16 de maio de 2010

Grandes portugueses (vivos)

A personalidade hoje em destaque foi maior maratonista português de todos os tempos, o primeiro português a ganhar o ouro olímpico, Carlos Alberto de Sousa Lopes, nascido em Vildemoinhos, perto de Viseu, a 18 de Fevereiro de 1947.
Carrlos Lopes ganhou a primeira medalha de ouro olímpica para Portugal ao triunfar na maratona de Los Angeles, ainda para mais com um novo recorde mundial - 2:09.21.
De origens humildes, Carlos Lopes pensou seguir  a carreira de futebolista mas o seu pai opôs-se a essa possibilidade.
Em 1967 é convidado para se juntar ao Sporting Clube de Portugal, quando já dava nas vistas como atleta, clube ao qual se manteria ligado até final da sua carreira desportiva em 1985.
Carlos Lopes era um atleta de categoria mediana nas corridas de longa distância, até saltar para o estrelato em 1976 quando venceu o Campeonato do Mundo de Crosse no Páis de Gales.
Nesse mesmo ano, compete nos 10 000 metros em Montreal e dispara aos 4 000 metros para o que parecia uma vitória certa.
No entanto, Lasse Virén, um especialista na distância, segue-o e ultrapassa-o nos metros finais graças a uma melhor ponta final.
Uma vitória que ficou sempre envolta em mistério porque pode ter sido conseguida através do método de doping sanguíneo.
No ano seguinte fica em segundo lugar no Mundial de Crosse em Düsseldorf.
Falha as Olimpíadas de Moscovo em virtude de várias lesões para reaparecer em grande em Oslo, no ano de 1982, ao bater o recorde europeu dos 10 000 metros, à época na posse do colega de equipa Fernando Mamede.
No mesmo ano tenta pela primeira vez correr a maratona, em Nova Iorque, mas não termina porque tem um acidente com um espectador a meio do percurso.
No ano seguinte tenta novamente a maratona, desta vez em Roterdão, e acaba em segundo lugar, atrás do australiano Rob de Castella, ainda assim com um novo recorde europeu.
1984 é o seu grande ano.
Ganha o título mundial de crosse em Nova Jérsia, ajuda Fernando Mamede a bater o recorde mundial dos 10 000 metros em Estocolmo, e ganha a medalha de ouro na maratona masculina em Los Angeles com novo recorde mundial e com 37 anos de idade.
Recorde que só seria superado em 2008 em Pequim.
Condecorado com a Grã Cruz da Ordem do Infante, Carlos Lopes correu  pela última vez aos 38 anos, o que inspirou os autores de os Simpsons a darem destaque ao português, exemplo a que Homer recorre para demonstrar que é possível competir a grande nível naquela idade.

Sem comentários:

Enviar um comentário