23 de fevereiro de 2012

Derrotados, goleados e eliminados. O resto é treta!


Cito Luís Sobral  (maisfutebol) - "Para Vítor Pereira, este foi um F.C. Porto «de grande qualidade». O treinador saiu da Liga Europa com queixas da arbitragem, insinuações sem sentido e a frase que marca: o resultado «é uma mentira». Não podia discordar mais. Não se tratou de uma mentira mas sim de uma verdade dolorosa. E talvez fosse uma boa altura para o treinador a enfrentar. Antes que alguém o faça por ele."
Quando se perde um jogo por 4-0, e uma eliminatória por 6-1; quando, num jogo em que não se podia sofrer golos, se sofre um golo aos 19 segundos!!!; quando se apresentam "novidades" estúpidas (Vítor Pereira insiste em Maicon como lateral e vai queimando confiança a Sapunaru; em não jogar com um "9" e vai queimando confiança a Kléber e baralhando Hulk e Varela); quando se fazem mais de vinte remates num jogo e só três vão na direcção da baliza; vir com um discurso destes é ridículo!
As grandes equipas (incluindo treinadores), os grandes jogadores, não se definem por terem muita posse de bola.
Definem-se por saber o que fazer com a bola sempre que a têm.
Foi essa a lição do City.
Sem ter muitas vezes a bola, sempre que a tinha (foi assim nos dois jogos) sabia o que fazer com ela.
E criava perigo e marcava golos.
Tão simples quanto isso.
Precisamente o contrário do Porto.
Para terminar em beleza uma noite (uma eliminatória!!) deprimente, Maicon lesionou Otamendi (correu-lhe tudo mal), Rolando foi expulso de uma forma estúpida (descontrolo total), o Porto apresentou queixa na UEFA contra os adeptos do City por alegados insultos a Hulk (vingançazinha torpe da queixa apresentada pelos Citizens com base em alegados cânticos racistas no Dragão).
Mau em demasia!
Mau treinador, má atitude (do treinador, dos jogadores, dos dirigentes), mau perder.
Uma página muito triste que deve ser enfrentada, que deve motivar reflexão e levar à tomada de medidas sérias.
Não ao recurso a desculpas idióticas e discursos patéticos.

10 comentários:

  1. Devo dizer-lhe que quando vi o resumo do jogo e ouvi as declarações do treinador foi precisamente nisto que pensei.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Desculpe Pedro mas nem sempre os resultados dizem tudo e este é um desses casos. Porque até aos 76 minutos esteve tudo em aberto.
    Já agora esse Sobral é um ressabiado de primeira. Citando a Marca "Los de Mancini jugaron pensando más en el marcador de la ida y en el tanto que marcó Agüero a los 19 segundos de partido que en la pelota y castigaron durante a un equipo que mereció mucho más tanto en el duelo de ida como en el de vuelta."

    ResponderEliminar
  3. VICI,
    O discurso redondo do Vítor Pereira, semelhante ao do jovem adepto da claque Super Dragões, é deprimente.
    O Porto está a jogar "à molhada" por causa daquele incompetente.
    Depois espera por milagres?
    Abraço

    Hugo,
    O City é uma equipa moderna, eficaz.
    O Porto do Vítor Pereira é o oposto.
    O Sobral escreve muitos disparates.
    Não é este o caso.
    Fazer meiinhos, andar muito tempo com a bola nos pés, interessa a quem?
    Quantas oportunidades claras de golo teve o Porto?
    Estou farto deste tipo, Hugo!
    É incapaz, incompetente, chorão.

    ResponderEliminar
  4. Pedro,

    não vi o jogo, mas alguém insuspeito - por ser benfiquista e meu pai - disse-me que o FC Porto merecia mais, isto é, não perder com uma margem tão dilatada.

    É certo que o VP é um incompetente de primeira - já o havia provado no Santa Clara (Açores) - mas, eu pergunto, que "injecção de moral" se dá a um treinador quando na bancada temos a nos observar o nosso antecessor (que teve muito sucesso no cargo) ladeado pelo Presidente e pelo responsável pelo futebol?

    Que imagem foi essa que Pinto da Costa e Reinaldo Teles quiseram transmitir?

    Olhe, Pedro, sabe que mais se eu fosse o Vítor Pereira apresentava a minha demissão já e que fosse para lá o Domingos ou o Villas-Boas ou o raio que o parta, mas eu já não seria!!!

    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  5. Ricardo,
    Quem tem vergonha na cara, e dignidade, faria isso que diz.
    Este cretino vê conspirações da UEFA, dos árbitros, dos marcianos que andam por aí.
    Só não vê a m#$^&* que faz!!

    E eu, com todo o respeito pela opinião do seu pai, não vou pelo caminho do merecer, Ricardo.
    O City é o protótipo de uma equipa moderna, eficaz, mortífera.
    Andar a fazer festinhas à bola não me interessa minimamente.
    O que eu quero é ganhar.

    O Porto do Mourinho jogava bonito?
    Nem nada que se pareça.
    Mas ganhava.
    E isso é que conta, Ricardo.

    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  6. Nem comento.
    Porque não vale a pena 'bater mais no ceguinho'
    Obviamente estou a referir-me a Vítor Pereira.

    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Mas este é dos tais ceguinhos que não querem ver, António.
    Que são os piores.
    Ele vê coisas que mais ninguém vê.
    E não vê o óbvio, o que se mete pelos olhos dentro.
    Não há paciência!!
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  8. O Vítor Pereira foi uma aposta do Pinto da Costa. Está em jogo também o orgulho do presidente portista, certamente. Lembremo-nos que ele raramente se enganou nos treinadores que escolheu.

    ResponderEliminar
  9. O resultado foi enganador, concordo, mas não jogámos nada!

    ResponderEliminar
  10. FireHead,
    Mas, quando se engana, é com cada engano!! (Octávio, Del Neri, Fernandez,...)

    O resultado foi pesado, Carlos?
    Porque o City é de uma eficácia tremenda.
    Veja-me aquele primerio golo.
    O Touré rouba a bola, cabeça levantada, passe de imediato, toque do Aguero e golo.
    Isto é futebol moderno, eficaz.

    ResponderEliminar