20 de fevereiro de 2010

Obviamente, muito culpado!


Já há muito tempo que se sabia que Hulk era culpado.
Soube-se logo no dia do jogo na Luz.
Faltava saber o grau de culpa.
Demorou, mas soube-se ontem - é muito elevado, dá direito a quatro meses de suspensão, o que equivale a 23 jogos, e significa, na prática, que voltará a jogar no dia 25 de Abril (realmente há coincidências muito curiosas!).
E pronto.
A Comissão Disciplinar da Liga, pela voz do inefável Ricardo Costa, sentenciou.
E não teve dúvidas.
Não teve dúvidas, por exemplo, em declarar os "stewards" como intervenientes no jogo.
Só não explicou porquê.
Enfim, não se pode ter tudo, não é?
Ricardo Costa, e os seus algozes, puseram-se a jeito e já levaram a esperada pancada do FC Porto.
Se calhar, como bem defendem os causídicos ligados ao Porto, o ponto de partida para decidir este caso, era averiguar se aqueles senhores são intervenientes no jogo, isto é, se, e em que medida, preenchem esse conceito.
Aquilo a que se chama questão prévia.
Mas, bem vistas as coisas, para quê?
Se o Hulk era culpado, e toda  gente (a CD da Liga, obviamente!) sabia que ele era culpado, para quê densificar um conceito abstracto?
Ah! Agora que me lembro...é que podia haver uma pequena diferença - de quatro jogos para quatro meses de suspensão!
Pormenores, não é?!
Mas o senhor Ricardo Costa até acha uma patetice que se castigue um jogador com quatro meses de suspensão porque dá uns tabefes num "steward", ao passo que o mesmo jogador, se desse os mesmos tabefes num adversário, só era castigado com quatro jogos de suspensão.
Pois....
A explicação talvez esteja no tal conceito de interveniente no jogo - o "steward" é interveniente no jogo; o jogador da equipa adversária não é, ou é muito pouco.
Deve ser isso.
Mas o senhor Ricardo Costa, juntamente com os seus algozes, até reduziu a pena a aplicar a Hulk e Sapunaru (este levou seis meses!! Mais um boacadinho e completava o período de gestação!).
E essa redução teve por base o facto de ter ficado provado que os atletas do Porto foram provocados pelos vitimizados "stewards".
Portanto, e resumindo:
Uma cambada de energúmenos, que não se sabe se devem estar ali, provocam os jogadores, levam uns tabefes, os jogadores são castigados com  quatro e seis meses de suspensão, os instigadores não são punidos, e o clube que tem a responsabilidade de zelar para que o jogo (incluindo o antes e o depois) corra sem incidentes, é multado em 1500 euros.
É assim? Não me escapou nenhum pormenor?
Pergunta final - se o Benfica for campeão, o senhor Ricardo Costa, e os membros da CD da Liga, mais os tais "stewards", também têm direito a uma parte do prémio de vitória?
O Porto vai recorrer da decisão, como era de esperar.
E a(s) notícia(s) pode(m) ser lida(s) aqui http://www.ojogo.pt/26-51/artigo849458.asp

2 comentários:

  1. A golpada consumou-se. Espero que na penúltima jornada lhes retribuam da maneira que merecem

    ResponderEliminar
  2. Confesso que tenho algum receio aceca do que irá acontecer no Dragão e no Algarve depois destes acontecimentos.

    ResponderEliminar