14 de dezembro de 2011

Porque razão foi Kléber convocado para representar a selecção brasileira?


"Não é à toa que fui convocado para defender a selecção brasileira".
Estas são palavras proferidas pelo ponta-de-lança do Porto em entrevista ao jornal O Jogo.
E eu concordo inteiramente com o que ele diz.
Efectivamente, não terá sido à toa que surgiu essa convocatória.
Bem pelo contrário.
Se bem entendo, houve um motivo muito concreto a presidir à mesma.
Ou melhor, dois - chamam-se Deco e Pepe.
Os responsáveis pela CBF foram surpreendidos com a carreira que estes dois jogadores fizeram na Europa.
Que os levou a representar os melhores clubes do Mundo.
Mas já naturalizados portugueses e a representarem a selecção nacional portuguesa.
E foi essa má experiência (Liedson é um caso completamente diferente) que terá estado na origem das convocatórias de Kléber.
Convocar o jogador para ser testado em jogos particulares, vedando-lhe assim o caminho a uma possível naturalização, em nada prejudica os interesses da selecção brasileira.
Se o jogador se valorizar no futuro, tanto melhor.
Ainda mais tratando-se de uma posição tão sensível como é a de ponta-de-lança.
Se, pelo contrário, não se afirmar, nada se perdeu também.
Em suma, Kléber tem razão - não foi à toa que foi convocado para representar a selecção brasileira.
Os motivos de tais convocatórias são até muito claros.
Sobretudo atendendo ao facto de o jogador ainda não ter provado rigorosamente nada em termos de valor para representar a selecção brasileira.

7 comentários:

  1. Pedro,

    onde é que eu assino?

    Absolutamente de acordo com o seu magnifico texto.

    Aquele abraço, caro amigo!

    ResponderEliminar
  2. E é natural que, mais dia menos dia, seja Fernando a ser convocado, Ricardo.
    E precisamente pelos mesmos motivos.
    O próprio Kléber terá consciência deste facto.
    Aquele abraço

    (Como é que vão as mudanças?)

    ResponderEliminar
  3. E faz o Brasil muito bem, que é para não haver mais brasileiros a representarem selecções que não o Brasil.

    ResponderEliminar
  4. Pedro
    Passo para deixar um beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  5. FireHead,
    Mas continuam espalhados por várias selecções.
    No entanto, Deco e Pepe foram casos únicos de sucesso.
    E fizeram disparar o alarme na CBF

    Adélia,
    Um beijo também

    ResponderEliminar
  6. Nunca tinha pensado nisso, por esse ponto de vista !... mas deve mesmo ser isso. O Fernando, sim, acho-o indispensável no FCP e porque não no Brasil ? Concordo plenamente !
    .

    ResponderEliminar
  7. Rui,
    Os brasileiros ficaram queimados com os casos do Deco e do Pepe.
    E não querem repetir a má experiência.
    Avançados como o Kléber haverá às centanas no Brasil.
    Mas, nunca fiando.....

    ResponderEliminar