8 de novembro de 2011

Agora está tudo "esclarecido"!!


Lei Chin Ion, o Director dos Serviços de Saúde de Macau, "esclareceu" ontem, em comunicado, as razões que fundamentam(?) a renda obscena que o Governo paga à Universidade de Ciência e Tecnologia (MUST, na sigla inglesa) pelas instalações do serviço de urgência na Taipa.
Resumindo o processo, sobretudo para o dar a conhecer a quem está fora de Macau, é assim:
1) O Governo de Macau deu um terreno, o bem mais escasso e mais valioso em Macau, com uma área brutal, numa zona nobre, a uma instiuição de ensino privada;
2) Nesse terreno foi edificada uma Universidade;
3) Essa Universidade ministra cursos que não são reconhecidos em lado nenhum, a não ser em Macau;
4) Nessa mesma Universidade, foi construído um hospital, sobretudo com o intuito de servir de apoio ao ensino da medicina chinesa (justificação oficial);
5) O equipamento desse hospital é pago pelo Governo; não directamente, mas através de chorudos subsídios atribuídos pela Fundação Macau;
6) Querendo fazer funcionar um serviço de urgências na ilha da Taipa, o Governo arrenda as instalações do hospital, edificado num terreno que cedeu gratuitamente e que equipou indirectamente, por 910 mil patacas/mês (dividam por 11 para saberem o valor em euros) por um período de cinco anos;
7) O Reitor da Universidade vem dizer que se trata de um valor "perfeitamente razoável" (sic)  atendendo à "qualidade das instalações e dos equipamentos" (os tais adquiridos com subsídios do Governo);
8) Ontem, às 23.30, no comunicado referido supra, os Serviços de Saúde corroboram esta opinião e acrescentam que o arrendamento inclui instalações e equipamentos de reabilitação e não só o exíguo espaço de atendimento das urgências hospitalares.

Duas perguntas para cabal esclarecimento deste caso:
1) Essas instalações e equipamentos também foram subsidiados pelo Governo através da Fundação Macau, não é?!
2) Finalmente, e muito importante, o Governo também paga a vaselina???!!!

P.S. Uma sugestão dirigida aos jornais que por aqui se publicam em língua portuguesa e inglesa (os outros passam-me ao lado):
Quando recebem comunicados destes, a estas horas, porque não guardá-los na gaveta até poderem questionar quem os envia acerca do conteúdo dos mesmos?
Se fossem questões urgentes, ainda compreendia a sua publicação imediata.
Isto??!!
Guarda-se, uma, duas, meia dúzia de vezes, até que passe a mania de enviar estes comunicados fora de horas no intuito de escapar ao contraditório.
E quem os envia entenderá a mensagem.
Fica a sugestão.

9 comentários:

  1. Zangam-se as comadres ... descobrem-se as verdades...

    ResponderEliminar
  2. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    É Macau no seu pleno com todas as suas especividades.
    O nosso amigo Luís Coelho não entedeu bem o assunto, aqui não se zangam as comadres, antes pelo contrário aumentam os compadrios e os benefes e o povo é que paga.
    Casos similares abundam em Macau, enfim como dizia no nosso Estimado e sábio Adé, Macau sã assim....
    Abraço amigo..
    Ps- Junto a minha casa em Bangkok as ruas viraram rios e o pessoal utiliza barcos para se deslocar, postei as fotos, enviadas hoje por uma das minhas filhas, em meu blog. Na Tailândia também sã assim....

    ResponderEliminar
  3. Luís,
    Como afirma o Amigo Cambeta, a questão aqui é mais compadrio.
    Não são comadres zangadas, são compadres muito amigos

    Amigo Cambeta,
    É um abuso impressionante.
    E não há vergonha.
    O que se passa na Tailândia também é incompreensível.

    ResponderEliminar
  4. Já agora, uma pergunta.

    É verdade que vão ser (ou já foram) eliminados todos os símbolos portugueses dos ofícios de Macau?

    ResponderEliminar
  5. Coimbramigo

    Primeiro que tudo, muito obrigado pela referência ao modesto imeile que, aliás e de resto, apenas reenviei. Tudo certo.

    Aí como cá: será a herança tuga? Na Tailândia, mais precisamente no Reino do Sião como então se chamava, também estivemos. Singulares coincidências ou "kunxedemçyas"? Sei lá...

    Abç

    ResponderEliminar
  6. António,
    Foram removidos, um a um, os símbolos portugueses do Boletim Oficial anterior a Dezembro de 1999.
    Eu escrevi sobre isso.
    Há gentinha muito complexada!!
    Vou tentar encontar o post.

    FerreirAmigo,
    Homessa, num tem nada que agredecer.

    Não é herança tuga.
    Isto é mesmo complexo neo-colonialista.
    De gentinha parva e miudinha.

    ResponderEliminar
  7. Está aqui António http://devaneiosaoriente.blogspot.com/2011/10/respeitar-lei-nao-chega.html

    ResponderEliminar
  8. Pedro, certeiro como sempre! Não há pingo de vergonha?
    Até breve.

    ResponderEliminar
  9. Quem é capaz disto, é capaz de mais quê, interrogo-me
    Que tristeza!!

    ResponderEliminar