17 de outubro de 2012

A vida a bordo da Estação Espacial

Já imaginou como será a vida, o dia a dia,  a bordo da Estação Espacial Internacional?
Fica aqui um aperitivo.

9 comentários:

  1. Nunca apreciei tudo o que engloba naves espaciais e alguma vez eu conseguiria viver "nesse sufoco"?

    ResponderEliminar
  2. Como sou um bom bocado claustrofóbico, eu não conseguiria viver naquele ambiente, Fatyly.
    Mas acho piada aos movimentos deles, ao dia a dia, com ausência d gravidade.

    ResponderEliminar
  3. Caro amigo Pedro Coimbra!
    A lambisgoia da Agrado é atrevida mesmo, porque quer saber se a ausência de gravidade interfere na ereção...
    Caloroso abraço! Saudações inusitadas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
  4. Não era de todo para mim, até às casas de banho dos comboios me causam claustrofobia... Mas gostava de experimentar aquela coisa de beber gotas de água do ar :)

    ResponderEliminar
  5. Caro Prof. João Paulo de Oliveira,
    Lamento mas não poderei esclarecer a duvida da Agrado :)))
    Aquele abraço

    Idem, Catarina.
    E os cubículos das camionetas expresso?
    Passa logo a vontade.

    ResponderEliminar
  6. Também desisti desse projecto, Carlos.
    Ficar ali fechado, naquela coisa piquena, sem poder abrir as janelas para tomar ar, como a mulher do outro nos aviões, não, definitivamente não é para mim. :)))

    ResponderEliminar
  7. A conquista espacial é um assunto bastante interessante. Algo que me fascinava na minha juventude, e hoje não deixo de olhar com admiração a Curiosity em Marte. Estes são os primeiros passos para a saída dos humanos do Planeta Terra seguindo a sua evolução em direcção a outros mundos. Digo primeiros passos, pois as idas à Lua são um assunto controverso como abordei em APOLLO LU(t)A pela Verdade de 23.1.2011, no blogue AprenderVivendo Sociedade Justa [ http://aprendervivendosociedade.blogspot.pt/2011/01/apollo-luta-pela-verdade.html ].
    Apesar de considerar um assunto fascinante, presentemente considero o tema um pouco como alguém que possui uma gangrena num pé e está preocupado em colocar botox nas bochechas, ou termos as fundações duma casa minadas por térmitas e estarmos a pensar em aumentar mais um andar a essa construção sem resolvermos o que é primário. Enquanto não sanarmos os problemas que atormentam a Humanidade como iremos conseguir evoluir positivamente?
    Nada é estanque neste Planeta, tudo depende do resto, assim como o influencia. A evolução não pára, mas devemos reflectir nos valores apresentados no scrap editado em SEM MAIS PALAVRAS de 16.10.2012 do mesmo blogue! [ http://aprendervivendosociedade.blogspot.pt/2012/10/sem-mais-palavras.html ]
    Abraço
    JG

    ResponderEliminar
  8. João Guerreiro,
    A mim, a conquista espacial fascina-me nao só enquanto conquista em si mesma, mas também no que representa.
    Aquilo que o ser humano consegue, a ausência de limites.
    Mais, no que representa para outros domínios da ciência, nomeadamente a ciência medica.
    Temos que saber cuidar uns dos outros cá embaixo.
    Mas isso nao exclui que possamos, em simultâneo, procurar outras conquistas.
    Aquele abraço!

    ResponderEliminar