10 de fevereiro de 2010

Penoso


Até onde poderá ir o descalabro do Sporting?
Na ressaca da derrota humilhante de ontem (já vão quatro seguidas), em casa, frente ao rival da Segunda Circular, sofrendo uma goleada (4-1), com o comportamento tresloucado de alguns jogadores em campo (João Pereira) e um treinador que, para além de incompetente, se encontra em estado de negação permanente, muito bem "auxiliado" pela pior direcção desde os tempos de Jorge Gonçalves, é esta a pergunta a fazer.
Comecemos por João Pereira.
Como é que o menino explica aquela entrada assassina a Ramires aos 6 minutos de jogo?
Vingançazinha torpe perante o clube que o dispensou?
Não se pode entender uma atitude daquelas a não ser por demência ou por falta de profissionalismo.
Não foi por acaso que o Benfica dispensou João Pereira, nem foi por ele ser mau jogador.
Foi porque era mau profissional e era problemático.
Parece que não mudou nada.
A goleada.
Um mal nunca vem só, não é?
Ainda João Pereira não tinha chegado aos balneários e já o Benfica se tinha adiantado no marcador, exactamente na sequência do livre resultante da falta estúpida que cometeu.
A partir daí foi a descida ao inferno.
O Benfica marcou mais três golos (o de Cardozo é um golaço, os outros três resultaram de bolas paradas), Liedson (sempre ele....) ainda reduziu, mas não há quem resista a tanta incompetência e parvoíce.
A incompetência de Carvalhal.
Já se percebeu que o Sporting não andava de desgraça em desgraça por causa de Paulo Bento, mas apesar de ter Paulo Bento?
Carvalhal, escolhido segundo o método do menor denominador comum, é um treinador fraco, com um discurso oco, redondo, patético algumas vezes.
Foi o caso ontem.
Mais uma vez.
Perde com o Braga, é goleado pelo Porto, perde em casa com a Académica, é goleado em casa pelo Benfica, mas tem sempre "muito orgulho nos jogadores"  e que "tem que dar os parbéns aos jogadores"(sic) (ler aqui http://www.maisfutebol.iol.pt/benfica/carlos-carvalhal-carvalhal-sporting-benfica-taca-da-liga-derby/1138134-1456.html .
Quais? Os das equipas adversárias??
E, depois de ser goleado, falar em árbitros.....
E que tal ver bem as aquisições que fez, as escolhas que faz (onde é que está a voz de comando dentro do campo? Quem é que comanda aquela defesa completamente perdida? Pois, o Polga está de castigo....), a autoridade que (não) transmite aos jogadores?
A incompetência dos dirigentes.
Na semana em José Eduardo Bettencourt resolveu imitar George W. Bush (a luminária americana estava de férias quando Nova Orleães, após o Katrina, estava a viver a pior catástrofe da sua história; Bettencourt, com o Sporting mergulhado numa crise profunda, foi dar uns mergulhos ao Brasil), ficou claro que esta direcção é um enorme equívoco.
Resta ao Sporting não ser humilhado na Liga Europa e terminar a Liga Sagres com uma réstia de dignidade, apurando-se directamente para as competições europeias.
No final da época, arrumar bem a casa, a começar pela estrutura directiva, passando pela equipa técnica, pelo plantel, e alterar de vez a estratégia suicida de confiar que a Academia é o suficiente para alimentar a equipa principal e fazê-la ganhar títulos.
Não é, e só se estão a "queimar" garotos que até poderiam ser boas soluções no futuro.
O Benfica limitou-se a fazer justiça ao seu símbolo e foi, mais uma vez, ave de rapina.
Jorge Jesus percebeu que havia jogadores a precisar de descanso, testou alternativas, e não podia pedir melhores resultados.
Hoje, Porto e Académica discutem o outro finalista, também com muitas alterações do lado dos Dragões.
Valha ao Sporting o facto de Jorge Jesus ter considerado que ontem não houve "desmérito" (sic) dos jogadores do Sporting naquela humilhação, não é?


Sem comentários:

Enviar um comentário