11 de janeiro de 2010

Análise à primeira volta da Liga Sagres


Quando falta disputar um jogo (Belenenses-Setúbal) para que encerre a primeira volta (o chamado "campeonato de Inverno") da Liga Sagres, é já possível fazer um balanço à metade já jogada.
Se olharmos para os quadros comparativos aqui http://www.lpfp.pt/Liga_sagres/Pages/Jornada.aspx?epoca=20082009&jornada=15 , salta imediatamente à vista um crescimento brutal do Sporting de Braga, e também do Benfica, face à época passada.
O Braga tem agora mais 13 pontos em relação ao mesmo número de jogos realizados na época passada, e o Benfica mais 6.
Curiosamente, num inusitado 3º lugar, o Porto tem mais um ponto do que os que contabilizava na época passada, quando então liderava a Liga.
Ou seja, ainda que o Porto tenha crescido (pouquinho...), o salto que Benfica e Braga protagonizaram deixou os portistas em plano secundário.
Os bracarenses são o grande destaque da Liga, ao passo que os benfiquistas são os mais entusiasmantes e que melhor futebol praticam.
Por oposição, o Sporting, que contabiliza menos 6 pontos que na época passada, poderá considerar-se a grande desilusão.
Sporting que estará definitivamente afastado da luta pelo título, algo que os próprios responsáveis sportinguistas parecem, tacitamente, reconhecer.
Só assim se poderá compreender a completa inversão da política de contenção financeira que vinha sendo seguida nos últimos anos, e a contratação de jogadores que, para além de implicarem um esforço económico muito significativo, só podem actuar em provas internas.
Se bem lemos o que vai no espírito dos dirigentes sportinguistas, a Liga é uma miragem (o Sporting tentará fazer o melhor), a Liga Europa está longe de ser uma prioridade, e o Sporting vai atacar em força a Taça de Portugal e a Taça da Liga.
A ser assim, tem que se perguntar - mas não era esta a principal crítica que era dirigida a Paulo Bento?
José Eduardo Bettencourt, e seus pares, parece que padecem de um desnorte a que não estávamos habituados no Sporting pós José Roquette.
Em Braga, o contraste.
Uma gestão sólida, uma equipa que não deslumbra mas vai crescendo sustentadamente, a aposta em novos valores, quer na equipa técnica, quer no plantel.
Mas, insisto, o Braga ainda não me convence enquanto candidato ao título.
Domingos transmitiu fielmente o meu sentimento quando afirmou que só responderia à questão da eventual candidatura ao título quando faltassem quatro ou cinco jornadas para o fim da prova.
Entretanto, já mudou o discurso, mas enfim.....
Candidatos ao título, na minha opinião, são o Benfica e o Porto, nesta altura com óbvia e inegável vantagem para os encarnados.
Helton, ontem, aos 93 minutos do jogo com a União de Leiria, segurou a candidatura dos portistas ao defender uma grande penalidade.
Lá para a frente veremos quanto terá valido exactamente esta defesa.
O Benfica está a cumprir o que Jorge Jesus tinha prometido.
Joga muito melhor que na época passada, se é o dobro ou não já é outra questão, entusiasma, marca golos.
Mas ainda me suscita dúvidas em termos de segundas linhas, os jogadores que vão ser necessários na desgastante 2ª volta, isto apesar de os benfiquistas já estarem afastados da Taça de Portugal.
É óbvia a concentração total de esforços na conquista da Liga, que já escapa há alguns anos, e que permite o tão ambicionado acesso à Liga dos Campeões.
O restante panorama é cinzentão, como tem sido há já muitos anos.
O Guimarães e a Académica estão em crescimento, o Marítimo "escorregou" pela primeira vez sob o comando de Van Der Gaag, o Rio Ave está a fazer uma belíssima prova, o Setúbal e o Belenenses em grandes apuros.
Deixem-se alguns destaques:
Equipa Surpresa - Indiscutivelmente o Braga.
Equipa Desilusão - A "medalha" vai para o Sporting.
Equipa mais espectacular - Indiscutivelmente o Benfica.
Equipa mais sólida - Novamente o Braga.
Jogador em destaque - O meu voto vai para Bruno Alves, que julgo ser o jogador mais valioso da Liga Sagres.
Mas também poderia ir para Saviola, Cardozo ou Javi Gárcia.
Jogador revelação - Rúben Micael do Nacional da Madeira.
Jogador desilusão - Hulk, a anos-luz do jogador que foi a época passada, e algo perdido no meio das expectativas que foram criadas à sua volta.
Bellushi também era um bom candidato.
A confirmar - Miguel Veloso. O potencial está lá todo, o juízo parece que começa a aparecer.
Treinador - Voto em Domingos, comandante da Liga e com muito menos recursos que o mediático Jorge Jesus.
Treinador Desilusão - João Carlos Pereira, definitivamente talhado para tudo, menos para treinador de futebol.
Dirigente - O presidente do Sp. Braga, António Salvador.
Dirigente desilusão - A trajectória errática de José Eduardo Bettencourt deixa os adversários a grande distância.
Acontecimento negativo Os túneis, obviamente, e os sumaríssimos que lhes andam associados.
Melhor árbitro - Pedro Henriques, representante por excelência de uma nova vaga de árbitros, mais competentes e mais cultos.
Pior árbitro - Muitos candidatos, mas o meu voto vai para Lucílio Baptista, sistematicamente ligado a questiúnculas.
E, por agora, chega.
No final da época cá estaremos para fazer novo balanço.

Sem comentários:

Enviar um comentário