8 de fevereiro de 2012

BRIOOOSA!!!!!!


Quarenta e três depois, a Académica regressa ao Jamor e à final da Taça de Portugal.


Rezam as crónicas que a Oliveirense foi um adversário complicado, que as dimensões do campo (curto e estreito) ainda mais complicaram a tarefa dos "estudantes".
Nada que, com muita cagança, muita pujança e alguma galhardia,  tenha travado a Briosa.
O empate (2-2) devolve a Académica aos grandes palcos, dos quais andava arredada há demasiado tempo.
Confesso que é com alguma emoção que escrevo estas linhas.
Já o revelei neste espaço - habituei-me a ver a Académica desde muito pequenino e, se a memória não me atraiçoa, o meu pai fez-me sócio do clube quando eu tinha seis anos de idade.
Acompanhado do meu pai, do meu padrinho e do tio Fernando, ia ver os jogos.
Puto, pequerrucho.
Não sem que, antes e depois dos jogos, houvesse espaço para o convívio familiar.
Depois era o confronto com a realidade diferente que sempre foi, e sempre será, a Académica.
A canção de Coimbra que acompanhava a entrada dos jogadores em campo, as capas negras estendidas no relvado e as praxes que saudavam a entrada de um novo jogador na equipa (família, é o termo mais correcto); a possibilidade de conhecer pessoalmente os craques da Académica (Vasco Gervásio, os manos Campos, Manuel António, a malta de Macau como o Zé Belo e o Rocha...), e de outros clubes (Tóni, Humberto Coelho,...) ali ao pé dos balneários à saída da Bancada Central.
E como não relembrar o Bentes, o "Rato Atómico", meu professor de escola primária?
Mesmo nos tempos conturbados que se seguiram a Abril de 74, e à passagem da Académica (estupidamente ligada por mentes idiotas ao antigo regime) para Académico, continuei a ir ver os jogos.
Agora só com o meu padrinho e o tio Fernando.
Porque o meu pai se recusava a ir ver algo que não lhe dizia nada.
A Académica era a Briosa, ligada à Academia, aos estudantes, às tradições de Coimbra.
O Académico não era nada.
Deixou de ir o meu pai, continuámos nós.
Até que a Académica voltou, passou por dificuldades, mas continuou e cresceu.
Porque aquele clube é único.
Principalmente na capacidade de formar.
Jogadores, treinadores, pessoas.
Tinha aqui vaticinado que a ligação entre a Académica e Pedro Emanuel ia ser muito frutuosa.
Tinha tudo para o ser.
Está aí a prova.
Imagino agora as capas negras soltas ao vento no Vale do Jamor, tenho a balada de Coimbra no ouvido, o coração a transbordar de emoção e ambição.
E a recordação das palavras de um antigo craque do clube (Artur Jorge) na memória - "as finais são para ganhar, não é só para jogar!!"
Seja qual for o adversário.
Lembrem-se dessas palavras, rapazes!
EEEEFERREÁ!!!!!

13 comentários:

  1. great blog!!! following you now...

    visit my blog...

    http://voguelyvan.blogspot.com/

    kisses!!!

    ResponderEliminar
  2. Vambora, Briosa! Já agora, parabéns pelo excelente (e sentido) post que escreveu.

    ResponderEliminar
  3. dina,
    Visited already :))

    VICI,
    Sentido, mesmo!
    Fez-me recordar grandes momentos.
    E espero que a alegria e a emoção se prolonguem agora no Jamor.
    BRIOOOSA!!!
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  4. Pedro,

    antes de mais, os meus sinceros parabéns pelo feito da "sua" Briosa, eles mereceram (mais por este jogo do que pelo de Coimbra)!

    Quanto ao vencer a Taça é uma ambição legitima se o adversário for o "fraquinho" Zpórtem, agora se for o CD Nacional da Madeira vai ser mais "renhido" seria um jogo de tripla.

    Como seria bonito, Pedro, se as duas equipas que tem o negro como cor principal se encontrassem no Jamor! A festa ia ser bonita, pá!!!

    Aquele abraço!

