13 de dezembro de 2010

Acabe-se a tanga e venha daí o tango!

Deve ter sido algo deste género que Jorge Jesus transmitiu aos jogadores do Benfica antes do jogo de ontem com o Braga.
Se foi, resultou.
Pelo menos em parte.
O Benfica ganhou o jogo (2-0), com dois "golos argentinos" (Saviola e Aimar), afastou o Braga da Taça de Portugal, e a equipa benfiquista, e o seu treinador, podem respirar um pouco mais tranquilamente nos próximos dias.
Vindas de jogos, derrotas, e eliminações na Champions League a meio da semana, Benfica e Braga precisavem de ganhar este jogo.
Porque uma vitória traria um extra de motivação.
Porque uma derrota representaria o afastamento precoce de mais uma competição.
Com este enquadramento, e depois de um jogo fraco, o Benfica sorri.
O Braga anseia pela paragem do campeonato para recarregar baterias.
No que se refere ao jogo em si, o Benfica dominou (domínio conseguido ou consentido?) mas nunca conseguiu criar grandes problemas ao Braga.
Ainda assim, conseguiu chegar ao golo num lance pouco vulgar.
Maxi Pereira faz o lançamento da linha lateral, Javi Garcia toca de cabeça e Saviola aparece muito rápido na área a finalizar.
Tudo com os jogadores do Braga a verem jogar.
O Braga reage, não cria grandes oportunidades e é o Benfica que está mais perto do segundo golo.
Ainda assim, no último minuto do tempo regulamentar, Júlio César efectua uma defesa extraordinária a cabeceamento de Alain eviatndo o golo do empate.
Logo a seguir, com o Braga apostado em chegar ao prolongamento, e depois de várias insistências, Aimar acaba com o jogo.
O Benfica segue em frente, vai agora defrontar o Olhanense para acertar contas com os outros clubes e poder aceder aos quartos-de-final da Taça de Portugal.
Notas que ficam de um fim-de-semana em que dois candidatos à vitória no Jamor (Sporting e Braga) ficaram pelo caminho.

Sem comentários:

Enviar um comentário