17 de maio de 2010

Grandes portugueses (vivos)

Referido aqui ontem na homenagem a Carlos Lopes, o destaque hoje vai para Fernando Eugénio Pacheco Mamede, nascido em Beja no dia 1 de Novembro de 1951.
Fernando Mamede, também ele atleta do Sporting, também ele treinado por Mário Moniz Pereira (o destaque de amanhã) deteve o recorde mundial dos 10 000 metros entre 1984 e 1989, sendo então batido pelo mexicano Arturo Barrios.
Fernando Mamede começou a carreira como velocista (400 metros) o que lhe permitiu ser possuidor de uma ponta final terrível para os seus adversários.
Infelizmente, ao mais alto nível competitivo, a sua carreira fica marcada por sucessivos falhanços, por constantes desilusões.
Psicologicamente fraco, incapaz de lidar com a pressão, Fernando Mamede fazia sempre excelentes qualificações para, em prova, desistir ou ficar classificado em péssimos lugares.
Foi o que aconteceu nas Olímpiadas de Los Angeles de 1984, onde era o favorito à vitória na prova dos 10 000 metros, acabando por não resistir à pressão e desistir para desilusão do País.
Ainda assim, o seu nome fica para sempre ligado à história das corridas de meio-fundo, e detém, ainda hoje, uma das melhores marcas europeias de sempre nos 10 000 metros.
Fernando Mamede também competiu no crosse, tendo conseguido a medalha de bronze nos Mundiais de Crosse de 1981.
Ficou sempre a sensação que era capaz de fazer mais, mas que um qualquer bloqueio psicológico o impedia de tal.

Sem comentários:

Enviar um comentário