11 de novembro de 2009

Os Óscares do Turismo


Na edição deste ano dos World Travel Awards, os prémios que o Wall Street Journal qualifica como os Óscares do Turismo, Macau ficou mal na fotografia.
Macau não mereceu nenhuma nomeação para os prémios mundias, e teve quatro para os prémios asiáticos.
Mas nenhuma vitória.
O Westin  Resort era candidato a melhor resort de golfe, mas perdeu para o Mission Hills Golf Club China.

O Grand Lisboa e o Venetian foram nomedos para a categoria casino-resort, mas perderam para o Genting Hills da Malásia.
Venetian, que também estava nomeado para a categoria como melhor hotel de conferências, mas que perdeu para o Sheraton de Saigão.
E não deixa de ser curioso que o prémio para melhor hotel em Macau tenha sido atribuído ao Westin Resort, não ao Grand Lapa (antigo Mandarin) como erradamente se refere no website.
Com tanto investimento, tanta modernice, tanto folclore e luz, foi o velhinho Westin que foi distinguido.
Será porque o Venetian, o Wynn, o MGM Grand, .....não passam de réplicas de outras unidades semelhantes?
Não tenho a resposta.
Mas fica essa sensação e um sinal preocupante.
Quando as autoridades, locais e centrais, apostam claramente no sector turismo/jogo/convenções, não necessariamente por esta ordem, os resultados agora tornados públicos não podem ser vistos de outra maneira que não seja com decepção.
Se calhar é chegada a hora de exigir mais inovação, mais arrojo, aquele "golpe de asa" que nos foi sendo prometido, mas sucessivamente adiado.
Ficam aqui os resultados da região asiática (http://www.worldtravelawards.com/winners2009-4), a merecer alguma reflexão para que não se distribuam recursos escassos a quem muito promete mas pouco cumpre.

Se Macau ficou mal na fotografia, Portugal pode regozijar-se pelos resultados conseguidos.
Para os espíritos mais sensíveis, a observação de que não estou a fazer nenhuma comparação, não há aqui qualquer sentimento neo-colonial ou revanchista.
Apenas a constatação de uma realidade.

E essa realidade é que Portugal conquistou dois troféus a nível mundial - o Vila Joya de Albufeira ganhou o prémio para o melhor boutique resort do mundo, e a TAP ganhou o prémio de companhia aérea mundial nas ligações para a América do Sul.

A nível europeu, Portugal arrecadou alguns apetecíveis troféus.
Lisboa foi considerada melhor destino europeu, melhor cidade europeia para uma escapadela, e melhor cidade destino para cruzeiros.

O Vila Joya ganhou o prémio para melhor boutique resort europeu (se foi considerado o melhor do mundo....) e o Praia d'El Rey Marriott Golf & Beach Resort foi considerado o melhor resort europeu de golfe e de lazer.
Ficam aqui os resultados a nível europeu http://www.worldtravelawards.com/winners2009-8
Na minha qualidade de residente parmanente de Macau não fico nada satisfeito com estes resultados.
Só vêm confirmar um sentimento que já tinha, e no qual sei que sou acompanhado por muitos outros residentes.
Muito "fogo de vista", muito barulho, muita publicidade, néon, mas muita "banha de cobra" à mistura.
Precisa-se de mais exigência para que haja  correspondência com condições muito especiais de investimento que o Governo de Macau, com o beneplácito e sob os auspícios do Governo Central, oferece aos investidores.
E não me venham com a desculpa esfarrapada da crise económica porque o laxismo é anterior à crise.

1 comentário: