28 de setembro de 2009

Cheira a queijo limiano....

Que comentários fazer aos resultados eleitorais em Portugal?
Quem poderá ser considerado vencedor e perdedor?
Os resultados estão aqui http://www.publico.clix.pt/.
Primeira constatação - em termos percentuais, quem venceu foi a abstenção (39,4%).
Assim sendo, e como ouvimos de todos os líderes partidários, e do Presidente da República, um apelo insistente ao voto, uma tentativa forte de mobilização do eleitorado, neste particular perderam todos.
E trata-se de uma derrota brutal.
Uma abstenção com estes números não pode deixar quaisquer dúvidas acerca do desencanto dos portugueses com quem os governa, acompanhado de um sentimento de orfandade no que respeita a alternativas.
O PS ganhou as eleições, pura e simplesmente porque teve mais votos e elege mais deputados.
Mas, mais que uma vitória de Pirro, é uma verdadeira vitória de porra!
O Engenheiro conseguiu sobreviver ao fracasso das europeais.
Mas fica a pergunta - com que custos?
Perdeu a maioria absoluta, perdeu mais de meio milhão de votos, e fica refém de acordos pontuais com outros partidos (parece que fica claro que não haverá coligação governativa...).
E, dando de barato que o PS não irá formar maiorias com o PSD (não, ainda não chegámos a esse ponto, pois não??), resta-lhe o CDS.
Portas terá sido o grande vencedor destas eleições.
O Bloco de Esquerda cresceu, bastante, mas menos do que era esperado e as sondagens iam apregoando (parece que é muito in ser do Bloco e desejar que o Bloco cresça....).
O PCP/PEV continua por ali.
Os resultados vão sendo sempre semelhantes e dali nunca surgem grandes surpresas.
O Portas, às voltas nas feiras, no meio da pecuária, conseguiu o que Manuela Ferreira Leite definitivamente não consegue - entropia com o eleitorado.
Manuela Ferreira Leite é alguém tecnicamente muito competente, uma tecnocrata, mas que, definitivamente, não tem o mínimo instinto político.
Pior, não tem qualquer instinto politiqueiro, algo que, parece cada vez mais claro a cada eleição realizada, dá votos.
Assim sendo, e vendo que o seu futuro à frente do partido está muito tremido (quase de certeza que está a prazo...) Manuela Ferreira Leite começou já ontem a falar em eleições autárquicas, as únicas que ainda poderão salvar a sua liderança.
Talvez, mas não creio....
Terá chegado a hora de Paulo Rangel? Não a hora de Marcelo Rebelo de Sousa, como já hoje ouvi profetizar, que esse não se vai meter nestas andanças.
Ele e Vitorino dão apoio, comentam, são os grilinhos falantes dos respectivos partidos, mas não estão dispostos a ir para o terreno.
Para o combate, como tanto gosta de dizer Santana Lopes, este sim sempre disposto a ser candidato a qualquer coisa.
Vejam só o que já para aqui vai!! (http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/1019587.html)
E o Portas todo inchado.
O CDS teve um resultado muito bom, contrariou todas as previsões (houve alguma sondagem que tivesse previsto semelhante resultado para o CDS?) e agora ninguém pode ignorar os 21 deputados que elege, sobretudo o Sócrates.
O que é que resulta daqui?
Opinião muito pessoal - uma enorme confusão.
É possível governar em minoria?
Obviamente que sim, e a história já o demonstrou.
Mas também demonstrou que é muito complicado e que, várias vezes, dá origem a episódios pouco edificantes.
Com este primeiro - ministro?
Tenho sérias dúvidas.
Sócrates não tem grande disponibilidade para negociar (o discurso é muito bonito mas a prática contraria as palavras...) e o preço que, à direita e à esquerda, lhe vai ser exigido em qualquer negociação, vai ser muito alto.
No meio de todo este turbilhão, Cavaco não deve estar nada feliz.
Não se pode ver livre do Sócrates (o que eles gostam um do outro!!) e a "sua" Manuela desiludiu.
Não conseguir melhor que 30% dos votos, quando o País está profundamente desiludido com o Governo, é uma derrota impossível de mascarar.
E instabilidade no País também não dá jeito nenhum ao Presidente quando ele está de olhos postos no segundo mandato.
Ter que intervir em situações de conflito, sancionar acordos pontuais, censurar outros, é tudo o que Cavaco não quereria neste momento.
As eleições terminaram, os resultados estão aí, e fica no ar um intenso odor a queijo limiano.....

Sem comentários:

Enviar um comentário