26 de julho de 2011

A Europa resumida em duas imagens

'Europe en deux images : excellent résumé de situation !!!...'




8 comentários:

  1. Caro Pedro
    Acho que se se decretasse a lingua oficial "Patuá" o entendimento sería provavelmente mais fácil.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Rodrigo,
    Nunca tinha pensado nisso.
    Pode estar aí a solução :))
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Quantos muitos menos esperarem, a União Europeia acaba. É isso que eu espero.

    ResponderEliminar
  4. Não acredito, FireHead.
    Acredito mais na possibilidade de estes espaços de integração regional se estenderem a outras regiões do mundo (ASEAN, União Africana, Mercosul,....).
    O orgulhosamente sós já não resulta.
    A integração europeia tem que ser repensada, precisa de outros actores.
    Mas é um processo que vai continuar a desenvolver-se.

    ResponderEliminar
  5. Não sei, não. O que eles agora querem é o federalismo. É a solução?
    Não nos esqueçamos de todos os problemas que a União Europeia já trouxe. A Dinamarca já fechou as fronteiras. Itália e França andaram chateadas com a questão da invasão dos norte-africanos. Os restantes assobiaram para o lado.
    Orgulhosamente sós? Não é por nada, mas muito que temos, as nossas indústrias, o sector primário, entre outras coisas, foram prejudicadas à pala dessa dita comunidade. A Noruega e a Suíça fazem imenso bem em não serem da União Europeia.
    Tudo me leva a crer que o mais provável é o fim da dita e não sou o único a pensar assim. Depois veremos quem é que tem razão.

    ResponderEliminar
  6. Ah, e já agora, eu também já fui um europeísta convicto. Por alguma razão hoje eu sou um eurocéptico.

    ResponderEliminar
  7. FireHead,
    Eu não sou um europeísta convicto.
    Também não sou eurocéptico.
    O meu mestrado foi feito nesta área (European Union Law).
    E estudei a dinâmica dos espaços de integração regional.
    Até para fazer um estudo comparativo entre o modelo de integração europeia e da ASEAN.
    Isto tudo para dizer que, as conclusões a que cheguei, apontam para a inevitabilidade do projecto europeu.
    Porque é muito mais que um projecto económico, como muitas pessoas julgam.
    É, acima de tudo, um projecto político.
    Aliás, nasce assim, como projecto político e meio de pacificação de uma Europa devastada por duas guerras.
    A questão económica (regulação da produção e venda de aço entre franceses e alemães) é secundária.

    ana,
    Não reflecte a UE na actualidade?? :)))

    ResponderEliminar