20 de junho de 2011

Ontem lembrei-me do Marco Paulo


Ontem, quando via as imagens daqueles pândegos a atirar ovos à porta da TDM (já atiraram ovos em tudo quanto é sítio, a TDM até se devia estar a sentir discriminada) lembrei-me do Marco Paulo.
Confusos? Eu explico.
Há já alguns anos, era eu estudante em Coimbra, numa das tradicionais Noites do Parque, o convidado foi o Marco Paulo, então no auge do sucesso como cantor pimba.
Trazer o Marco Paulo para aquele cenário, no meio de estudantes boémios e bem avinhados, tinha tudo para dar asneira.
E deu.
O Marco Paulo entrou em palco, deu dois pulos e dois berros e, ainda antes de começar a cantar, já chovia todo o tipo de objectos (muitos legumes, algumas pedras, algumas garrafas e.....isso mesmo!, ovos!!!).
O Marco Paulo, perante tão feroz ataque, recuou até ao fundo do palco e tentou minimizar os danos.
Mas o arremesso de objectos mantinha-se.
Acentuava-se, até.
Tudo isto enquanto as fãs agrediam os "malandros" (sic) com os guarda-chuva que tinham na mão.
Finalmente, a meio da terceira canção, o Marco Paulo irrompeu num choro convulsivo, disse que nunca tinha sido tratado assim, e anunciou que se ia embora.
Ao meu lado, encavalitado aos ombros de um matulão, um puto berrou indignado - "vai embora mas é o @#$%^&!!! Então e o que é que eu faço a isto??!!"
Exibiu então um saco de plástico, enorme, que libertava um fedor terrível.
Eram dezenas de ovos podres que ele tinha ciosamente guardado e que trouxera para "presentear" o Marco Paulo.
Ontem, ao ver aquelas imagens, dei comigo a pensar - será que aquela rapaziada conhece o episódio do Marco Paulo nas Noites do Parque e foi ali beber inspiração para levar a cabo tão original forma de protesto?
It's possible.....

11 comentários:

  1. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Essa de terem atirados ovos contra a TDM não sabia, mas não se ficou a perder nada, pois já a signa TDM diz tudo.
    Quanto ao Marco Paulo, deveria estar em início de carreira, para cantar músicas pimbas, quando ele é um cantor romântico, pa...., e alentejano.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  2. Bom dia
    Não conhecia este episódio e como sou contra todo o tipo de violência parece-me que:
    -Não havia necessidade......

    Não sou apreciador das músicas de Marco Paulo, mas ainda assim parece-me que fez uma grande carreira com muitos êxitos.
    Nunca poderei obrigar alguém a concordar comigo, mas devemos respeitar as diversas opiniões.

    ResponderEliminar
  3. Amigo Cambeta,
    Estava no auge da carreira.
    Cheiinho de fãs.
    Sobretudo senhoras de meia idade.
    Um abraço

    Luís,
    Obviamente foi uma parvoíce de boémios já com os copos.
    Mas, quem teve a infeliz ideia de convidar o Marco Paulo para actuar naquelas noites, presumo que era algo do género que procurava.
    O bom senso aconselhava a manter o nacional cançonetismo longe do Parque da Cidade.
    Deu barraca.
    Que era fácil de prever e evitar.

    ResponderEliminar
  4. Caro Pedro
    Coimbra a nível de certas gerações de estudantes, tem uns hábitos esquisitos. Creio não exagerar ao dizer que alguns cromos só se tornaram conhecidos graças às actuações em festas promovidas pelos estudantes. Estou a lembrar-me do "Ze Cabra".
    Um dia ouvi o Dr. Laborinho Lucio dizer que um jovem bem comportado, torna-se num adulto mal formado. Com base na ideia de que certos erros e exageros se não se cometerem na juventude fazem com que se tente fazer isso em adulto. E há coisas que num jovem se aceitam e num adulto não. Partilho dessa ideia. Não me estou hoje a ver fazer agora coisas que fiz enquanto jovem.
    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Subscrevo, Rodrigo.
    Há um tempo para excessos.
    Que, se bem controlados, até são saudáveis.
    Por acaso não fui dos que atirou coisas ao Marco Paulo.
    E as pedras e garrafas já entravam no domínio da estupidez.
    Aí foi-se longe demais porque podiam ter magoado o tipo.
    Lembro-me de um ilustre miltante do PSD (daqueles que são empregados políticos), membro da Comissão de Estudantes, estar a perorar durante um concerto do Sérgio Godinho (excepcional!!!) sobre o facto de as divergências políticas não terem nada a ver com a qualidade musical.
    Olha a novidade!!
    Como a malta queria era ouvir o Sérgio Godinho, levou uma saraivada também.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Hj lembrei-me de vc,que passou no meu cantinho e deixou marcado sua passagem...quero vc de volta com mais calma ...para respondes as perguntas q quizeres me fazer...dias iluminados para ti...

    ResponderEliminar
  7. Fica prometida uma visita para breve, Severa

    ResponderEliminar
  8. E qual foi a razão da investida cotra a TDM, Pedro?
    CBO

    ResponderEliminar
  9. Carlos,
    Os tipos acharam que lhes era dada pouca atenção, pouca cobertura noticiosa.
    Que se fala muito de desgraças, que se dão muitas notícias internacionais e que se dá pouca cobertura aos problemas dos trabalhadores de Macau.
    Uma cambada de parvos que já atirou ovos a tudo e a todos, já borrou (literalmente!!) uma fotografia da número 2 do Executivo,
    uns idiotas.
    Eu também acho que me andam a dar pouca atenção.
    Já tenho este blogue excepcional há mais de um ano e nem uma entrevista, uma reportagem, nada.
    Acho que vou atirar uns ovos também.
    Não há cu que aguente!!!
    Abraço

    ResponderEliminar
  10. Lamentavel. E ainda hoje os estudantes praticam atos menos dignificantes.
    Nao fiz asneiras quando estudante e nao fiz asneiras quando adulta. Nao sou excepcao! E nao ha tendencias recalcadas.
    Essa teoria sera mais uma tentativa para justificar o injustificavel.

    ResponderEliminar
  11. Catarina,
    Foi um momento em nada dignificante.
    Mas, insisto, facilmente previsível.
    Quem convidou Marco Paulo para aquela festa devia prever asneira.
    Ou será que era isso mesmo que queria??

    ResponderEliminar