-estandarte da bandeira da estupidez.
O furacão Leslie, que deixou Portugal em estado de sítio, é só mais um exemplo das alterações climáticas que a classe política negacionista recusa ver.
Resta-nos a esperança de ver desaparecer essa classe política, reduzida à sua profunda insignificância, enquanto o Planeta sobrevive às profundas feridas que lhe vão sendo infligidas. 
 

O ciclista


15 de outubro de 2018

Coisas de casal



Coisas de Casal

AMOR ' I ' 

- Querida, vamos ter que começar a economizar.
- Tudo bem... Mas como?
 
- Aprenda a cozinhar e mande a empregada embora.
 
- Tá legal... Então aprenda a fazer amor e pode dispensar o motorista.
 

(NOSSA!!!! ESSA FOI A GOTA QUE FALTAVA....) 


Amor ' II '
 

O cara pergunta para a mulher:
 
- Querida, quando eu morrer, você vai chorar muito?
 
- Claro querido.. Você sabe que eu choro por qualquer besteira...
 

(MISERICÓRDIA.....!)
 

Amor ' III '
 

Na cama, o marido se vira para a jovem esposa e pergunta:
 
- Querida, me diga que sou o primeiro homem da sua vida.
 
Ela olha para o babaca e responde:
 
- Pode ser... Sua cara não me é estranha...
 

(Santo Anjo do Senhor.....)
 

Amor ' IV '
 - A melhor

Um casal vinha por uma estrada do interior, sem dizer uma palavra.
 
Uma discussão anterior havia levado a uma briga, e nenhum dos dois queria dar o braço a torcer. Ao passarem por uma fazenda em que havia mulas e porcos, o marido perguntou, sarcástico:
- Parentes seus?
 
- Sim, respondeu ela. Cunhados e sogra...
 

(Essa pode apostar que não é loira...!!!!)
 

Amor ' V ' 


Marido pergunta pra mulher:
 
- Vamos tentar uma posição diferente essa noite?
 
A mulher responde:
 
- Boa idéia, você fica aqui em pé na pia lavando a louça e eu sento no sofá!!!!!
 

(Essa doeu.)
 

Amor ' VI'
 (Adoro essa!)

O marido decide mudar de atitude. Chega em casa todo machão e ordena:
- Eu quero que você prepare uma refeição dos deuses para o jantar e quando eu terminar espero uma sobremesa divina. Depois do jantar você vai me trazer um whisky e preparar um banho porque eu preciso relaxar..
E tem mais: Quando eu terminar o banho, adivinha quem vai me vestir e me pentear?
- O homem da funerária... Respondeu placidamente a esposa...
 

(essa jamais será escrava de homem...)
 

Amor ' VII'
 

Querida, o que você prefere? Um homem bonito ou inteligente?
- Nem um, nem outro.
 
- Você sabe que eu só gosto de você.
 

(kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk)
 

Amor ' VIII '
 

Marido e mulher estão tomando cerveja num barzinho. Ele vira pra ela e diz:
 
- Você está vendo aquela mulher lá no balcão, tomando whisky sozinha?
 
- Pois eu me separei dela faz sete anos! Depois disso ela nunca mais parou de beber..
 
A mulher responde:
 
- Não diga bobagens. Ninguém consegue comemorar durante tanto tempo assim!


(Sem comentários.....)


BOA SEMANA!

12 de outubro de 2018

Amor é partilha


O casal de velhinhos entra num daqueles restaurantezinhos foleiros, pede um misto frio e uma Coca-cola.
Assim que são servidos, o velhinho pede mais um copo e divide a Coca-cola, entrega a metade do misto-frio para a velhinha e começa a comer, enquanto ela fica olhando.
Penalizado, ao vê-los dividir um lanche tão pequeno, o empregado faz um outro sanduíche e entrega para a velhinha, dizendo:
– Esse é por conta da casa!
O velhinho agradece e explica, orgulhoso:
– Somos casados há sessenta anos e sempre dividimos tudo o que possuímos, meio a meio.
– Muito bacana! – elogia o empregado. 
E, dirigindo-se à velhinha:
 – A senhora não vai comer seu lanche?
– Sim, daqui a pouco! Agora é a vez dele usar a dentadura!

