18 de setembro de 2009

As possíveis coligações

As últimas sondagens em Portugal (em Macau não há disso) são deveras interessantes.
Então não é que se arrisca a previsão de vitória do PS?
E o segundo lugar, muito próximo, do PSD?
E o Bloco nos 12%, a CDU nos 8% e o CDS nos 6%?
Que coragem! Que trabalho magnífico que o Diário de Notícias realizou!
Onde é que eu já tinha visto algo de semelhante?
Terá sido nas outras sondagens todas?
Como a gente aqui no Devaneios gosta de pensar, vai daí dei comigo a cogitar nas possíveis coligações pós - eleições.
O PS com com o Bloco?
Não creio....
O Engenheiro não é homem para negociar, e o Bloco é tudo menos partido de governo.
Não estou a ver o Engenheiro a ceder seja o que for às "propostas fracturantes" (o que eu gosto desta expressão caramba!) do Bloco.
E o Bloco gosta de "fracturar por aí", mandar umas bocas, dizer umas coisas, mas não os vejo com o mínimo de pachorra para governar Portugal.
Ainda por cima com o Sócrates como Primeiro!
E depois ainda há que considerar que, com um passo destes, o Bloco perderia uma boa parte do seu actual eleitorado.
Aquela grande parte do milhão de votos do Alegre, por exemplo.....
Uma união entre o PS e o Bloco afigura-se-me muito improvável.
E entre o PS e a CDU?
Aí era o PS que ficava queimado.
O Engenheiro pereferirá governar em minoria do que em coligação, governamental ou parlamentar, com o PCP.
Se calhar o Jerónimo até nem se importava....
Já há tantos anos que os comunistas não experimentam as doces mordomias do Poder que se nota perfeitamente que já andam com algumas saudades.
Mas o Engenheiro não quer uma "noiva" destas.
Tem uma imagem assim de rapariga pouco honrada, percebem?
O PS e o CDS?
Já aconteceu mas não vai voltar a repetir-se.
Com franqueza, se é para juntar o Engenheiro e o Portas, é melhor, mais rápido e menos doloroso, o Pinto da Costa declarar guerra ao Sul, o Jardim declarar a independência da Madeira e desatar tudo à bofetada de uma vez por todas.
Sempre haveria menos sangue e o desanuviamento político seria mais rápido.
O PS e o PSD?
Não, não vai haver centrão porque qualquer um destes partidos vai querer que o outro se queime, no governo ou na oposição, para capitalizar nas cinzas do adversário.
O PSD e o CDS?
Acham que o Cavaco ia nisso?
Deixar governar quem não ganhou as eleições quando ele ainda não foi eleito para um segundo mandato?
O Sampaio deitou o Santana abaixo e entregou o Poder ao PS mas já tinha os dias contados como Presidente.
E convenhamos que é mais fácil dar uma bordoada no Santana que no Engenheiro.......
O Cavaco ainda quer fazer um segundo mandato.
Para isso, todos sabemos, não se podem levantar grandes ondas no primeiro.
Então em que é que ficamos?
Ficamos com um governo minoritário do PS, uma confusão ainda maior no País, possíveis acordos pontuais no Parlamento com quem estiver mais à mão, e, muito provavelmente, eleições antecipadas lá mais para a frente porque o Engenheiro se vai queixar que não o deixam governar e o Presidente já estará em segundo mandato e não se importará de procurar "clarificar o panorama político"(também gosto desta!).

Sem comentários:

Enviar um comentário