20 de agosto de 2010

Pior que uma decisão estúpida, só mesmo duas decisões estúpidas

 Conhecem aquela canção do "alifante"?
Se um "alifante" incomoda muita gente,
Dois "alifantes" incomodam muito mais.
Se dois "alifantes" incomodam muita gente,
Três "alifantes" incomodam muito mais.
(E por aí fora "ad eternum")?
Lembrei-me dela na sequência do anúncio da decisão tomada pela FPF (Conselho de Disciplina) de castigar Carlos Queiroz com um mês de suspensão e uma multa de mil euros.
Tudo tendo como base as palavras insultuosas que o seleccionador dirigiu às partes "pudibundas" da mãe de um dos responsáveis pelo controlo anti-doping.
Uma decisão estúpida, sobretudo porque tomada num momento em que se aproximam os primeiros jogos de apuramento para o Europeu de 2012, um deles com a Noruega.
Mas, como na canção do "alifante", para que não houvesse só uma decisão estúpida (tal como os aguaceiros isolados, era capaz de se sentir muito só!!), a FPF decidiu instaurar novo processo disciplinar a Carlos Queiroz, agora por causa de uma entrevista ao Expresso, na qual criticava Amândio de Carvalho (há quantos anos anda esta criatura a vegetar na FPF??).
Já todos percebemos o que é que está aqui verdadeiramente em causa, não é?
Laurentino Dias quer afastar Carlos Queiroz.
Mas não o quer fazer directamente.
Para não irritar a FIFA (interferência do poder político no futebol) e para não ter de lhe pagar um tostão de indemnização (uma rescisão sem justa causa "vale" três milhões de euros), recorre a subterfúgios patéticos. 
E Carlos Queiroz afiança que não abandona a selecção "nem morto"(sic).
Com três milhões de euros no bolso a conversa já era capaz de ser outra, mas enfim....
No meio deste circo, há uma selecção orfã de treinador, divorciada do público, que suscita um entusiasmo semelhante ao que suscita a canção do "alifante".
Que tristeza!!

2 comentários:

  1. Disse tudo: uma estupidez pegada! Falta coragem para tomar decisões e depois dá nisto...

    ResponderEliminar
  2. Aqui há dias, o fenomenal Arcebispo de Cantuária dizia que finalmente tinha percebido o porquê de o bailado ter o título "O Quebre-Nozes".
    Era então porque o bailario tinha que fazer a espargata!!
    A malta da FPF também deve ter tentado.
    E quebraram mesmo as "nozes".
    Só pode ser isso.

    ResponderEliminar