23 de junho de 2010

No dia em que os franceses fazem as malas, Argentina e México, e Coreia do Sul e Uruguai, vão encontrar-se nos oitavos-de-final

Já se conhecem dois dos jogos dos oitavos-de-final do Mundial da África do Sul - Argentina/México e Uruguai/Coreia do Sul.
Isto, no mesmo dia em que o patético, e efeminado, treinador françês, voltou a estar nas páginas dos jornais pelos piores motivos e em que a África do Sul se tornou na primeira selecção do país organizador de um Mundial e não ser qualificada para a 2ª fase.

No Grupo A, uruguaios e mexicanos seguem, muito justamente, para a fase seguinte.
Foram as duas melhores equipas do Grupo e merecem o apuramento.
No jogo que ontem os opôs, um jogo muito vivo e muito bem disputado, os uruguaios ganharam (1-0), merecem a vitória, que lhes dá o primeiro lugar do Grupo (7 pontos), e evitam defrontar a temível Argentina nos oitavos-de-final.
O jogo foi equilibrado, mas o golo de Luiz Suárez, o craque do Ajax, coloca alguma justiça no marcador.
Os uruguaios são melhores, têm uma belíssima equipa, bons jogadores (grande jogo de Forlan e Fucile) e vão agora defrontar os coreanos nos oitavos-de-final.
Aposto na passagem dos uruguaios.
Os mexicanos vão defrontar os argentinos e deverá terminar aí a aventura dos "Aztecas", os quais se apuraram por terem melhor diferença de golos que os sul-africanos.

O outro jogo do Grupo foi o epílogo da tragi-comédia que foi a participação da selecção francesa neste Mundial.
Derrota perante a África do Sul, com Hugo Lloris a sofrer um golo estúpido, mas a evitar males maiores, Gourcuff a ser expulso, e, para terminar em beleza, Domenech a recusar cumprimentar Carlos Alberto Parreira.
Os golos de Khumalo e Mphela ainda fizeram os sul-africanos alimentar uma ténue esperança de não ficarem na história como a primeira selecção do país organizador a não passar a 1ª fase.
O golo de Florent Malouda, se é que ainda havia realmente esperanças, liquidou-as de vez.
No que se refere a Domenech, bem a propósito lembrado por um amigo, aconselho-o a recordar Brassens - "quand on est con ( le temps ne fait rien à l'affaire )"



No Grupo B, os argentinos fizeram o pleno e os sul-coreanos fazem-lhes companhia nos oitavos-de-final.
A selecção da Argentina é claramente uma das favoritas a ganhar este Mundial.
Grandes jogadores, grandes craques!, um futebol muito bonito, muito atractivo, eficaz, que ainda dá para procurar encantar plateias e fazer Messi (bem que o Fabrizio dizia que "a Pulga" parece que tem rodinhas nos pés!) marcar o golo que lhe falta.
Ontem, apesar de muito ter tentado, não marcou.
Marcaram Demichelis e Palermo, "el loco".
Os argentinos vão defrontar os mexicanos nos oitavos-de-final e estou convencido que podem ir pensando no adversário dos quartos-de-final antecipadamente.
Para a Grécia, o jogo de ontem confirmou o fim de uma geração de jogadores que conseguiram sagrar-se campeões da Europa e estar em dois Mundiais.

Boa surpresa, a selecção sul-coreana, que se apurou juntamente com os argentinos.
Empate (2-2) com a Nigéria, os sul-coreanos seguem para os oitavos-de-final, e os nigerianos juntam-se ao rol de decepções das equipas africanas neste Mundial.
Uche e Jung Soo Lee marcaram na primeira parte; Chu-Young Park e Yakubu na segunda.
Os sul-coreanos vão agora defrontar o Uruguai e não acredito que consigam mais do que a façanha de se qualificarem, pela segunda vez, para os oitavos-de-final de um Mundial.

Sem comentários:

Enviar um comentário