16 de agosto de 2018

Uma "lição" de democracia


Winston Churchill celebrizou a expressão "A democracia é a pior de todas as formas de governo, exceptuando-se as demais".
No Mundo actual vamos tendo acesso todos os dias a exemplos de bem fundado do pensamento do genial governante inglês.
O mais recente dos quais nos chega do Cambodja.
Conhecidos os resultados das eleições ali realizadas, confirmou-se a fantochada que era fácil prever há já algum tempo.
Hun Sen, o ditador que governa o país desde 1985, conseguiu ser reeleito para mais um mandato de cinco anos.
Popularidade? Carisma? 
Em doses industriais!
Porque só assim se explica que tenha conseguido, ele e o seu partido, conquistar todos(!!) os lugares do parlamento.
Algo que seria espantoso não fosse dar-se a "coincidência" de  os 19(!!) partidos que concorreram supostamente em oposição a Hun Sen não passarem de marionetas que este controla como bem quer.
A oposição, a verdadeira oposição, essa foi convenientemente ilegalizada e silenciada antes da realização das eleições.
Hun Sen, um ditador desprezível, não gosta de surpresas.
E demonstra conhecer bem o cúmulo da lentidão (correr sozinho e chegar em segundo) e não querer que este possa acontecer no Cambodja. 
O Cambodja, que sofreu com o horror da guerra, depois com o horror dos Khmer Rouge, sofre agora às mãos do ditador Hun Sen e dos membros da sua corte que com ele dividem o séquito que empobrece o país à medida que os enriquece cada vez mais.
Tudo perante a total impunidade que a inoperância da comunidade internacional e as suas instituições lhes conferem.

37 comentários:

  1. Democracia no seu melhor... e há líderes em países ocidentais que muito gostariam de lhe seguir o exemplo.

    ResponderEliminar
  2. Oh that is so not unusual i must say that since 70 years the same few dictators are ruling the country somehow !

    they hhave robbed the national treasure fearlessly and openly though now things seems to slightly change

    ResponderEliminar
  3. Não é só ele há muitos mais e aqui tão perto existe um desses exemplos que não larga o tacho!

    Bom dia e beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tacho é uma expressão com origem em Macau, Fatyly.
      Prato típico da culinária macaense, semelhante ao nosso cozido, é um prato extremamente rico.
      Daí o dizer-se que fulano tem um grande tacho.

      E quem tem um grande tacho, e não tem vergonha na cara, não quer largar esse tacho.

      Beijocas, um bom dia para Portugal

      Eliminar
  4. Pedro,
    Eu não consigo pensar
    em ditadorismo oficial.
    Entretanto o país que nasci
    e vivo passou e passa por algo
    na linha, mas bem disfarçado.
    Como bem diz seu artigo todo país
    sofre.
    Meu questionamento é:
    Como isso acontece por tanto
    tempo? Será que o povo
    tem alguma esperança na
    continuidade? Não sei...
    Excelente sua postagem.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes tiranos normalmente distribuem uma parte do que roubam por quem lhes possa perpetuar o poder.
      Forças de defesa, militares, polícias.
      E é assim que subjugam os povos, CatiahoAlc.
      Bjins

      Eliminar
  5. Põe carisma nisso, Pedro, mas não só!
    Há situações - demais, para mal dos nossos pecados! - que ultrapassam o entendimento do comum dos mortais, mas que são realidades.

    Como é que povos que sofrem horrores, na "pele", não em abstracto, votam sempre nos mesmos? Que "máquinas" tão poderosas há que movimentam tantas almas?

    Mistérios, ou nem por isso?!
    Uma certeza: vivemos tempos injustos, dramáticos, onde a vergonha atinge todos os lúcidos, mas...?!
    Mas tudo continua na mesma, para não dizer: pior.:(

    Beijinho, Família.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não houve tantos votos a favor deste tirano, GL.
      Tudo ali é falsidade, corrupção, fantochada.
      Beijinho

      Eliminar
  6. Meu caro amigo, quanto à dita comunidade internacional é melhor deixar(mos) as ilusões de lado...


    E assim vai o mundo em que vivemos !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mandam umas cartas e fazem uns discursos a dizer que estão muito zangados, São.
      E depois o tirano toma posse e tem mais cinco anos para fazer o que lhe der na real gana.

      Eliminar
  7. Uma tristeza para o povo sofredor. E os paises/instituicoes que deviam por fim a todas as ditaduras pelo mundo fora nada fazem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tigres desdentados, Sami, essas instituições são tigres desdentados.

      Eliminar
  8. Simplesmente vergonhoso. De certa forma ele usou a democracia viciada para chegar ao poder, como quase todos os ditadores...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como todos os ditadores, Pedro Dinis.
      Até o mais infame, Adolf Hitler.

      Eliminar
  9. Uma fantochada apoiada por vários sectores políticos.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acção e omissão, António.
      E este tirano vai-se perpetuando no poder.
      Aquele abraço

      Eliminar
  10. Como visitei o Vietnem e o Camboja, nota-se uma diferença abissal no modo de vida destes dois países em que no Camboja , são mais nítidas as diferenças sociais e vá-se lá saber porquê :(
    Acho que está tudo explicado neste post!

    Beijos Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está aqui a explicação, Manu.
      Regimes autoritários = medo, terror.
      Beijos

      Eliminar
  11. Há povos que são verdadeiramente massacrados por estas "bestas" e não há como sair destes ciclos negativos.
    Um abraço.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A única forma é a morte, provocada ou natural, destas criaturas, Francisco.
      Até lá não largam o poder ou transferem-nos para a sua clique de protegidos.
      Aquele abraço

      Eliminar
  12. Cá para mim nem carisma nem popularidade, manipulação das massas do sistema ditador, disfarçado sob a máscara da democracia.
    Apenas e só a minha opinião, claro.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma opinião que descreve exactamente o que foi aquela palhaçada disfarçada de eleições, Janita.
      Beijinhos

      Eliminar
  13. Como é possível que votem nestes bandalhos??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Janita explica tudo, Magui.
      Eleições, votos??
      Palhaçada.

      Eliminar
  14. Querem é tacho, uma verdade:))

    Bjos
    Votos de um óptimo final de tarde.

    ResponderEliminar
  15. Pelos vistos há sempre quem vote nessa gente...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não são votos, Isabel Sá.
      Aquilo está tudo manipulado.
      É pura palhaçada.

      Eliminar
  16. Provávelmente o regime de Pol Pot evitou-lhe a maçada de ter uma oposição a sério.
    Bom fim de semana e saúde para o Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A oposição a sério foi convenientemente silenciada a e ilegalizada, Agostinho.
      Ficaram os fantoches para dar brilho à palhaçada.
      Aquele abraço, bfds

      Eliminar