24 de outubro de 2012

O caso do Clio



MEUS QUERIDOS AMIGOS SOCIALISTAS.


Depois de ouvir o vosso líder parlamentar, numa extraordinária quão breve dissertação sobre os Renault Clio, venho pedir-vos que não gozem comigo, por ter comprado um, às prestações de 290 € por mês e usado. 
Não ando de Mercedes, BMW ou Audi, porque, como professor Catedrático do 4º escalão da Universidade de Coimbra, ( e Membro das Academias Nacionais da História, das Belas Artes, da Marinha, da Real Academia de Bellas Artes de San Ferando de Espanha e de mais meia dúzia delas, decano da área de Património das Universidades Portuguesas, Comendador da Ordem do Infante D. Henrique, Medalha de Mérito-Classe Ouro de Belas Artes, Medalha de Ouro da Cidade de Coimbra, e com cerca de 200 livros e artigos publicados, 12 com prémios, como o Prémio Gulbenkian ), não tenho dinheiro para mais.
Percebi, ontem, que é vergonhoso andar de Clio, em Portugal, que isso nos apouca.
Só que isso nos diminui aos olhos de quem, na vida, nunca fez nada e nunca trabalhou no duro, e passou a juventude na intriga e a comer, beber e viajar à conta dos partidos políticos, a esperar pacientemente nas Jotas, para chegar a adulto e, de preferência, como o Zorrinho, para entrar para uma loja maçónica e na Assembleia ou num gabinete ministerial.
Eu cá, loja, só a mercearia do meu Avô, na Rua do Corvo. 
Afinal já percebo porque é que as minhas netas, às vezes, não querem vir ao meu colo: não é por birra, é que têm vergonha por eu ter um Renault Clio.

Pedro Dias

13 comentários:

  1. Bem descrito o estilo de muitos portugueses com manias das grandezas!

    Gostei!

    Beijos

    ResponderEliminar
  2. E o Professor Pedro Dias até teria razões de sobra para ter caganças, Fatyly.
    Basta olhar para aquele CV tão pequenino.
    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Curiosamente não tive nenhum professor que andasse de Renault Clio, mas ainda bem que há excepções, a Renault até que tem carros jeitosinhos.

    Beijos

    ResponderEliminar
  4. O carro não faz do dono melhor ou pior pessoa, Catarina.
    O meu primeiro carro foi um Fiat 600.
    Velhinho, a cair de podre, depois reparado.
    Depois disso tive muitos carros.
    Alguns muito bons.
    O tipo que lá anda dentro não melhorou por causa dos carros serem melhores.
    Nem ficaria pior se os carros não fossem tão bons.
    Este episódio do Clio e muito triste.
    E revela umamentalidade muito tacanha.

    ResponderEliminar
  5. E eu que nem carro tenho? Estou mesmo a ficar pronto para regressar a Macau...

    ResponderEliminar
  6. FireHead,
    Sabe que o custo de vida disparou em Macau, não sabe?
    Ainda assim, vale a pena.
    Com defeitos, que quem gosta da terra tem o DEVER de apontar, com educação, ainda e um sítio onde se vive muito bem.

    ResponderEliminar
  7. Amigo, depois de ler este bem exposto artigo ja tenho vergonha de andar num carro superior ao Clio! Parabens pelo blog.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  8. Amigo, depois de ler este bem exposto artigo fiquei com vergonha de andar em carros superiores ao Clio! Parabéns pelo blog, ganhou mais mais um seguidor!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  9. Paulo J. Coelho,
    Antes de mais, seja muito bem vindo.
    O Prof. Pedro Dias é um bom exemplo.
    Vou-lhe dizer quem mais, em Coimbra, tem a desfaçatez de andar de Clio, um outro Pedro - o Pedro Emanuel.
    Era assim, não sei se ainda é.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  10. Gr. exemplo... Sou Cristão, com muitos defeitos, mas admiro com sinceridade a postura de um cidadão quer ele tenha uma instrução a nivél superior, médio ou baixo, porque apesar das diferenças, todos nós nos completamos segundo a palavra de DEUS... (para aqueles que acreditam)porque para os outros eu tenho que respeitá-los, foi assim que eu aprendi na minha vida..."respeitar os outros" Se calhar este nosso País e o mundo em geral, estaria bem melhor, se todos podessemos adoptar este GRANDE EXEMPLO DE VIDA...Não deixe de ser um Gr professor, mas continue a ser um GRANDE EXEMPLO...um abraço amigo.

    ResponderEliminar
  11. Gr. exemplo este do Prof. Pedro Dias...não o conheço, mas desde já o meu apreço, precisamos muitos "PEDROS DIAS" para podermos dar a volta à mentalidade que ainda está enraizada no nosso dia a dia...OBRIGADO pelo "NOBRE" exemplo, que DEUS o abençõe.

    ResponderEliminar
  12. Que o nosso Deus em quem eu acredito (e com todo o respeito para com os que não acreditam), o abençõe muito, pelo gr. exemplo de vida que nos deixa aqui...um abraço amigo...
    Obs: Talvêz se alguns de nós nos tornasse-mos seguidores deste extraordinário exemplo de vida, isto poderia andar bastante melhor...

    ResponderEliminar
  13. Alfredo Simões e Alfredo (presumo que sejam duas pessoas?),
    O Prof. Pedro Dias e um exemplo de simplicidade e de desprendimento.
    De alguém que sabe que e muito mais importante ser que ter.
    Infelizmente, e um exemplo isolado.
    Mais uma razão para ser divulgado.
    Os meus melhores cumprimentos

    ResponderEliminar