18 de janeiro de 2010

Vermelhão


O Braga e o Benfica ganharam e alargaram para seis pontos a vantagem sobre o Porto.
Em Coimbra, a Académica de André Villas-Boas não resistiu ao Braga de Domingos (2-0).
Os bracarenses não desarmam, defendem com grande competência, formam uma equipa muito sólida, e continuam no topo da tabela classificativa.
Grande jogo na próxima jornada em Braga (Braga-Sporting) para mais um forte teste aos arsenalistas.

Na Madeira, o Benfica voltou às goleadas (5-0), com alguma polémica à mistura (duas expulsões no Marítimo).
Nada de novo, portanto.

Inevitável o recorrente assunto arbitragens.
A Comissão de Arbitragem da Liga continua com uma atitude insensata (João Pinto dixit).
Numa fase da competição em que seria de todo aconselhável evitar polémicas, nomear João Ferreira para arbitrar o jogo na Madeira (João Ferreira é o árbitro do túnel da Luz) e Lucílio Baptista (o eterno "complicador") para Coimbra, tinha tudo para dar problemas.
E deu.
Queixas da Académica, queixas do Marítimo.
Com ou sem razão, seriam perfeitamente evitáveis se a Comissão de Arbitragem tivesse uma atitude mais prudente e menos arrogante.
No balanço à jornada, fica a confirmação de um percurso excelente do Braga e do Benfica, a ascenção do Sporting, o Belenenses a afundar-se cada vez mais na tabela e o Marítimo que perdeu o encantamento que tinha conseguido com a entrada de Van der Gaag.
E, claro, a escorregadela, que poderá revelar-se fatal, do Porto.
Na próxima jornada, os portistas deslocam-se à Madeira para defrontar o Nacional, privados de Hulk, Sapunaru, Raúl Meireles e Bruno Alves.
Era bom que não continuassem as dúvidas e as polémicas.
Mas não acredito.



Sem comentários:

Enviar um comentário