BOM FIM-DE-SEMANA!

11 de outubro de 2018

Vamos banir a utilização do plástico ou ser hipócritas?


Quando ouvi dizer logo de manhã na Rádio Macau que a empresa do grande “m” tinha iniciado uma campanha para banir o plástico nos seus restaurantes, começando por encorajar os seus clientes a não utilizarem a palhinha de plástico, às segundas-feiras!!, pensei que ainda devia estar ensonado.
E que, por isso mesmo, estava a fazer uma grande confusão.
Ainda assim, porque sou curioso, fui investigar afinal o que é que se passava.
E fiquei siderado com a campanha que os grandes conglomerados de fast food, não é só o grande “m” (McDonald’s), é também a Starbucks, estão a levar a cabo.
O combate à utilização do plástico está aí.
E está aí para ficar.
Lembram-se do Toyota? Que veio para ficar e ficou mesmo? É mais ou menos a mesma coisa.
Mais para menos…
Porque este combate sem quartel começa, a título experimental, com as terríveis palhinhas.
E só às segundas-feiras.
Os outros produtos (copos, garfos, facas, garrafas, sacos, caixas,…) permanecem intocados todos os dias da semana.
E as palhinhas, lá mais para a frente, depois dos testes, até podem voltar ao seu uso diário normal sem aquela perturbação das segundas-feiras.
Queremos proteger o Planeta, o único que temos, onde vivemos, que vamos deixar para os nossos filhos, e banir a utilização do plástico de uma vez por todas, ou vamos todos ser hipócritas?
Esta é a grande decisão a tomar.
Porque encorajar os clientes a não utilizar as palhinhas, às segundas-feiras, não é o primeiro passo de uma grande caminhada.
É apenas uma verdadeira e hipócrita palhaçada.

Intemporais (136)

10 de outubro de 2018

Já ninguém acredita na Justiça?



Tenho procurado evitar o tema Cristiano Ronaldo e a suposta violação ocorrida em Las Vegas há nove anos.
Mas, como se tornou de repente mais importante que tudo o resto que se passa à nossa volta, vou também eu perorar um bocado acerca do tema.
Começando com a pergunta que dá título ao post – já ninguém acredita na Justiça?
Bem sei que aquela figura vendada, de balança numa mão e espada na outra, tem sofrido tratos de polé.
Mas será que está tão desacreditada que ninguém mais acredita nela?
A julgar pelo que se tem ouvido acerca de Cristiano Ronaldo e Kathryn Mayorga parece que não.
Entre os que juram fidelidade a Cristiano Ronaldo, e tratam Kathryn Mayorga como prostituta, ou próximo disso, e os que comparam o incomparável (Cristiano Ronaldo e Tomás Taveira nos anos oitenta), há de tudo um pouco.
Só não há quem diga o óbvio – só Cristiano Ronaldo e Kathryn Mayorga sabem exactamente o que se passou naquela luxuosa suite em Las Vegas (até agora julgo que ainda não são conhecidas quaisquer testemunhas neste caso).
E os dois intervenientes, aparentemente os únicos conhecedores do que efectivamente aconteceu, apresentam publicamente versões diametralmente opostas.
Que tal deixar agora as autoridades de investigação criminal e os tribunais fazerem o seu trabalho e dar um bocado de sossego aos envolvidos nesta rábula sórdida?
Envolvidos que, é preciso que se perceba, vão muito para além de Cristiano Ronaldo e Kathryn Mayorga.

