11 de julho de 2011

Quando as férias acabam....


Quando as férias acabam é tempo de regressar ao trabalho, às rotinas.
Com as baterias recarregadas, com renovada energia.
E é tempo de escrever um bilhete postal (electrónico) aos amigos para lhes dar conta das impressões que ficaram, dos dias passados, dos locais visitados.
Começo por confessar alguma desilusão com Bali.
Talvez as minhas expectativas fossem demasiado altas e a realidade, de algum modo, frustrou-as.
É fácil explorar um destino turístico quando o Criador dotou o local de condições naturais absolutamente paradisíacas.
Na obra do Homem é que pode estar o problema.
E foi essa a sensação, amarga, com que fiquei.
Desde o momento da chegada.
O aeroporto é velho, muito velho (de acordo com a minha filha Catarina, num trocadilho feliz com a Marco Polo Class da Cathay Pacific, construído no tempo em que Marco Polo terá andado a vaguear pela Terra).
Chegados ao aeroporto, e já na fila da emigração, começa a corrupção generalizada.
São os oficiais dos serviços de emigração, de forma natural e absolutamente às claras, que nos pedem 20 US, por passaporte!!, para podermos passar rapidamente a fronteira (as filas são enormes e arrastam-se irritantemente devagar).
Quando recusamos, lá aparece milagrosamente um oficial a informar-nos que há uma fila para portadores de passaporte da União Europeia.
Uma fila que, por acaso, tinha para aí umas quatro pessoas!!
O mais caricato é ouvir estes mesmos oficiais queixar-se da corrupção que mina o país.
Dá vontade de vir logo embora.
À saída do aeroporto, no caminho para Nusa Dua, as infra-estruturas são más e a desordem no trânsito enorme.
Algo que mal se compreende num destino turístico tão renomado.
Nos "resorts", os esquemas, a chico-espertice continuam.
Marcar os preços com simples números (35, por exemplo) para depois dizer que se está a pensar em US dólares e não em rupias é brilhante (35 000 rupias equivalem a cerca de 35 patacas, mais ou menos 3 euros. Um bocadinho diferente de 35 US dólares, convenhamos!)
Aborrece, mói.
Chegados ao Melia de Bali.
Já algo antigo, ainda assim é muito bonito.
Situado no meio de uma vegetacão luxuriante, à beira da praia, com uma variedade e qualidade de espaços de restauração muito interessante.
Em claro contraste, a qualidade do serviço prestado deixa muito a desejar.
Ainda assim, superior ao Marriott.
Acabadinho de inaugurar (não pode servir de desculpa) o Marriott de Nusa Dua apresenta uma péssima qualidade de serviço.
E uma pobreza de espaços de restauração (um "cofee shop") que a marca Marriott, e os preços que esta pratica, não permitem compreender.
Quando se procuraram desculpabilizar com um "soft opening" tive vontade de sugerir um "hard closing"!
Má qualidade de serviço que continua no velhinho aeroporto na hora da partida.
Em suma, e repetindo o que referi antes, talvez as minhas expectativas fossem demasiado altas.
Não foram, no entanto, minimamente correspondidas.
A Bali que imaginava era algo de muito diferente do que encontrei.
De volta a Macau, foi tempo de ir conhecer o recentemente inaugurado "mega resort" (sic) da Galaxy.
Aqui, ao contrário de Bali, as expectativas não eram muito elevadas.
O que já tinha visto no Hotel Straworld (dos mesmos promotores) e o que amigos me haviam transmitido, deixava-me sem grandes ilusões.
Confirmei o que pensava - os promotores americanos, e australiano, estão muito à frente de uma Galaxy demasiado voltada para o mercado chinês.
Um "mega resort" não pode ser um mega casino com alguns espaços de restauração e de retalho.
Deve ser exactamente o oposto.
E era isso que estava prometido.
Pode ser que venha a ser assim no futuro...
Aquilo que agora vi, francamente não impressiona.
Muito inferior a um Venetian, a um City of Dreams, a um MGM.
E, como se tal já não bastasse, vemos coisas que nos arrepiam.
Estar na casa de banho, ver entrar um tipo em correria desenfreada, com uma menina (3/4 anos), que é deixada a urinar nos urinóis, pendurada nos braços do parvalhão, mijando o chão e os pés do idiota, que não se preocupa em lavar as mãos ou os pés e sai para continuar as suas compras, faz qualquer um ficar enjoado e sair dali para fora em corrida.
Foi o que fiz.
Porcos mas endinheirados é lema que definitivamente não pega comigo.

