17 de junho de 2010

O despacho que tem oito anos

Quando aqui critiquei Shuen Ka Hung por causa daquele despacho tonto que via no Mundial de Futebol um excelente meio para intimidar os trabalhadores da DSAL e para afirmar a autoridade do Director, não sabia, como muitos outros, que o referido despacho já tem oito anos (foi emitido no ano de 2002).
A notícia, agora confirmada, de que tal despacho foi enviado às redações dos jornais através do fax da ATFPM, não exime Shuen Ka Hung das suas responsabilidades naquele disparate.
Bem pelo contrário.
Se algo mudou, foram os tempos.
Quando a aberração foi produzida (2002), não foi publicitada.
Oito anos depois, as pessoas parece-me que já não estão dispostas a engolir, em seco e em silêncio, aquela asneira.
Houve um "maduro" que utilizou o fax da ATFPM para mandar aquele despacho às redacções dos jornais no intuito de, como diz Pereira Coutinho, a fonte ser mais fidedigna?
Acredito que sim.
Mas, pergunto eu, nas redacções dos jornais não se lê previamente o material que se recebe antes de o publicar?
Pelos vistos, não.
Se tivesse sido lido, rapidamente se veria que era um despacho da Direcção de Serviços de Trabalho e Emprego (entretanto substituída pela Direcção de Serviços dos Assuntos Laborais), e que datava de 2002.
Distracções....
O que não mudou, e houve oito anos para o fazer, foi o teor do despacho.
Já foi revogado?
Se foi, peço desculpa a Shuen Ka Hung.
Se não foi, o Director da DSAL já vai no terceiro Mundial a cometer o mesmo erro.
A ser assim, as notícias mais recentes não desculpabilizam o seu comportamento.
Agravam-no.

2 comentários:

  1. A coisa há oito anos foi amplamente divulgada. e até com base na mesma fonte que agora enganou os senhores jornalistas.

    ResponderEliminar
  2. E agora, quem quer que seja que enviou o fax (o fax, em Macau, é uma coisa muito traiçoeira...), estará a querer reavivar a memória das pessoas.
    E a perguntar o mesmo que eu - qual é a situação do despacho/circular interna - está me vigor, foi revogado, foi alterado??
    Ainda não houve resposta para esta questão, a fundamental, na minha opinião.

    ResponderEliminar