14 de abril de 2011

Porque sou contra o bullying

 
A menina que chamas de gorda, passa dias sem comer para perder peso.

O menino que chamas de burro, quem sabe tenha problemas de aprendizagem.

A menina que acabaste de chamar de feia passa horas a arranjar-se para que pessoas como tu a aceitem.

O menino que provocas e gozas na escola, pode receber maus tratos em casa e só estarás a contribuir para destruir a sua auto-estima.

Se é contra o BULLYING, compartilhe!

Porque este flagelo tem de ter fim.

6 comentários:

  1. Estou em total sintonia com o articulista.
    Todos nós temos o dever e a obrigação de ajudar todos aqueles que necessitam de uma palavra amiga, que sejam ensinados, para que possam usuferir do mesmo mundo onde vivemos.
    Os maus tratos, violência doméstica é outro dos males que aflige a socieda e como tal devem serem totalmente irradicados.

    ResponderEliminar
  2. Coincidência. Este post está noutro blogue esta noite.
    E tal como lá comentei, o bullying deixará de ser um problema grande quando os professores (e os pais) detetarem precocemente estas práticas agressivas, quando deixarem de considerar que a maior parte destes casos se trata de “brincadeiras de crianças” e quando as medidas punitivas se aplicarem sempre sem exceção. O bullying aqui é levado a sério.

    ResponderEliminar
  3. Cambeta e Catarina,
    Este post á compartilhado por vários blogues.
    Fui buscá-lo ao blogue "As minhas histórias".
    A ideia é exactamente criar uma corrente destina a combater estas práticas.

    ResponderEliminar
  4. Prezado confrade Pedro Coimbra!
    Este cruciante problema afeta sobremaneira a convivência escolar harmoniosa. Diariamente, no rol de atribuições atinentes aos meus árduos/fascinantes ofícios, me deparo com esta aflitiva e intolerável situação, que deixa a vítima aniquilada. Na semana passada tivemos uma carnificina, que nos deixou aterrorizados, perpetrada por um indivíduo, que além de padecer de transtornos mentais foi vítima de bullying nos bancos escolares!
    Caloroso abraço! Saudações pedagógicas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP
    Brasil

    ResponderEliminar
  5. Eu acompanhei as notícias, caro Prof. João Paulo Oliveira.
    Ainda há pouco vi o último vídeo que a polícia revelou.
    No qual o garoto revelava os abusos que terá sofrido.
    Os quais, obviamente, nunca legitimam um comportamento aberrante como o dele.
    Uma trgédia impossível de ignorar e de não sentir.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. E quando o bullying passa para a fase adulta?

    ResponderEliminar