16 de dezembro de 2010

Juízes (des)conversando ...


Por coincidência, dois juízes encontram-se no corredor de acesso a um motel e, constrangidos, reparam que cada um estava com a mulher do outro.

Após alguns instantes de silêncios e de "saia justa" mas, mantendo a compostura própria de magistrados, em tom solene e respeitoso um diz ao outro:

- Nobre colega, não obstante este fortuito imprevisível, sugiro que desconsideremos o ocorrido, crendo eu que o CORRECTO seria que a minha mulher venha comigo, no meu carro, e a sua mulher volte com Vossa Excelência no seu.

Ao que o outro respondeu:
 
- Concordo plenamente, nobre colega, que isso seria o CORRECTO, sim... no entanto, não seria JUSTO, levando-se em consideração que... vocês estão saindo... e nós estamos entrando…

5 comentários:

  1. Os juízes são realmente muito educados, Catarina.
    E de um civismo incrível, não é?! :)

    ResponderEliminar
  2. Engraçado, já tinha ouvido essa história, mas com dois advogados :)

    ResponderEliminar
  3. Olá redonda,
    Visitei ontem o seu blogue por indicação do Carlos Barbosa Oliveira.
    E gostei muito.
    A anedota, efectivamente, com juízes ou advogados, resulta bem :)

    ResponderEliminar
  4. :) Também estou a gostar do seu blogue :)

    ResponderEliminar