8 de novembro de 2009

Ainda o Sporting


José Eduardo Bettencourt anunciou que o Sporting terá novo treinador até ao jogo da Taça de Portugal com os Pesacadores da Costa da Caparica (aqui via A Bola http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=182058 ).
André Villas-Boas, numa atitude que revela sensatez e prudência, já se colocou fora da corrida à sucessão a Paulo Bento.
Não será, no mínimo, tonto, estar a colocar num pedestral um treinador que tem, como treinador principal, dois jogos no curriculum??
Parece que André Villas-Boas percebeu essa patetice....
A questão agora é quem sucederá a Paulo Bento? Mais em concreto, quem estará disposto a suceder a Paulo Bento?
Os sócios, simpatizantes, dirigentes, compreensivelmente suspiram por um nome forte.
Sem desprimor para a instituição, não acredito que isso venha a acontecer.
O Sporting é, neste momento, um clube em convulsão interna.

Guerras palacianas só agravaram outros factores que concorreram para a situação periclitante em que o clube se encontra.


E esses outros factores são um claro défice de qualidade e de alternativas no plantel, contratações infelizes, jogadores nucleares com problemas físicos constantes (Izmailov e Vukcevic), uma política de contenção financeira que não permitirá ao novo treinador ir buscar soluções credíveis no mercado de Inverno, um salário que não será atractivo para treinadores de nomeada.
São demasiados contras, demasiados riscos, que Paulo Bento aceitou e que lhe criaram os dissabores que todos conhecemos.
Os quatro meses a mais passam muito por estes factores.....
Mas, nesse particular, Paulo Bento foi vítima e culpado.
Vítima porque não podia fazer melhor com as condições de que dispunha; culpado porque também não teve poder reivindicativo para exigir mais.
Quem vier a seguir, se for alguém prestigiado, não se vai prestar a desempenhar o mesmo papel que Paulo Bento desempenhou.
Vai querer mais e melhores jogadores, vai querer que a estrutura directiva se assuma e que a imagem do treinador não seja sucessivamente desgastada em guerras que não são as suas.
Estará o Sporting preparado para satisfazer semelhantes reivindicações?
Os sinais vão todos no sentido oposto.
A ser assim, o leque de escolhas não será muito grande, e o nome que surgir é bem possível que venha logo com uma carga negativa muito pesada.

Sem comentários:

Enviar um comentário