22 de setembro de 2009

E o seu voto, é ou não válido?

Já passaram mais de 24 horas sobre o encerramento das urnas em Macau e ainda ninguém sabe o que fazer aos tais 6500 votos nulos.
Quer dizer, que eram (são?) nulos, mas que talvez não sejam nulos, mas ainda são nulos, mas não se sabe se vão mesmo ser nulos.
Perceberam?
Lembram-se do Portas?
Vocês sabem que eu sei, que vocês sabem que eu sei......e por aí fora?
É assim algo do género.
As últimas notícias dão conta do facto de ainda não haver entendimento entre a Comissão Eleitoral acerca dos critérios para validar os votos.
Sou mesmo ingénuo caramba!
Não é que eu estava convencido que se fixam as regras a priori?!
Afinal parece que não.
Até parece que é possível alterar essas regras depois de o jogo ter sido disputado.
Magnífico!
E se essa alteração conduzir a uma alteração dos resultados?
Também não há problema?
Parece que não.....
Mas então o que é que se passa?
Não só os ilustres membros da Comissão Eleitoral não se entendem acerca dos critérios de validação, como agora perceberam que a ideia do carimbo foi mesmo uma das maiores borradas de que há memória.
É que houve muito boa gente que foi carimbar fora do quadrado, em cima da designação das listas, e, vejam lá o desplante!!, houve pessoas que carimbaram com a porra da seta virada para baixo (sim, dentro do quadrado, mas virado de cabeça para baixo).
E houve quem mandasse o carimbo à fava e votasse com esferográfica.
Mas não havia um critério claro e definido acerca de como se tinha de votar?
Que foi divulgado ad nauseam nas televisões naquele tom paternalista com que se tratam os tolinhos?
Se havia, qual é a dúvida?
Tudo o que não se enquadre nesse critério é nulo.
São muitos votos?
Pois são, mas, digo eu, se calhar é uma boa ocasião para se perceber que quando se quer controlar tudo, ser muito criativo, o resultado é uma borrada de todo o tamanho.
Acompanho Eric Sautede quando defende que o grande perdedor nestas eleições foi a Comissão Eleitoral.
Mas fico à espera para ver como é que vão "descalçar a bota" que a derrota em si não tem interesse nenhum.
E estou tranquilo porque o meu voto é válido.
Mas eu estava em vantagem em relação aos restantes eleitores.
Eu explico:
A minha mãe foi, durante muitos anos, chefe de estação dos Correios.
Desde pequenino habituei-me a andar por ali e a dar umas carimbadelas.
Ou seja, o carimbo não tem grandes mistérios para mim desde tenra idade.
Já para alguns eleitores parece que o carimbo ainda apresenta alguns mistérios insondáveis.....
E sinto-me tentado a perguntar - a Bic alguma vez criou estes problemas?

Sem comentários:

Enviar um comentário