    ResponderEliminar
  5. Briosa Sempre! Para grande tristeza de um adepto do Oliveirense que conheço :p Mas a vida é mesmo assim a tristeza de uns resulta na felicidade de outros, e como já não está o meu SLB nem o seu FCP na Taça, torçamos pela nossa sempre querida Briosa!*

    ResponderEliminar
  6. Ricardo,
    É mesmo uma emoção para mim ver a Briosa no Jamor.
    Seja qual for o adversário, quero ver a Académica a jogar para ganhar.
    E, conhecendo muita da malta que vai ao Jamor, digo-lhe que a festa vai mesmo ser bonita.
    Está ali a formar-se outro grande treinador, Ricardo.
    Mais um.
    Aquele abraço

    Catarina,
    A festa que eu faria se estivesse ontem em Coimbra!!
    Só saía da Praça da República quando, como dizia um bom amigo já desaparecido, fôssemos só nós e os homens do lixo
    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Pedro... Acho que fôssemos só nós e as senhoras madrugadoras que vão ao mercado :D

    ResponderEliminar
  8. Parabéns à Académica.

    Mereceu, pelo conjunto dos dois encontros, o carimbo no passaporte até ao Jamor.

    Lembra-se, caro Pedro, dos tempos em que na 'briosa' só actuavam portugueses e, fundamentalmente, estudantes de Coimbra?
    Saudades!

    Agora é só esperar pelo jogo de logo à noite.
    Sporting ou Nacional?
    Alô sportinguistas: o vosso clube tem que marcar golo(s).

    E a final não é jogo para tripla (ai que o nosso querido Amigo Ricardo anda distraído!!!). É jogo único. Eventualmente com prolongamento e pontapés na marca de grande penalidade.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  9. Pedro

    Força BRIOOOOSA!

    Não sou rapaz mas conheço e lembro-me da palavra!

    O convivio com os familiares eram importantes nesses momentos.

    Beijinho de benfiquista

    ResponderEliminar
  10. Pedro,
    Junto-me ao seu contentamento.
    EEEEFERREÁ!!!!!
    Beijinhos. :))

    ResponderEliminar
  11. Vamos lá a ver se não tenho que me dividir pois sou do Sporting e logo a seguir da Académica...
    Bjs.:))

    ResponderEliminar
  12. Catarina,
    Era essa a lógica do Zeferino.
    Conhece o Café Ritz (acho que ainda existe), perto do José Falcão, ao lado do Avenida?
    O Zeferino, um tipo incrível, era o filho do dono desse café.
    "Temos que ser só nós e os homens do lixo, pá!!"
    Também deve estar a festejar a presença da Briosa no Jamor lá onde ele está a descansar.
    Bjs

    António,
    Lembro-me tão bem!!
    Tenho 47 anos, comecei a ir aos jogos ainda garotinho, então não me lembro?
    E tive o prazer, e a sorte, de conhecer muitos pessoalmente.

    Lembra-se do Jorge Humberto, o homem que foi o primeiro português a sair de um clube português para o estrangeiro (saiu da Académica para Itália, para o Inter de Milão)?
    Fixou-se em Macau, e por aqui continua, há mais de trinta anos.
    Como médico (pediatra).

    Era essa Académica que o meu pai adorava, António.
    E que eu ainda tive o privilégio de conhecer.
    Para além de ter tido o privilégio de ter o Bentes, o terrível "Rato Atómico", como meu professor de escola primária.
    Era um tipo excepcional!!!

    Tenho fé que a Briosa vá buscar o "caneco" ao Jamor.
    E vai haver festa, António.
    Porque a malta de Coimbra vai fazer festa.
    Disso tenho a certeza.
    Seja qual for o resultado.
    Aquele abraço

    Adélia,
    Não eram só os rapazes.
    E esse espírito de festa e família ainda se vai mantendo por Coimbra.
    Por exemplo, a minha prima, um pouco mais velha que eu, que não ia ao futebol, passou a ir ver os jogos com o meu padrinho já ele estava muito debilitado física e mentalmente.
    Esses momentos ficam, marcam, Adélia.
    E são tantas as minhas amigas que já têm feita a promessa de estar no Jamor.
    Amigas com quem ia aos jogos da Académica já na adolescência.
    Era bonito, ficou na memória.
    Talvez por isso não me envolvo em discussões estéreis por causa de jogos de futebol, não falto ao respeito a nenhum clube.
    Brinco com todos.
    Não falto ao respeito a nenhum.
    Beijinho

    ana,
    Tenho muitos amigos, e familiares, que estão na mesma situação, com o coração dividido.
    Eu estou com o coração a transbordar de alegria e emoção por ver a Académica na final da Taça.
    Mais do que se fosse o Porto.
    O Porto está lá muita vez, a Académica não.
    Vamos buscar o caneco!!!
    EEEEFERREÁ!!
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. Já que a "minha" UD Oliveirense não conseguiu dar a volta ao resultado, dou os meus parabéns à Briosa.
    Sinceramente desejo faça a festa no Jamor.

    Abraço

    ResponderEliminar