12 comentários:

  1. Caro Pedro Coimbra
    Antes de mais, bem vindo. Não sou um grande visitante do conjunto de blogues de grande qualidade que existem. Mas há aquela 1/2 duzia que me habituei a visitar. Já lhe sentia a falta.
    Quanto a férias. Acho que tenho razão. Vou gozando as minhas sempre curtas férias por cá. Temos coisas excelentes por aqui que nunca visitei e a lista ainda é grande. Talvez um dia, se chegar à reforma com saude me atreva a dar umas voltas por outras paragens.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Bem vindo a Macau.
    Quando em seu belo blog, disse que ia de férias para Bali, nada disse, e fiquei pensando que no regresso iria dizer o que eu já previa. Conheço Bali desde à muitos anos e sei como é, infelizmente é assim.
    Teve ainda sorte em não ter havido atentados, coisa frequente nesses locais, principalmente na Indonésia.
    Quanto ao Galaxy, o meu estimado amigo não viu tudo, pois existem vários hoteis de 5 estrelas e um resorte com uma piscina de sonho, mas estes locais são reservados somente aos clientes, não a visitantes, eu vi, porque conheci um fulano que teve a mabilidade de me dar a conhecer todo o local e fiquei encantado.
    Quando desejar passar uma férias em beleza, com sua Exma. família, num local paradísico, vá a Kho Chan, na Tailândia.
    Depois lhe enviarei um link do local onde estive ultimamente, maravilhoso, nada de Pattayas ou Phukets.

    http://cambetabangkokmacau.blogspot.com/2009/06/ilha-de-koh-chan-tailandia.html

    Abração amigo.

    ResponderEliminar
  3. Rodrigo,
    Deu para confirmar que o nosso povo é sábio - "mais vale cair em graça do que ser engraçado".
    Bali tem tanta fama mas, na realidade, desilude.
    E o serviço prestado é mesmo fraquinho.
    Abraço

    Amigo Cambeta,
    Na Tailândia já conheço vários destinos.
    Ainda não conheço o que agora me indica.
    A visitar, sem dúvida.
    Um abração

    ResponderEliminar
  4. Caro confrade Pedro Coimbra!
    Ufa! Que alívio! Ainda bem que você e seus entes queridos voltaram incólumes!!! Seu relato circunstanciado da viagem deixou patente que Bali - conhecida mundialmente - deixa a desejar.
    Caloroso abraço! Saudações realistas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
  5. Nem sequer deu para descansar, Pedro?

    Percebo que tenha, logo de início, ficado com(Bali)do com o que pareceria diferente.

    Vamos ao trabalho, Amigo!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Seja bem-vindo de volta à minha terra, amigo. :)
    Concordo com o que escreveu. O problema é precisamente muita gente ter grandes expectativas em relação às coisas e aos lugares. Bali, por muito bonita que seja, nunca cativará o meu interesse. O "landscape" até pode ser marvilhoso e brutal, mas o meu problema é com o povo que nele habita. Muitos países são naturalmente lindíssimos, mas estão "poluídos" pelo seu povo, pela sua cultura, pela sua "religião".
    Bom regresso ao trabalho.

    ResponderEliminar
  7. Pedro
    Bem vindo ao mundo dos normais
    mesmo sendo virtuais.

    Quanto ao que nos deu a conhecer, penso que por todo mundo existe lugares lindissimos, mas com povo pobre em valores, algo que se está a perder por todo mundo.
    O ser humano!!!.
    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Caro Pedro,

    em primeiro lugar dizer que já estava com saudades suas!!!

    Depois, um conselho quando quiser ter umas férias a sério vá para ...Portugal, e dê um "pulo" à Madeira verá que ficará muito menos com(Bali)do (aproveitei o trocadilho do António)!!!! :DDD

    Abraço!!!

    ResponderEliminar
  9. Pedro Coimbra,
    Primeiro feliz regresso, tenho gosto em vê-lo.

    Gostei muito do texto, está excelente. Às vezes as expectativas tiram o que sonhamos ou queremos ver.
    Apesar do que encontrou não ter correspondido ao que idealizava, pelo menos teve a luxuriante paisagem e isso é que é importante.

    Revigorado desejo um bom retorno às rotinas. Férias para mim só em Agosto! :(:)

    ResponderEliminar
  10. Pedro ainda bem que já voltou!!
    As férias, compensa a companhia pelo desastre do sítio. Para o ano escolha a Escócia!!
    Um abraço!

    ResponderEliminar
  11. Bem-vindo de volta :) Senti falta de passar por aqui.
    Fiquei curiosa sobre o que Bali ainda poderá ter de incrível e misterioso (seria um dos sítios a que gostaria de ir).
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar
  12. Caro Prof. João Paulo de Oliveira,
    Bali não é um local inseguro.
    Pelo contrário, a segurança é muito apertada (não entra nos hotéis antes de passar por uma revista circunstanciada, pessoas e viaturas, de três polícias, com todo o equipamento necessário).
    O problema está na fraca qualidade do serviço prestado e na corrupção latente.


    Observador,
    Deu para relaxar um bocado.
    Mas fiquei efectivamente com(Bali)do (boa!!!) com o que encontrei.
    Desiludiu-me.

    FireHead,
    Sem querer parecer bairrista, não há termo de comparação possível entre os serviços prestados em Macau e em Bali.

    Adélia,
    Realmentge, muitas vezes são as pessoas que estragam os locais.
    Aqueles chico-espertos irritam.

    Ricardo,
    Há mesmo muitos destinos dentro de Portugal que quero visitar.
    No próximo ano, esse é um dos planos de férias.

    ana,
    A Natureza favoreceu Bali.
    Já as pessoas e as suas atitudes....

    Carlota,
    No próximo ano, quero ir passar uns tempos em praias portuguesas.
    Algo que já não faço há muitos anos.

    Gábi,
    Quando as expectativas são elevadas (e as minhas eram) corre-se o risco de haver desilusões.
    Foi o que aconteceu.

    Abreijos a todos.
    Também já estava com saudades destas "conversas".

    ResponderEliminar