30 de agosto de 2011

Aprendendo com João Vale e Azevedo


Vale e Azevedo vai a uma churrasqueira e pede ao empregado que embrulhe dois frangos.

Enquanto o empregado embrulha os frangos, repara numas belas codornizes e pergunta ao empregado se pode trocar os 2 frangos por 4 codornizes, ao que o empregado responde:

- Claro que sim.

Depois de embrulhadas as codornizes e entregues ao cliente, este vai-se embora, quando o empregado irrompe:

- Desculpe, mas o Sr. esqueceu-se de pagar as codornizes.

- Mas eu não as comprei, troquei-as pelos frangos! - disse Vale e Azevedo, "indignado" com a petulância do empregado.

- Mas também não pagou os frangos!

- Correcto, mas também não os levo...pois não ?

11 comentários:

  1. É preciso ter = lata...!

    Não nega os seus erros mas arranja-lhes casacas à medida e nas cores mais abrangentes......

    ResponderEliminar
  2. O Vale e Azevedo é um tipo curioso, Luís.
    Achava um piadão ao ouvi-lo começar as conversas com a frase - "Vamos ser sérios, não é???" :)))

    ResponderEliminar
  3. Caro Pedro Coimbra
    É de mestre.
    Creio que a "capacidade" deste "Artista" dava para escrever um livro, que se tornaria certamente num êxito de vendas.
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Eu acho alguma piada ao Vale e Azevedo, Rodrigo.
    Ele foi burro porque se deixou agarrar.
    Porque, no universo do futebol, o que não falta são vigaristas.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Aposto que se conseguissem apanhar, vá 1/10 dos vigaristas e os obrigassem a pagar o que tinham roubado ao estado saíriamos da crise...
    Concordo plenamente que como ele há muitos! São é mais espertos, é como a anedota do Sórates e mais não sei quem e o burro morto... Conhecem? Se não conhecerem eu conto... Um bom dia*

    ResponderEliminar
  6. Catarina,
    Não conheço a anedota.
    Fico à espera que a conte.
    Dizia alguém que não vou nomear (fala-se no milagre, não se fala no santo) que roubar ao Estado não é roubo.
    Está tudo dito.

    Gábi, ana e Carlos,
    O Vale e Azevedo é um tipo engraçado.
    Nos seus esquemas torna-se num "cromo" curioso.

    ResponderEliminar
  7. Eu não tenho características de boa contadora de anedotas mas cá vai:

    Estava o Sócrates e mais dois que agora não me lembro o nome (eu avisei que não tenho jeito), e decidem comprar um burro velho por 10€, no dia seguinte o burro morre, e o que decide Sócrates? Rifar o burro morto, sem ninguém saber que está morto. Venderam 1000 rifas de 1€. Fizeram o sorteio do burro morto e saiu a um indivíduo. Alguém questionou, "e agora o que fazemos?" ao que o Sócrates responde, então, agora devolvemos o euro à pessoa a quem saiu o burro morto!"

    Bem isto é mais giro contado por quem sabe, mas pronto é isto :)

    ResponderEliminar