22 de novembro de 2009

Quando o que está em causa é a integridade da produção agrícola



Confidenciaram ao Devaneios que foi esse o motivo que levou Bruno Paixão a decidir adiar o jogo relativo a mais uma eliminatória da Taça de Portugal, marcado para a tarde de ontem em Oliveira de Azeméis.
O árbitro invocou a Lei 5 dos Regulamentos, mas o Devaneios sabe que o adiamento foi consequência de uma conversa entre o árbitro e os jogadores.

Bruno Paixão, acedendo ao pedido dos dirigentes da Oliveirense, terá perguntado aos jogadores se seria possível deixar intactos o batatal, o couval e, acima de tudo, os morangueiros.
Os jogadores disseram que seria muito complicado assegurar a integridade da produção agrícola, tendo sido então tomada a decisão de adiar o jogo.

Esta notícia de O Jogo não corresponde inteiramente à verdade, simplesmente porque omite qualquer referência aos hortícolas e à fruta (aqui http://www.ojogo.pt/ ).
Vamos falar a sério?
O FC Porto, desde que foi observado o campo, advertiu que não estavam reunidas as mínimas condições para disputar ali um jogo de futebol.
Pelo meio, chegou a ponderar não comparecer ao jogo, ou comparecer apenas com uma equipa formada por jogadores das camadas jovens do clube.
Esta última confesso que ainda não percebi.
O argumento (muito válido) dos dragões para não quererem jogar ali, era que não estava minimamente salvaguardada a integridade física dos jogadores, para além de que, o que iria acontecer, seria tudo menos futebol.
Se não estava salvaguardada a integridade física dos jogadores, para quê levar uma equipa constituída por jogadores da formação?
A magoar-se, magoam-se os putos, será que era essa a lógica?
Do lado da Federação, uma enorme falta de bom senso, quiçá temperada com alguma pressão de Hermínio Loureiro, adepto e sócio da Oliveirense, ele mesmo originário de Oliveira de Azeméis.
E o paleio esclerosado da "festa da Taça".
Foram estes os ingredientes para que se criasse mais um "caso" no futebol português com o Porto agora a "querer sangue" e a referir que não chega adiar o jogo.
Inteiramente ao lado dos dragões quando afirmam que não havia condições para jogar naquele campo, quando afirmam que avisaram desse facto atempadamente, quando denunciam a hipocrisia da Federação que, ainda a meio da semana, criticava os bósnios por terem marcado o jogo entre as duas selecções para um campo sem quaisquer condições.
Comparado com o lamaçal de Oliveira de Azeméis.........
É chegada a altura de só se marcarem jogos de grandes competições para campos que ofereçam todas as condições de segurança, e um relvado onde se possa jogar futebol.
Quando essas condições não existem, o jogo terá de se disputar num campo que as ofereça.
Assim sim, haverá verdadeiramente a "festa da Taça".
O que há agora são apenas arraiais com jogos em que impera o chuto para o ar, a algazarra e o foguetório.
Isso é bom para quê, ou para quem?
O vídeo aqui para cada um tirar as suas conclusões http://www.videos.iol.pt/consola.php?projecto=27&mul_id=13191151



Sem comentários:

Enviar um comentário