27 de julho de 2011

A vez da bola


Quando se aproxima o mês de Agosto, e o Mundo se prepara para ir de férias, começam a disputar-se as grandes competições futebolísticas na Europa.
Com o Guimarães e o Nacional envolvidos nas pré-eliminatórias da Liga Europa, entra hoje em campo o Benfica para disputar a primeira mão da pré-eliminatória da Liga dos Campeões.
O capricho do sorteio colocou no caminho dos benfiquistas os turcos do Trabzonspor.
Não são uma equipa fantástica, para citar o Futre, mas são uma equipa complicada, difícil.
Como o são todas as equipas turcas.
Não gosto nada de mandar uns bitaites depois de ver as coisas acontecerem (não sigo o lema do João Pinto, o célebre "prognósticos só no fim do jogo").
Assim sendo, vou deixar aqui a minha opinião acerca do poderá acontecer nesta eliminatória.
E confesso que estou de algum modo preocupado com o desempenho do Benfica na mesma.
A gestão da pré-época do Benfica, com destaque para a  formação do plantel, foi atribulada (estou a ser simpático).
Dossiers que se prolongaram até ao limite do impensável, jogadores que foram anunciados a destempo e perdidos para concorrentes directos, desorganização que se pensava afastada no Benfica de Jorge Jesus.
No meio de toda esta confusão, o Benfica prepara-se hoje para fazer alinhar jogadores que estão claramente desmotivados (Luisão e Cardozo), outros que chegaram muito recentemente ao clube (Emerson, Garay, Witsel), outros que são convocados quando estão dentro avião a caminho de Portugal, e sem férias (Maxi Pereira).
Sim que, a confiar no que se vai vendo e lendo, o onze do Benfica não deve andar muito longe disto:

Artur Moraes

Maxi Pereira; Luisão; Garay; Emerson;

Javi Garcia;

Gaitan; Witsel (Aimar); Enzo Perez (Nolito);

Cardozo; Saviola.

Ou seja, uma defesa em que dois elementos são novos e ainda nem devem conhecer os nomes de todos os colegas, e os outros dois acabam de regressar da Copa América.
Um desmotivado e o outro cansado.
Todos eles à frente de um guarda-redes novo no clube.
Daqui para a frente há magia, há qualidade, há classe.
Mas não me parece que haja muita ligação e alternativas credíveis.
Percebendo estes problemas (também não é difícil....), os turcos vêm à Luz procurar defender bem, contra-atacar e explorar as actuais debilidades do sector defensivo do Benfica.
Pode ser que na prática não seja assim.
Esperemos que não seja.
Mas, no papel, na teoria, os 50% de probabilidades de passar a eliminatória que Jorge Jesus atribui aos turcos, percebem-se melhor com estes erros de gestão do Benfica.
Seria bom que o Benfica fizesse um bom resultado na Luz.
De preferência sem sofrer golos.
Porque o jogo na Turquia, como todos os jogos na Turquia, vai ser muito complicado.
Os turcos criam um ambiente terrível, as equipas turcas correm muito, lutam muito, sufocam os adversários.
Em resumo, os 50/50 de Jorge Jesus parecem-me ajustados à realidade actual.
E devem-se muito mais a erros de gestão, cometidos pela direcção e equipa técnica do Benfica, do que a qualidade intrínseca da equipa turca.


Na Copa América, brilhou alto a selecção uruguaia.
Os uruguaios, que já tinham feito um excelente Mundial (4º lugar) foram, sem dúvida, a melhor equipa da prova.
Um equipa que já vem a ser trabalhada há alguns anos e que inclui os "portugueses" Maxi Pereira (Benfica) e Álvaro Pereira e Rodriguez (Porto).
Fucile ficou de fora, hipoteticamente em virtude de uma lesão sofrida no Porto.
Comandados por um grande Diego Forlan (o terceiro elemento da família a conquistar a Copa América), com um Luís Suarez a mostrar classe e um treinador competente (Oscar Tabarez), os uruguaios conquistaram a 15ª Copa América da sua história.
Com mérito.



Mérito, competência, equipa séria, formada e formatada, foi tudo aquilo que faltou às grandes desilusões - Argentina e Brasil.
Os argentinos, que até disputavam o troféu em casa, confiaram num péssimo treinador (Sérgio Batista), entretanto já demitido do cargo.
E no talento de Messi.
Que, depois do Mundial, voltou a desiludir nesta Copa América.
Fica por saber o que vale realmente Messi fora da equipa do Barcelona.
Em grande parte porque ainda não teve um treinador que lhe permitisse mostrar a sério o seu valor na selecção argentina.
Entre Maradona e Sérgio Batista.....


Treinador que, opinião muito pessoal, o Brasil também não tem.
Mano Menezes insite no samba, no futebol de praia, nas vedetas com bom toque de bola e péssimo espírito competitivo.
Não lhe auguro bom futuro.
Mas agradeço-lhe que se vá esquecendo de Hulk.
Não valoriza o jogador, não o mostra, não lhe dá internacionalizações.
E o Porto vai conseguindo mantê-lo mais tempo.
Entretanto, vai apostando nas vedetas Neymar, Pato, Robinho, que jogam todos da mesma maneira e no mesmo sítio.
Os resultados estão à vista.
O desastre continua dentro de momentos.

6 comentários:

  1. Eu também não ando com grande fezada em relação ao Benfica. A casa ainda não está arrumada.

    ResponderEliminar
  2. É essa a minha sensação, FireHead.
    A casa ainda não está arrumada.
    E já devia estar.
    Esperemos que estejamos os dois enganados.

    ResponderEliminar
  3. Com jogadores desta qualidade, e estou a falar a sério, a casa, se não está já arrumada, vai ser arrumada num abrir e fechar de olhos.

    Começa daqui a uma hora a odisseia SL Benfica 2011/2012.

    ResponderEliminar
  4. De facto a casa não está arrumada. Mas sempre confiante no meu Glorioso.
    SLB, SLB, GLORIOSO SLB!!!!

    É desta que sou banida do blogue. eheheheh

    ResponderEliminar
  5. Vá lá, desta já se safaram. Espero que consigam ir à Liga dos Campeões, pois se isso não acontecer, farão concorrência desleal na nossa Liga
    CBO

    ResponderEliminar
  6. Observador,
    Mesmo com a casa desarrumada, o Benfica terá garantido o apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões.
    Mas a casa ainda está (muito) desarrumada.

    Carlota,
    Nunca a bania do blogue.
    Seria mais fácil fechar o blogue.
    Bjs

    Carlos,
    Depois do resultado de ontem, o apuramento está praticamente garantido.
    Mas ainda há ali muita coisa para corrigir naquele plantel, naquela organização.
    Abraço

    ResponderEliminar