16 de junho de 2010

Festividade de Tuen Ng (Dia do Barco Dragão)

Celebra-se hoje o Tuen Ng Jit (cantonense), Duānwǔ Jié, em Mandarim (端午節, tradicional,  ou 端午节, simplificado) um dos feriados oficais no calendário de Macau, Hong Kong, Taiwan, e  China Continental depois de 2008.
A festividade é também celebrada noutros países do sudeste asiático, sobretudo naqueles onde existe uma significativa comunidade chinesa.
A festividade coincide com o quinto dia do quinto mês do calendário lunar (Duplo Cinco) e é tradição neste dia comer os famosos rice dumplings, beber realgar wine, isto para além das famosas corridas de Barco Dragão que tem o seu epílogo neste dia também.
Em Maio de 2009, o governo chinês apresentou a festividade de Tuen Ng como candidata a património intangível da UNESCO.
O Tuen Ng comemora a vida, obra e morte de Qu Yuan.
Qu Yuan era um leal servidor do Rei de Chu, no século II A.C.
Objecto de invejas e intrigas, Qu Yuan cai em desgraça perante o seu soberano e exila-se
No exílio compõe vários poemas, através dos quais expressa a sua revolta perante o seu soberano e aqueles que o fizeram cair em desgraça.
No ano de 278 A.C., aos 37 anos de idade, Qu Yuan decide suicidar-se afogando-se no Rio Milo.
Amarra uma pedra ao seu peito e salta para as águas do rio, desaparecendo em seguida.
Sabendo que Qu Yuan era um homem sábio, bom, e justo, os populares acorrem ao rio na tentativa de o salvar.
Procuram desesperadamente nas águas, mas não conseguem encontrar, nem salvar, Qu Yuan.
Os Barcos Dragão simbolizam esta procura e esta tentativa de salvamento de Qu Yuan.
Não tendo sido possível o seu salvamento, os populares passaram a atirar arroz às águas do rio para alimentar o espírito do seu herói.
No entanto, como o arroz é muito leve, os pescadores perceberam que ficava à tona de água e era comido pelos peixes.
Os populares decidem então embrulhar o arroz em folhas de bambu, procurando assim que este manjar se afundasse e fosse captado pelo corpo de Qu Yuan.
Numa outra lenda conta-se que os populares atiravam o arroz às águas na esperança de que os peixes, comendo o arroz, ficassem saciados e poupassem o corpo de Qu Yuan.
Esta última lenda conta também uma versão alternativa acerca da tradição do Barco Dragão.
Segundo a mesma, o Barco Dragão tem origem no facto de os populares lançarem as suas embarcações ao rio e baterem com os remos na água para afugentar os peixes, de modo a pouparem o corpo de Qu Yuan.
E são estas as mais famosas lendas que envolvem a festividade de Tuen Ng que hoje se comemora.

Sem comentários:

Enviar um comentário