7 de novembro de 2009

Saíram todos



Afinal não foi só Paulo Bento a sair.
Miguel Ribeiro Telles e Pedro Barbosa, o vice-presidente da SAD e o director desportivo, acompanham o treinador na saída.
Do núcleo duro da área do futebol sportinguista, fica apenas José Eduardo Bettencourt.
Pedro Barbosa era também já há muito tempo grandemente contestado.
Valha a verdade, nunca demonstrou grande aptidão para o desempenho daquelas funções, e perdia claramente na comparação com o director desportivo do rival da Segunda Circular.
Onde Rui Costa é mobilização e carisma, Pedro Barbosa foi sempre divisão e controvérsia.
Uma saída que não surpreende.
Miguel Ribeiro Telles, com o seu gesto, quererá deixar a José Eduardo Bettencourt a hipótese de começar tudo de novo.
Algo que o Presidente do clube não pediu e claramente não desejava.
Paulo Bento cumpriu a sua palavra e sai com dignidade.
Não há controvérsias de indemnizações, contas complicadas a fazer.
É pago até ontem e ponto final.

Entretanto, nas especulações à volta de possíveis sucessores, "O Jogo" avança com os nomes de André Villas-Boas e Co Adriaanse (aqui http://www.ojogo.pt/index.asp )
A ser verdade, André Villas-Boas nem chega a aquecer o lugar na Académica.
Previa um trajecto de sucesso para o discípulo de Mourinho.
Mas este salto, a concretizar-se, poderá revelar-se um pouco precipitado.
Co Adriaanse é uma opção em tudo desaconselhável.
Sim, foi campeão no Porto, é autoritário (em demasia até...), mas é altamente problemático.
Problemas já tem o Sporting que chegue.
Alguém que os vá agravar não me parece uma boa ideia....

Nem as hipotéticas opções Scolari e Manuel Machado.
Scolari é um treinador a quem nunca consegui reconhecer outro mérito que não fosse a capacidade de mobilização.
Mas até essa foi muito facilitada.
Deméritos encontro-lhe muitos.
Se realmente é um sargentão que o Sporting quer, este é o Sargentão.
Entre ele e Adriaanse......
Manuel Machado não é treinador para um grande clube.
Não tem capacidade, não tem carisma, não é um ganhador.
A melhor ideia, mas muito arriscada, parece ser André Villas-Boas.
Uma aposta em André Villas-Boas equivale ao Nobel de Obama - é jogar na esperança.

Na dança dos treinadores, as minhas fichas todas, no que se refere ao próximo a ser "chicoteado", vão para João Carlos Pereira.
A goleada de ontem frente ao Paços de Ferreira, no Restelo, terá precipitado algo que já se vinha a adivinhar.
E ainda vamos só na 10ª jornada....

Sem comentários:

Enviar um comentário