Para aqueles que nunca ouviram falar patuá

Comentários

  1. Caro Pedro Coimbra
    Ainda bem que o vídeo é legendado. De facto há linguas muito complicadas.
    Desconhecia a existência de uma lingua com esse nome.
    Agora por estas bandas, costuma dizer-se aos "falas baratos" tens um grande, Patuá!
    De algum lado nasceu esta expressão...
    Abraço e boa Semana

    ResponderEliminar
  2. Rodrigo,
    O patuá, o papiá cristã, é um dialecto típico de Macau.
    Que mistura o português, o cantonês, elementos de outros dialectos orientais e africanos.
    Estava a desparecer até que esta malta bestial, a Dóci Papiaçám de Macau, lhe deu nova alma e vida.
    Fazem récitas todos os anos, nas quais gozam com os temas mais polémicos e com eles próprios.
    É do patuá que vem a expressão chuchumecar.
    Um abraço e boa semana para si também

    ResponderEliminar
  3. Pedro
    Afinal "patuá" existe mesmo como uma lingua, desconhecia, conhecia essa palavra como tal diz o Rodrigo.
    Beijo

    ResponderEliminar
  4. É um dialecto, Adélia.
    Que, quando falado pelos macaenses mais antigos, é de morrer a rir.
    O grande responsável pelo reaparecimento do dialecto é um bom amigo, que aparece aí no vídeo, o Miguel Senna Fernandes, filho do escritor Henrique Senna Fernandes.
    Gente boa mesmo!!
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Achei fabuloso este post porque nunca tinha ouvido. :)
    Alguma coisa ficou como legado de tempos imemoriais...
    Há uns tempos vi um programa que mostrava que poucos, muito poucos chineses falavam português.

    Boa noite!

    ResponderEliminar
  6. Ao tempo que não ouvia falar Patuá!
    CBO

    ResponderEliminar
  7. Parabéns prá você!!!
    Hoje dia 25 de julho é um dia dedicado a homenagear o escritor brasileiro, aquele que elabora artigos científicos, pautados em verdades comprovadas, ou textos literários, divididos em vários gêneros.
    Obg por caminhar junto comigo nas letras...
    Bjsssssssssssssss

    ResponderEliminar
  8. ana,
    Este grupo é um grupo de gente boa e bem disposta.
    As récitas deles são de ir às lágrimas de tanto rir.
    O patuá tinha caído em desuso, sobretudo após a morte do Adé dos Santos Ferreira, o último cultor do dialecto.
    E da morte de muitos macenses que ainda o usavam no dia a dia.
    Agora, com o trabalho desta malta, e de Alan Baxter (um australiano que estuda e desenvolve dialectos crioulos), está a ser revivido.

    Carlos,
    Esta malta é um fenómeno!!
    O Miguel, um amigalhaço muito especial.
    Ver e ouvir as récitas deles é uma maravilha.
    Um abraço

    Severa,
    Que o caminho seja longo e sempre brilhante.
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Também em Malaca, na Malásia, fala-se o falar Kristang (cristão) por parte da pequena comunidade luso-descendente. Segundo os entendidos, é um dialecto muito semelhante ao crioulo cabo-verdiano.
    Muitos portugueses não sabem nem sonham que a portugalidade é, ou foi, uma coisa fantástica.

    ResponderEliminar
  10. O grande especialista no estudo destes dialectos é precisamente o Prof. Alan Baxter, um australiano.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares