15 de fevereiro de 2012

Novo ajuste de feriados: Páscoa



Governo prepara encurtamento da Páscoa: 

- Jesus Cristo morre crucificado e ressuscita no mesmo dia;

- Depois de ter acabado com o Corpo de Deus, 15 de Agosto, 5 de Outubro, 1 de Dezembro e de não ter dado tolerância de ponto aos funcionários públicos no Carnaval, Passos Coelho prepara uma pequena alteração ao ano litúrgico, nomeadamente a Semana Santa, de forma a obter uma versão da Páscoa mais adaptada a um país que quer ser mais competitivo.

- A Última Ceia a uma quinta-feira é coisa de garoto mimado e irresponsável que chula os pais e o Estado. Acabou-se a Sexta-Feira Santa
e a Última Ceia passa a lanche ajantarado no sábado até às 23 horas, no máximo. 

- Domingo de Páscoa passa a ser o dia do julgamento, paixão, crucificação, morte, sepultura e ressurreição.

Também Jesus Cristo tem de deixar de ser piegas!, revelou Passos Coelho

10 comentários:

  1. Eu, como católico praticante, só tenho a dizer que não faz sentido um estado laico como Portugal ainda ter feriados católicos para o gáudio de cada vez mais não católicos. Porque é que não removem as quinas da bandeira duma vez que é para darem razão ao D. Afonso Henriques que disse que os portugueses ou seriam fiéis à Cruz ou seriam uma cambada de traidores apóstatas?

    ResponderEliminar
  2. FireHead,
    Os feriados católicos estão acordados com a Santa Sé.
    E só poderão ser abolidos, mudados, com o acordo da Santa Sé.
    Mas concordo consigo.
    Esses feriados são gozados por todos.
    Vividos por muito poucos.

    ResponderEliminar
  3. ...e ...por este andar ainda vai acabar com os fins de semana.
    É um desperdício...
    Depois de cinco dias descanso...! Nem pensem nessa ...
    ...Ao trabalho...meninos... ao trabalho

    ResponderEliminar
  4. Caro confrade Pedro Coimbra!
    Você trouxe à baila um tema que deixa os empresários exasperados...
    Caloroso abraço! Saudações trabalhadoras!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
  5. Luís,
    Aqui há anos, no filme Robin Wood, com o Kevin Costner como protagonista, o xerife de Nottingham, danado com a popularidade de Robin dos Bosques, mandava acabar com o Natal.
    Terá sido essa a inspiração para o Passos Coelho? :))

    Caro Prof. João Paulo de Oliveira,
    Os empresários, os trabalhadores, os autarcas.....um fartote.
    Conhece a publicidade que publico hoje?
    Excelente!!
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  6. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Isto anda mesmo mal lá no jardim à beira mar plantado, o governo acaba com alguns feriados e o Sporting, não querendo ficar atrás acaba com o domingo.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  7. "Esses feriado são gozados por todos vividos por muito poucos"... É verdade Pedro...

    ResponderEliminar
  8. É verdade, Amigo cambeta.
    Uns a acabar com feriados.
    Outros com Domingos.
    Ao que se chegou!!! :)))
    Aquele abraço

    Catarina,
    É uma critica que se aplica a mim também.
    Gozo esses feriados.
    Devia vivê-los, e senti-los, muito mais.
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. O engraçado é os do esquerdume, que se insurgem contra a Igreja, as suas práticas e até a existência de símbolos como crucifixos nos espaços públicos (mas não há memória deles quererem remover os nomes dos santos de instituições públicas ou mesmo de cidades ou ruas), não dizem nada no que diz respeito aos feriados católicos. Portugal devia era romper com a Santa Sé por causa disso, já que é, e repito, um Estado laico. As quinas da nossa bandeira simbolizam as 30 moedas de prata da traição do Judas.

    ResponderEliminar
  10. FireHead,
    Convicções não se misturam com feriados :)))
    Às vezes, ao ouvir certos discursos, não tem vontade de mandar os tipos pró c$%^&*?
    Educadamente - faça-me o favor de ir pró c$%^&*(, por exemplo?
    Dá essa vontade quando se ouve da boca de pessoas assumidamente agnósticas indignação pela supressão de feriados católicos.
    Hipócritas!

    Concordo consigo.
    Sendo Portugal um Estado laico, porquê manter ligações (dependências) à Santa Sé?
    Flata coragem política para assmir esssa atitude.

    ResponderEliminar