25 de março de 2010

Quando pedidos de desculpas e demissões não são o suficiente

O Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol reduziu os castigos aplicados pela Comissão de Disciplina (CD) da Liga a Hulk e Sapunaru, de quatro e seis meses, para três e quatro jogos, respectivamente.
Tudo porque, que grande surpresa!, os juízes do CJ vieram explicar que os célebres stewards não são intervenientes no jogo, antes parte do público (aqui http://www.maisfutebol.iol.pt/fcporto/hulk-tunel-stewards-conselho-de-justica-maisfutebol/1149929-1304.html ) e as penas aplicadas aos futebolistas são desproporcionadas, injustificadas, idiotas.
Algo que só a CD da Liga não entendeu.
Ou preferiu não entender....
Estando Hulk e Sapunaru impedidos de jogar desde finais de Dezembro, depois desta sentença, o que se segue?
O óbvio, que aliás já aqui tinha previsto quando foram aplicados os castigos.
O Porto já anunciou que quer ser indemnizado, o mesmo acontecendo com Hulk.
Sapunaru irá, por certo,  fazer rigorosamente o mesmo.
O CJ da Federação convolou as penas aplicadas aos jogadores, clube e jogadores querem ser indemnizados.
Algo que qualquer pessoa com um pingo de bom-senso perceberia.
Entretanto, Hermínio Loureiro, Presidente da Liga, apresentou a demissão do cargo na sequência destes acontecimentos.
Faltará perceber melhor porque tomou esta decisão porque as suas primeiras palavras são tudo menos elucidativas.
Ricardo Costa, e os seus jagunços, esses continuam em silêncio.
Também irão sair da Liga certamente.
Mas já prestaram um péssimo serviço ao futebol português e tiveram uma atitude persecutória nunca antes vista perante jogadores nucleares do FC Porto.
Primeiro foi Mcarthy; depois Quaresma; agora Hulk.
O caso do "túnel da Luz" passará agora para os Tribunais, mas Hulk e Sapunaru perderam uma grande parte da época com esta parvoíce arrogante da CD da Liga.
Hulk pode bem ter perdido a hipótese de participar no Mundial.
E este campeonato ficará para sempre manchado com estes acontecimentos e as dúvidas que se geraram à volta dos mesmos.
Quanto é que isto tudo custa, e quem é que paga, é o que caberá agora aos Tribunais decidir.
Hermínio Loureiro afastou-se.
Que outros o sigam.
Se não o fizerem voluntariamente, que levem uma valente vassourada e que sejam responsabilizados civilmente pelos seus actos.
É o mínimo que se deve exigir.

Sem comentários:

Enviar um comentário