13 de novembro de 2009

Harmonia e hipocrisia



Se ainda subsistissem dúvidas acerca das disputas internas que ainda hoje grassam no seio da ASEAN, o recente incidente diplomático (esta é a versão soft, politicamente correcta, de designar desaforo) entre o Camboja e a Tailândia, seria um indicador precioso da grande hipocrisia que rodeia um ambiente que é sempre publicitado como sendo de intensa harmonia.
A ASEAN, como organização internacional, surgiu com a finalidade primeira de travar os regimes comunistas que se instalavam na Ásia com o apoio da União Soviética.
Num típico ambiente de Guerra Fria, os Estados Unidos fomentaram, incentivaram, apoiaram, movimentos de contra-poder na região no intuito de combater a deriva comunista.
Mas houve um outro motivo muito importante que esteve na génese da ASEAN - a resolução de disputas fronteiriças e territoriais entre países que, na sua grande maioria, tinham recentemente saído do domínio colonial em que tinham vivido.
A ASEAN surgia assim como um meio de pacificar o clima de desconfiança na região.
Mas esse desiderato foi confiado a uma série de princípios que ainda hoje se mantêm, apesar de se revelarem perfeitamente anacrónicos - soft power; não ingerência e não interferência nos assuntos de política interna dos países membros; ausência de critérios concretos para adesão à organização (basta aceder aos Tratados relevantes, os quais, na verdade, não obrigam a quase nada!).
Todos estes equilíbrios sempre se revelaram algo periclitantes.

A nomeação de Thaksin Shinawatra para conselheiro económico do governo cambojano, ele que é perseguido pela justiça tailandesa, que deu origem às tradicionais chamadas de representantes diplomáticos para consultas, seguidas das inevitáveis expulsões, revelam em toda a plenitude o cinismo, a hipocrisia, as tensões que ainda existem dentro da organização e que impedem o aprofundamento do relacionamento político entre os membros (a notícia aqui via Lusa http://www.lusa.pt/lusaweb/user/showitem?service=310&listid=NewsList310&listpage=1&docid=10341637
Tudo isto enquanto decorre uma cimeira da APEC, organização em que os dois países marcam presença enquanto membros da ASEAN.

Falar de uma comunidade económica como objectivo para 2020, e em harmonia como elemento central da organização, é muito fácil.
O problema é que a realidade continua a ser o oposto do discurso oficial.
E a máscara cai com inusitada facilidade......

Sem comentários:

Enviar um comentário