15 de fevereiro de 2012

Até prova em contrário, acredito no que diz Domingos


Ontem, em conversa com um bom amigo, grande sportinguista, comentava que era estranho o silêncio de Domingos face a tão graves acusações que lhe eram dirigidas.
Domingos deve ter escutado a nossa conversa.
O comunicado que emitiu não deixa espaço para quaisquer dúvidas.
Domingos não só nega com veemência quaisquer contactos com dirigentes do Futebol Clube do Porto, como se indigna com as notícias postas ontem a circular na imprensa.
Vai mais longe (tinha que ser assim) e afirma que vai processar judicialmente os responsáveis pela difusão dessas notícias.
A presunção de inocência, um dos princípios básicos que regem a minha vida, tem aqui uma das suas nuances.
Domingos não é acusado de ter cometido nenhum crime.
Mas é acusado de uma conduta, pessoal e profissional, abjectas.
A assertividade com que reage a tais acusações, o teor escorreito do comunicado, a revolta que transparece das suas palavras, levam-me a acreditar que Domingos não terá efectivamente tido o comportamento que lhe foi atribuído.
Uma convicção que se vê reforçada pelo facto de tais actos não estarem nada de acordo com a ideia que tinha formada acerca do cidadão e do profissional Domingos Paciência.
Como também não gosto da solução fácil que é o "mate-se o mensageiro", fico à espera que quem tão rapidamente divulgou tão graves notícias seja do mesmo modo pressuroso a apresentar provas das graves acusações que proferiu.
Até que essas provas apareçam, acredito na palavra e na honra de Domingos Paciência.

9 comentários:

  1. Também eu acredito no Domingos, Pedro!

    Foi uma canalhada o que lhe fizeram, o que revela a falta de nível que grassa naquela Direcção.

    Agora só tenho um desejo, com excepção das competições europeias, é que percam a maioria dos jogos que realizarem até ao final da época.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Eu também acredito! Até porque segundo consta, quando o Sporting fez o primeiro contacto com o Paciência o acordo ficou "apalavrado" e não definido e assinado em papel, e entretanto o Vilas Boas saiu do FCP e terá havido contacto do Pinto da Costa e ele honrou o seu acordo "apalavrado" (coisa difícil de acontecer hoje em dia)e foi para o Sporting ao invés de ir directo para o clube do seu coração! Isso demonstra que é um homem de honra e homens de honra não fazem o que andam a dizer, além do mais, falta de honra tem quem faz denúncias anónimas...

    ResponderEliminar
  3. Caro Pedro,
    Continuo a acreditar no Domingos Paciência, pois também tenho formada uma opinião positiva acerca do Profissional que sempre foi
    e do Cidadão que é. Penso que por onde passou quer como jogador, quer como treinador, sempre mostrou humildade, caracter e personalidade dignos de louvar.
    Infelizmente e cada vez mais temos um jornalismo que tenta sobreviver com calúnias e infâmias.
    Quanto à direcção do Sporting, recheada de figuras sedentas de poder, continua a não saber proteger os seus profissionais e a não saber estar no mundo do futebol.
    Desejo tudo de bom para o Domingos Paciência muito sinceramente.

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Jorge,
    Essa canalhada envolverá Sá Pinto, o mesmo que hoje veio afirmar que é amigo de Domingos, quando já não se falam há uma série de anos (desavenças na Selecção)?
    Ou apenas a direcção do Sporting e aquela gente que ali anda à volta desde tempos imemoriais (manos Xavier e quejandos)?
    Com estes desvarios, o seu desejo cumpre-se.
    Têm tudo para perder muito e durante muito tempo.
    Aquele abraço

    Catarina e Filipe,
    Eu ontem fiquei aborrecido porque também é essa a imagem que tenho do Domingos.
    Quer quando esteve no Porto, quer depois na Académica (a malta de Coimbra gosta muito mais dele que, por exemplo, do Villas-Boas), finalmente no Braga.
    Sempre que mudou, para Espanha enquanto jogador, e depois enquanto treinador, nunca se socorreu destas manobras sujas.
    Foi transparente nos processos, de uma lisura de carácter que não se mistura com estas figuras.

    Essas fontes anónimas são sempre um grande trunfo para os cobardes, Catarina.

    E, nessa onda, sabe porque é que temos esse jornalismo, Filipe?
    Porque, como aqui já referiu mais do que uma vez o António, que conhece bem o meio, vender jornais (e são bastantes) todos os dias, exige sensacionalismo, "sangue".

    Abreijos

    ResponderEliminar
  5. Repare-se que o Domingos provavelmente nega que ele tenha tido contactos com o FCP, mas isso não invalida que alguém da sua parte tenha tido contactos com o FCP.

    ResponderEliminar
  6. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Os leões não quiseram ficar a trás do coelho já que este cort os feriados os leõs passaram a cortar os domingos!...
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  7. Pedro
    Acreditar é uma palavra que não está sendo fácil, mas vamos fazendo um esforço!

    Meu amigo é claro que me derreti com o post de ontem do Rodrigo, mas ontem à noite não tivemos net para poder responder.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  8. A Lusa já veio dizer que afinal se enganou e pediu desculpa. No entanto, foi preciso que Pinto da Costa dissesse que teria muito gosto em ir a Tribunal dizer quem invento a história.

    ResponderEliminar
  9. Lucas,
    Remeto-o para o comentário do Carlos.
    Está tudo dito.

    Amigo Cambeta,
    Lei das compensações :))
    Aquele abraço

    Adélia,
    Mas olhe que eu acreditei no Domingos.
    Estava até muito desiludido porque sempre o tive por um homem digno.
    A confirmarem-se aquelas notícias, era o oposto.
    Afinal, pelos vistos, continua a ser o homem digno que sempre foi.
    Ao contrário de outros à volta dele.

    Uma prenda simples, singela, mas, por isso mesmo, muito bonita, Adélia.

    Beijinho

    Carlos,
    Que lixo!!!
    Então agora é assim?
    Enganámo-nos.
    Desculpem qualquer coisinha.
    O que dizia um amigo meu (jornalista) - "Podemos afirmar que fulano de tal é um grende maricas. Só não temos é provas."
    E isto faria notícia de primeira página.
    Depois pedia-se desculpa pelo engano e pelo incómodo.
    Eu gostava de ver Pinto da Costa no Tribunal a dizer quem foi.
    E ele, quando diz estas coisas, sabe do que é que está a falar.
    Que nojice!!
    Aquele abraço

    ResponderEliminar