A melhor descrição de PARAÍSO e INFERNO





9 de outubro de 2018

As eleições do voto contra


O Brasil votou.
E, como era fácil prever, votou contra.
Estas eleições serão para sempre recordadas como as eleições do voto contra.
Muito mais do que sufragar um programa eleitoral, uma ideia para o País, os brasileiros votaram contra alguém.
Os apoiantes do grande vencedor, Jair Bolsonaro, votaram contra os desmandos do PT, a herança de Lula e Dilma Rousseff, a corrupção, o nepotismo, o caciquismo, que associavam ao PT e aos seus representantes.
Os apoiantes de Fernando Haddad votaram contra Jair Bolsonaro e as suas ideias vistas como racistas, xenófobas, homofóbicas.
E ambos votaram contra Michel Temer, que se terá tornado em muito pouco tempo o mais impopular Presidente do Brasil democrático.
Estas eleições brasileiras, se se podem inserir numa vaga nacionalista e populista que se vem propagando um pouco por todo o Mundo, com exemplos de todos conhecidos e fulanizados nos Estados Unidos e em vários países da Europa, podem marcar uma viragem no sentido de voto dos eleitores a nível mundial.
Porque o paradigma do "pode ser corrupto mas faz obra" pode ter conhecido o seu estertor neste acto eleitoral no Brasil.
Os povos estão fartos do abuso do poder, do aproveitamento do poder político em proveito próprio.
E votam contra quem associam a estas práticas.
Confiando mais em alguém que, por muitos defeitos que apresente, e que sejam publicamente reconhecidos, se apresente de "folha limpa", para usar uma expressão tipicamente brasileira.
A segunda volta, o segundo turno (mais uma expressão tipicamente brasileira), deverão consagrar Jair Bolsonaro como novo Presidente do Brasil.
Um Jair Bolsonaro que terá agora que aparecer mais do que apareceu nesta campanha eleitoral, mostrar-se mais do que se mostrou nesta campanha eleitoral, mas que não trará nada de novo em relação ao que já mostrou e que pelos vistos seduziu os brasileiros.
Ele é o candidato que não está associado a fenómenos relacionados com abusos de poder, o candidato que personifica, do ponto de vista dos eleitores, o combate à corrupção.
E é isso que agora interessa aos eleitores brasileiros.

Pensantes e não pensantes (Anselmo Borges)


Imersos numa crise sem precedentes da Igreja Católica, que está longe de terminar, retomo, na substância e com a devida vénia, um texto que escrevi para o livro “Portugal Católico. A beleza na diversidade”.

1. Quando cheguei à Universidade, admirava-me com o espanto de estudantes e até de professores por causa do meu pensar interrogativo no que se refere à religião. No entanto, I. Kant tinha razão ao escrever que a religião, apesar da sua majestade, não pode ficar imune à crítica. Só uma Igreja autocrítica e que acolhe a crítica da sua realidade tantas vezes tenebrosa pode criticar as infâmias do mundo.

Julgo que continua em Portugal a ideia de que o católico na Igreja está infectado por uma fé dogmática, imóvel e incapaz de pensamento aberto e crítico. A pergunta é: Quem assim pensa estará enganado? Infelizmente, parece-me que não. De facto, quando se pensa nas feridas deixadas pela Inquisição, que tolheu a abertura do pensar, e num clero frequentemente inculto, que se deixou ultrapassar pelo mundo moderno — ouça-se as homilias de grande parte dos padres, impreparadas, inúteis ou mesmo prejudiciais —, fica-se com a convicção de que a Igreja se imobilizou num mundo do dogma repetitivo de uma doutrina que já não é aliciante para a vida e que, pelo contrário, transformou o Evangelho, notícia boa e felicitante, em Disangelho, notícia infeliz e de desgraça, para utilizar a palavra de Nietzsche. Drama maior: a modernidade acabou por ter de impor à Igreja oficial o que é património e herança do Evangelho: os direitos humanos, a liberdade, a igualdade, a separação da Igreja e do Estado.

No entanto, a Primeira Carta de Pedro manda “dar a razão da fé e da esperança”. E é M. Heidegger que tinha razão, ao dizer que “o perguntar é a piedade do pensamento”. Job — está na Bíblia — atreveu-se a fazer perguntas de protesto a Deus e Deus louvou-o por isso. Jesus morreu a rezar, com uma pergunta que atravessa os séculos: “Meu Deus, meu Deus, porque é que me abandonaste?” E é preciso aceitar que há perguntas sem resposta ou para as quais o crente não tem resposta, como reconhece o Papa Francisco. 

