6 de dezembro de 2011

Sabedoria e erudição


SABEDORIA vs ERUDIÇÃO
(estória árabe)


Um homem morreu. Possuía 17 camelos e 3 filhos.
 
Quando seu testamento foi aberto, dizia que a metade dos camelos seria do filho mais velho, um terço seria do segundo e um nono do terceiro.

O que fazer?

Eram dezessete camelos; a metade seria dada ao mais velho.

Então um dos animais deveria ser cortado ao meio?

Isso não iria resolver, porque um terço deveria ser dado ao segundo filho. E a nona parte ao terceiro?
 
É claro que os filhos correram em busca do homem mais erudito da cidade, o estudioso, o matemático. Ele raciocinou muito e não conseguiu encontrar a solução - matemática é matemática.
 
Alguém sugeriu: "É melhor procurarem alguém que conheça sobre camelos ao invés de matemática". Foram então ao Sheik da cidade, um homem bastante idoso, inculto, porém sábio por sua experiência. Contaram-lhe o problema.

O velho riu e disse:

- "É muito simples, não se preocupem".

Emprestou um dos seus camelos - eram agora 18 - e depois fez a divisão.

Nove foram dados ao primeiro filho, que ficou satisfeito.

Ao segundo coube a terça parte - seis camelos; e ao terceiro filho, foram dados dois camelos - a nona parte.

Sobrou um camelo: o que foi emprestado.

O velho então, pegou seu camelo de volta e disse: "Agora podem ir".
 
..............................................................................................................

Essa estória foi contada no livro "Palavras de fogo", de Rajneesh.

Serve para ilustrar a diferença entre a sabedoria e a erudição.

Ele conclui dizendo:

"A sabedoria é prática, o que não acontece com a erudição. A cultura é abstrata, a sabedoria é terrena; a erudição são palavras e a sabedoria é experiência".

15 comentários:

  1. Aquilo que se costuma designar por saber de experiência feito, Catarina

    ResponderEliminar
  2. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Genial a estória.
    O ministro das finanças de Portugal devia aprender esta lição.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  3. Esse é mais erudito.
    Nem tanto sábio, Amigo Cambeta.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  4. Pedro,

    pelas razões explanadas no meu blog, este seu post é, para mim, fenomenal.

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Ricardo,
    Acorrentar as crianças a empinar matérias serve para quê?
    Para as enervar desde tenra idade?
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  6. Coimbramigo
    . يوم جيد!

    أعجبني حقا ولذا فإنني أشكركم مرة أخرى، الله عظيم، ومحمد رسول الله.. في ماكاو على ما يرام؟ عندما يموت، نعم.بالمناسبة : إذا كنت شاهدت عبد هكذا حتى يمنحك أطوال والاعراض. المترجم جوجل يرسل لك وعناق وأنا، وآخر

    PARA OS MENOS HABILIDOSOS DE COISAS DA LÍNGUA
    Bom dia!
    Gostei muito e por isso estou uma vez mais a agradecer-te, Alha é grande e Maomé é o seu profeta.. Em Macau vai tudo bem? Ao que perece, sim. Já agora: se vires o Abdul Assim Assim dá-lhe comprimentos e larguras. O Tradutor Google manda-te um abraço e eu, outro

    ResponderEliminar
  7. Não deixa de ser uma solução matemática :)* Mas é uma grande história sem dúvida! Por vezes a solução está diante dos nosso olhos e não se vê, e aí entra a parte da sabedoria, que é mais prática do que a erudição!*

    ResponderEliminar
  8. FerreirAmigo,
    Se algum dia deixas de vir aqui comentar, fecho o blogue!!
    Nem de propósito, a minha mulher está agora a gramar o frete de aturar uns árabes que estão aqui para fazer uma promoção de cozinha.
    Daqueles moços que se recusam a ficar sentados na mesma mesa que uma senhora, muito menos cumprimentá-la.
    Sugeri à minha mulher que deixasse cair a faca assim num sítio doloroso.
    Sem querer, claro...

    Eu sabia que a Catarina vinha aqui dizer que há uma solução, uma fórmula matemática, que explica isto.
    Mesmo virtualmente, vamos conhecendo tão bem as pessoas :))

    ResponderEliminar
  9. Claro que a "estória Árabe" está bem "construída", mas como não podia deixar de ser, para quem tiver algumas noções de matemática seria facilmente desmontada, ou seja, seria inmpossível que um matemático não visse imediatamente onde está o erro.

    O caso é que 1/2+1/3+1/9 = 51/54 e não a 54/54.
    Bastará portanto acrescentar o que falta 3/54=1/17 para se poder fazer a operação !

    Seria então : 27/54+18/54+6/54+3/54 = 54/54
    .

    ResponderEliminar
  10. Rajneesh é nome árabe? Eu ia jurar que é indiano. :/

    ResponderEliminar
  11. Já conhecia, mas não me lembrava da solução...

    ResponderEliminar
  12. Rui,
    Tão evidente!!! :)))

    FireHead,
    Vendo como comprei.

    Carlos,
    O Rui explicou tudinho :))

    Gábi,
    Será que o camelo era o Areias?? :)))

    ResponderEliminar
  13. Sim Pedro, mas não se preocupe que desta vez não vou explicar :p

    ResponderEliminar