24 de setembro de 2009

Os amigos americanos

Notícia do "Ponto Final" de hoje, que também já cheira a folhetim de mau gosto - "A divisão do jogo do gabinete do Procurador - Geral de Nova Jérsia considerou 'inapropriada' a associação entre a MGM e a filha de Stanley Ho, devido às alegadas ligações ao crime organizado do patrão da Sociedade de Jogos de Macau".
Ponto prévio - quando ouço os americanos a dizerem algo do género "alegadas ligações" arrepio-me até aos ossos.
Basta lembrar as alegadas armas de destruição maciça de Saddam Hussein......
Meus senhores, ou têm provas dessas ligações e apresentam-nas, ou ficam caladinhos.
Mandar estes bitatites enquanto se deixa arrastar convenientemente o processo de investigação, e se vai sacando o patacame de Macau, é de uma hipocrisia fantástica.
Nada que me surpreenda, diga-se de passagem.....
E já que estamos em maré de hipocrisia, os "patrões" da indústria do Jogo nos Estados Unidos são todos escolhidos entre os meninos do coro e os ajudantes da sacristia da igreja da cidade, não é?!
Stanley Ho não me passou nenhuma procuração para o representar (essa é mais uma área para o Dr. Rui Cunha....).
Mas não gosto nada deste falso moralismo americano.
Mais ainda quando os pretensos moralistas se aproveitam descaradamente da hipotética imoralidade para conseguirem chorudos proventos.
Em Macau com o Jogo, no Iraque com o petróleo e os negócios ligados à reconstrução do país, o padrão de comportamento é demasiadamente conhecido para ser preciso entrar em pormenores.
Esta gentinha não tem mesmo vergonha na cara...

Sem comentários:

Enviar um comentário