8 de outubro de 2012

Recado para amigos




NÃO faça nas URNAS o que costuma fazer na sanita, pois na sanita você faz a descarga e não vê mais, mas nas urnas você leva 4 anos a ver a merda que fez.

13 comentários:

  1. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    É mesmo, é por causa disso que nunca votei.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  2. Amigo Cambeta,
    Não é segredo que sou abstencionista há alguns anos.
    Mas não fico nada feliz por o ser.
    Bem pelo contrário.
    Gostaria muito que me fossem apresentadas soluções, e pessoas, credíveis para eu abandonar este estado.
    Mas não vislumbro essa possibilidade num horizonte próximo.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Há gente que anda quatro anos sem defecar (que termo fino!!!) para despejar tudo ... nas urnas.

    :)

    ResponderEliminar
  4. Ou, dito de outra forma, quando a prisão de ventre dá em diarreia, não é António? :)))

    ResponderEliminar
  5. Há que ter muito cuidadinho com o intestino, Catarina, muito cuidadinho mesmo :))

    ResponderEliminar
  6. O problema é quando nós levamos com a merda que não fizemos! :)

    ResponderEliminar
  7. Que e o que acontece na maioria das vezes, FireHead.

    ResponderEliminar
  8. Caro amigo Pedro Coimbra!
    Aqui o voto é obrigatório dos 18 até os 70 anos.
    Caloroso abraço! Saudações cívicas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
  9. Carlos,
    Acredita nisso?
    Eu, francamente, não.
    Será, novamente, uma discussão a dois.
    Os mesmos dois.
    Como no futebol.


    Prof. João Paulo de Oliveira,
    Se o voto for obrigatório em Portugal, algo com que não concordo, eu votarei.
    Até lá, e sem opções válidas, não voto.
    É que, no dia da eleição, preocupo-me com tudo, menos com a dita cuja.
    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  10. Com a falta de soluções ir ás urnas já é cª#$%a na certa, é que as opções são fracas, muito fracas! É triste, não queria tornar-me abstencionista nem votar em branco, mas estou prestes a enveredar por esse mesmo caminho, vivemos numa ditadura disfarçada de democracia, porque vá para o poleiro quem vá, eles cá fora são todos amiguinhos. Que desolação...

    ResponderEliminar
  11. Eu não gosto nada de ser abstencionista, Catarina.
    E espero poder deixar de o ser.
    Mas não vejo quando isso acontecera.

    ResponderEliminar