18 de março de 2011

Perfeito como nos filmes (parte II)

Crise financeira?
Crise política?
Geração rasca?
Geração à rasca?
De repente, graças ao brilhante desempenho das três equipas portuguesas envolvidas na Liga Europa, estes temas ficaram (pelo menos por momentos...) esquecidos.
Entre as oito equipas que vão estar nos quartos-de-final da prova, três são portuguesas.
Treinadas por três treinadores portugueses.
E, graças aos pontos já conquistados no ranking da UEFA, a presença de uma terceira equipa portuguesa na Champions, lá mais para a frente, é quase uma certeza.
Notável!!

No Dragão, o Porto deu seguimento a uma época absolutamente extraordinária.
A vitória (2-1) sobre o CSKA representa a passagem aos quartos-de-final da prova, um novo recorde de vitórias de clubes portugueses em provas europeias, o exorcizar do "fantasma russo".
O Porto, que tinha ganho na Rússia, entrou a ganhar também no Dragão.
Ainda não estava decorrido o primeiro minuto e já Hulk tinha marcado.
A equipa acalmou, os adeptos também.
Mas os russos não se deram por vencidos.
Continuaram a tentar reverter o rumo da eliminatória, mas, aos 23 minutos, sofreram novo golo.
Guarín, a marcar o terceiro golo em três jogos consecutivos.
Cinco minutos depois, merecidamente, Tosic marca, reduz a vantagem do Porto e relança a eliminatória.
E é então que entra Villas-Boas na equação.
Vendo que o Porto estava a ter pouco meio-campo, Villas-Boas faz sair James e entrar Belluschi.
O Porto passa a joga com quatro médios.
Dois deles mais recuados.
E controla perfeitamente o jogo até final.
Brilhante desempenho deste Porto de Villas-Boas!
Que vai pulverizando recordes com uma facilidade e naturalidade impressionantes.
Se há grandes jogadores no plantel, há também um excelente treinador.
O grande responsável pelo crescimento (técnico, táctico, físico e emocional) da equipa.


Em Paris, quase a jogar "em casa", o Benfica soube controlar o jogo, o adversário, e passar também aos quartos-de-final da prova.
Desta vez, Jorge Jesus preocupou-se muito mais com a nota técnica do que com a nota artística.
Cresceu bastante nesse aspecto o treinador do Benfica.
E percebeu que não é preciso ser brilhante nestes jogos.
"Basta" ser eficaz.
E foi isso, sobretudo, que o Benfica foi.
Gaitán marcou aos 27 minutos.
E parecia ter logo ali terminado a eliminatória.
No entanto, oito minutos depois, Bodmer empata o jogo e a dúvida instala-se.
Os franceses carregam (era o que lhes competia fazer...) mas o Benfica controla sempre.
O jogo e a eliminatória.
E apura-se com toda a justiça.
Nesta eliminatória, viu-se um Benfica mais competitivo, mais maduro, mais europeu.
Que aspira, legitimamente, poder conquistar o troféu.
Jorge Jesus mudou muito, ele e a equipa, desde o início da época.
No bom sentido.
E o Benfica está muito mais forte.
A todos os níveis.


Mas, obviamente, o destaque da noite vai inteirinho para o Braga.
O empate em Anfield Road atira para fora da prova o todo-poderoso Liverpool.
Domingos, e os jogadores do Braga, acreditaram sempre que podiam eliminar uma equipa que gasta nos passes de dois jogadores o que o Braga não gasta em dois anos de orçamento.
E, com muita vontade, muito profissionalismo, sofrimento e sabedoria, o Braga voltou a supreender a Europa.
Artur, o guauda-redes, foi a figura do jogo?
E qual é o problema?
Está lá para defender, não é?
Arsenal, Sevilha, Liverpool, todos ficaram a conhecer os "guerreiros do Minho".
Domingos afirmava, muito recentemente, que esta está a ser a sua melhor época como treinador.
Percebe-se agora porquê.


RESULTADOS e APURADOS:

SPARTAK MOSCOVO-Ajax, 3-0 (1-0)
(Kombarov, 21; Welliton, 30; Alex, 54)

Paris Saint-Germain-BENFICA, 1-1 (1-2 )
(Bodmer, 35) (Gaitán, 27)

Manchester City-DÍNAMO KIEV, 1-0 (0-2)
(Kolarov, 37)

Zenit-TWENTE, 2-0 (0-3)
(Shirokov, 16; Kerzhakov, 38)

VILLARREAL-Bayer Leverkusen, 2-1 (3-2)
(Cazorla, 33; Rossi, 61) (Derdiyok, 82)

Liverpool-SP. BRAGA, 0-0 (0-1)

FC PORTO-CSKA Moscovo, 2-1 (1-0)
(Hulk, 1; Guarín, 24) (Tosic, 29)

Glasgow Rangers-PSV EINDHOVEN, 0-1 (0-0)
(Lens, 14)

2 comentários:

  1. E agora, PSV no caminho do Benfica, Spartak de Moscovo a defrontar o FC Porto e Dínamo de Kiev em compita com o Braga.

    Boa sorte a todos.

    ResponderEliminar
  2. Já lá está tudo em cima, Observador.
    Podemos estar a caminho de uma final totalmente portuguesa.
    Seja como for, o caminho até agora percorrido por todos já é excepcional.

    ResponderEliminar