O ser humano é constitutivamente o ser da pergunta e, de pergunta em pergunta, chega ao infinito, perguntando ao Infinito pelo Infinito, isto é, por Deus. É aqui que encontra fundamento a dignidade humana. Finitos e mortais, levamos connosco a capacidade de perguntar ao Infinito pelo Infinito e a sua existência, independentemente da resposta que se dê à pergunta. Isso significa que temos algo de infinito em nós, precisamente essa capacidade. Finitos, somos da ordem do infinito. Por isso, temos dignidade e somos fim e não meio, como é próprio do infinito: para lá do infinito não há mais nada. Lá está Ernst Bloch, o ateu religioso, na sua pedra tumular: “Denken heisst überschreiten” — “Pensar significa transcender”.

2. O Evangelho explicita os dois princípios que devem presidir à reforma que se impõe na Igreja, ao “definir” Deus como Agapê, Amor incondicional, e, logo no início do Evangelho segundo São João, ao dizer que no princípio era o Logos (Verbo, Palavra, Razão, Sentido), o Logos estava em Deus e o Logos era Deus e tudo foi criado pelo Logos. Os dois princípios que têm de animar os católicos, começando por aqueles a quem foi entregue a missão de presidir à Igreja, comunidade de comunidades espalhadas pelo mundo todo, são, portanto: o Amor, a Bondade, e a Razão, a Inteligência. A bondade sem inteligência não abre caminhos novos e pode causar imensos estragos irreparáveis; a inteligência sem a bondade pode tornar-se cruel e fazer um sem número de vítimas.

É neste fundo que se percebe claramente a urgência impreterível da renovação da teologia. O jesuíta Jorge Costadoat chamou a atenção para esta necessidade, ao constatar que talvez nunca como hoje, desde os inícios do cristianismo, a Igreja precise tanto de se pensar a si própria teologicamente no seu respectivo mundo. Uma tarefa gigantesca. De facto, o que acontece é que a teologia não tem ajudado a Igreja na sua entrada numa nova época, o que deriva também das sucessivas condenações de teólogos, de tal modo que a teologia que os ambientes eclesiásticos consideram a melhor é realmente “muitas vezes a pior”. Daí, o fosso entre a Igreja “oficial” e o mundo e mesmo o comum dos baptizados, a ponto de “não se saber exactamente quem tem real autoridade para orientar os outros”: o poder formal sabe-se quem o tem, mas o problema é a autoridade, inexistente, para orientar. “O que se constata é que a distância da Igreja em relação à cultura — a cultura predominante e as diversas culturas —, é crescente. A actual configuração histórica e cultural da Igreja não suporta tantas e tão aceleradas mudanças. Este foi já o diagnóstico do Concílio Vaticano II há 50 anos. Hoje, a tensão é muito maior”.

Uma coisa sabemos: primeiro, é a necessidade da conversão ao Deus de Jesus, ao amor e à misericórdia, que o Papa Francisco encarna. Esta é a direcção correcta e o rumo certo e necessário. “Mas, continua Costadoat, a caridade cristã acerta verdadeiramente quando exige e depende de uma articulação da fé e da razão. Uma caridade infantil e piedosa nunca deve ser menosprezada, mas também não deve ser mistificada. A caridade de que hoje precisamos requer ser pensada e reflectida em todos os planos da vida humana, e a nível político e planetário”. E isso exige uma teologia que não seja mera teologia de teologia, isto é, comentário de comentários, no quadro de uma ortodoxia empacotada e repetida ad nauseam de modo caduco, estéril e, por isso, prejudicial. Impõe-se a necessidade de uma teologia viva e que “tenha a coragem que tem o próprio Francisco de tentar e de equivocar-se”. A teologia com uma tarefa pendente tem de ser “teologia que se confronta com hipóteses e interpretações de uma realidade cada vez mais difícil de compreender; que se situe historicamente e pense a sua missão numa cultura em transformação variada, muitas vezes disparatada, e incessante. O que se requer é uma conversão teológica de 180 graus. A teologia ocupou-se da revelação de Deus no passado; a teologia de que agora se precisa deveria concentrar-se na fala de Cristo no presente. Sem uma teologia deste tipo, que atenda também à pluralidade cultural, a proposta evangelizadora está a naufragar”.

O Papa Francisco tem dado o exemplo. Não só não condenou teólogos como pede pensamento teológico novo na liberdade de pensar e de expressão, tendo ele próprio avançado com dois textos essenciais, que farão história: a Laudato si’ sobre a salvaguarda da criação, a humanidade no cosmos, e a Amoris laetitia, uma visão nova sobre a sexualidade, o casamento e a família.

3. A Igreja tem de dialogar com humildade e sem medo com as ciências, com todos, incluindo os agnósticos e os ateus. Diálogo, como diz a etimologia, é o logos comunicante, a razão comunicativa. Homem de diálogo, o cardeal jesuíta Carlo Martini, que dizia que a Igreja anda atrasada duzentos anos, criou em Milão a Cátedra dos Não-Crentes e, reportando-se a um pensamento de Norberto Bobbio, dizia: “o que me interessa é a diferença entre pensantes e não pensantes. Quero que todos vós sejais pensantes. Depois, escutarei as razões de quem crê e as de quem não crê”.

in DN, 06.10. 2018

8 de outubro de 2018

Como fazer um homem feliz ? E uma mulher feliz?



*COMO FAZER UM HOMEM FELIZ*: 

1. Faça comida; 

2. Durma com ele; 

3. Deixe-o em paz. 

*COMO FAZER UMA MULHER FELIZ*: 

1. Seja Amigo 

2. Companheiro 

3. Amante 

4. Bonito 

5. Charmoso 

6. Bom na cozinha 

7. Atlético 

8. Electricista 

9. Canalizador 

10. Mecânico 

11. Carpinteiro 

12. Decorador 

13. Estilista 

15. Poeta 

16. Psicólogo 

17. Exterminador de insectos 

18. Psiquiatra 

19. Bem-humorado 

20. Um bom ouvinte 

21. Organizador 

22. Um bom pai 

23. Cheiroso 

24. Empático 

25. Culto 

26. Sensível 

27. Atento 

28. Sedutor 

29. Inteligente 

30. Engraçado 

31. Criativo 

32. Quente 

33. Forte 

34. Compreensivo 

35. Tolerante 

36. Prudente 

37. Ambicioso 

38. Capaz 

39. Corajoso 

40. Determinado 

41. Verdadeiro 

42. Seguro 

43. Topa tudo 

*NÃO ESQUEÇA DE*: 

44. Elogiar frequentemente 

45. Dar presentes 

46. Ser honesto

47. Abrir a porta do carro 

48. Não a stressar 

49. Não olhar para outras mulheres. 

51. Levantar a tampa da privada. 

52. Ser professor de informática. 

53. Não ressonar 

54. Não enxugar os pés com a toalha. 

*E TAMBÉM*: 

55. Nunca esqueça: 

* o aniversário dela 

* o aniversário de namoro 

* o aniversário do primeiro beijo 

* o aniversário da primeira que vez que se viram 

* o aniversário da mãe dela* 

* o dia dos namorados e ser fiel * 

É SIMPLES ASSIM*... 


BOA SEMANA! 

5 de outubro de 2018

Adão e Eva


Quando Deus criou Adão e Eva, disse aos dois:

- Tenho dois presentes para distribuir entre vocês: Um é para fazer xixi em pé e…

Adão, ansiosíssimo, interrompeu, gritando:

- Eu! Eu! Eu! Eu! 
Eu quero, por favor… 
Senhor, por favor, por favor. 
Sim?
Facilitaria a vida substancialmente!
Por favor! Por favor! Por favor!

Eva concordou e disse que essas coisas não tinham importância para ela.

Então, Deus presenteou Adão.

Adão ficou maravilhado. 
Gritava de alegria, corria pelo jardim do Éden
fazendo xixi em todas as árvores.
Correu pela praia fazendo desenhos com seu xixi na areia.
Brincava de chafariz. 
Acendia uma fogueirinha e brincava de bombeiro…

Deus e Eva contemplavam o homem louco de felicidade, até que Eva perguntou a Deus:

- E… Qual é o outro presente?

Deus respondeu:

Cérebro, Eva … O cérebro é seu!

BOM FIM-DE-SEMANA!