9 de dezembro de 2010

COMO CHAMAR A POLÍCIA EM PORTUGAL...


Tenho um sono muito leve, e numa noite destas notei que estava alguém a andar sorrateiramente no quintal de casa.

Levantei-me em silêncio e fui acompanhando os leves ruídos que vinham lá de fora, até ver uma silhueta a passar pela janela do quarto.

Como a minha casa até é muito segura, com alarme, grades nas janelas e nas portas, não fiquei preocupado, mas claro que eu não ia deixar um ladrão andar ali tranquilamente.

Telefonei para a polícia, a informar sobre a ocorrência e dei a minha morada.

Perguntaram-me se o ladrão estava armado ou se já estava no interior da casa.

Esclareci que não.

Então disseram-me que não tinham nenhuma viatura por perto para ajudar, mas que iriam mandar alguém logo que fosse possível.

Um minuto depois liguei de novo e disse com a voz calma:

- Eu liguei há pouco porque estava alguém no meu quintal.

É para informar que já não é preciso muita pressa, porque eu já matei o ladrão com um tiro de uma pistola calibre 9 mm , que tinha guardada cá em casa, já há anos para estas situações.

O tiro fez um belo buraco no pobre diabo!

Passados menos de três minutos, estavam na minha rua cinco carros da polícia, um carro do INEM, uma unidade de resgate, duas equipas da TVI, uma da SIC e um representante duma entidade de direitos humanos.

Acabaram por prender o ladrão em flagrante, que ficou boquiaberto a olhar tudo o que se estava a passar, com cara de parvo.

Talvez ele estivesse a pensar que aquela era a casa do Comandante Geral da PSP.

No meio do tumulto, o policia encarregue desta operação, aproximou-se de mim e disse-me:

-Pensei que tivesse dito que tinha morto o ladrão!!!

Eu respondi:
 
- Pensei que tivesse dito que não havia nenhuma viatura disponível!


4 comentários:

  1. Caro Pedro Coimbra,

    Esse diálogo de pensamentos tem a sua graça e mostra que cada um sabia o que estava a fazer...
    Mas se o dono da casa não tivesse feito o segundo telefonema, provavelmente a polícia teria aparecido com um um par de agentes num carro meia hora depois, quando o risco de confronto com o ladrão tivesse desaparecido!!!
    Isso até representa prudência, pois têm sofrido tantas agressões vindas dos malfeitores...!!!

    Um abraço
    João
    Do Miradouro

    ResponderEliminar
  2. "Viver não custa; é preciso é saber viver!" Badaró
    Adapta-se perfeitamente a este caso.

    ResponderEliminar
  3. Como ex-agente policial, mas do mar, nunca me aoonteceram coisas destas tão bizarras, mas sei, e algumas se passaram comigo, que a PSP, assim actua.
    Não como no caso acima narrado, mas sim em serviço de colaboração, nunca tinham agentes disponíveis, reporto-me aos anos 80, 90 em Coloane.
    Adorei a história, mas o caso concreto passado o ano passado em Portugal, o sujeito que estava sendo assaltado matou o ladrão, resultado foi preso e condenado a 13 anos de prisão, é assim que funciona a justiça em Portugal.
    Um abraço amigo

    ResponderEliminar
  4. As anedotas têm sempre um fundo de verdade.

    ResponderEliminar