9 de janeiro de 2019

Respeito e tolerância têm limites


Considero-me uma pessoa respeitadora de pontos de vista diferentes e tolerante em relação a ideias claramente opostas às minhas.
Como em tudo na vida, há limites para o respeito e a tolerância.
Não me merece qualquer respeito, não consigo tolerar, quem advoga a interdição da entrada de mulheres “impuras” (sic) em templos onde apenas queiram expressar a sua crença na divindade ali representada.
Em pleno século XXI considerar impura uma mulher em idade fértil é simplesmente estúpido e ofensivo.
Mulheres entre os 10 e os 50 anos, que só porque uma condição natural do corpo feminino (a menstruação) as distingue dos restantes seres humanos são ostracizadas, é algo que não me merece qualquer respeito, não me suscita qualquer tolerância.
Apenas me revolta e me enoja.
Cada vez mais as religiões, todas as religiões, se afastam da mais simples lógica, da mais básica inteligência.
E, com esse afastamento, chegam a um total desfasamento com a realidade à medida que vão perdendo fieis e ganhando radicais.
O que aconteceu em Kerala devia ser natural, é a lei da vida e é a consagração prática da lei positiva tal como foi interpretada pelo Supremo Tribunal do país. 
Impuro, em boa verdade, é quem pensa de forma diferente desta.

44 comentários:

  1. Bom dia
    Embora seja uma palavra repetitiva , mas não posso deixar de a usar . INACREDITAVEL !!!!!
    JAFR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é bem real e tem muitos fiéis seguidores, Joaquim Rosário.

      Eliminar
  2. Não estamos interessados nos seus comentários, Pedro Coimbra, e se é uma pessoa respeitadora, agradecemos que nos deixe em paz.
    Bom dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas quem é que o briga a passar por aqui??
      Aqui EU escrevo o que EU quiser.
      Entendido???

      Eliminar
    2. Às vezes sai-nos disto na rifa, Catarina.

      Eliminar
  3. Este planeta está em pleno retrocesso civilizacional meu amigo.
    Um abraço e continuação de boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em muito domínios e em muitos locais, sim, Francisco.
      Infelizmente.
      Aquele abraço, boa semana

      Eliminar
  4. GRANDE POST! 100% de acordo, sou católico não praticante como era até aos 18 anos, não concordo com faltas de respeito que aos poucos me fui apercebendo, já está a mudar um pouco mas não o suficiente!
    O meu abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos exactamente no mesmo barco, António Querido.
      Não são os valores, são as práticas que afastam as pessoas de muitas religiões.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Que aconteceu?

    SEja o que for, parece ser mais uma vez a habitual e hedionda discriminação contra as mulheres....


    Lamentável.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As mulheres entre os 10 e os 50 anos não podem entrar no templo (Kerala) por serem "impuras", São.
      Porque é que são impuras?
      Por causa da menstruação.

      Eliminar
  6. Nao opinião sobre isso??? Só quer falar de andar em portugal
    e nada mais? todo mundo rico?

    E putugal que do que? E o mesma merda e pior povo no mundo! E verdade e verdade amigos! Ler meu blog pa mais informaciao, obrigado amigos meus (L)(L)(L)

    Ahhhh putugal, putugal, putugal! Sempre, sempre, sempre chorando e chorando e chorando e chorando por tudo, sempre! Tudo mundo sabe que putugal e o pior merda no mundo, tudos! E mais na palavra "luso' e uma invencao! Tudo nossa historia e fenotipo e Cigano e Arabe. Nao somos lusos. E mais, e melhor que tudo putugal sei uma provincia do Espanha e pronto!

    E nao trabalhos, sempre ficar nas sopas dos pobres tudos dias. Putugal e em estado do merda e nao fix. E verdade e verdade amigos. Esperamos que um tipo de mudança positiva aconteça em Putugal, pois mais de 50% da população, por necessidade, tem que ir às sopas dos pobres para comer. E também, uma melhora no crescimento dos empregos, já que eles estão no país. Por esta razão, muitas pessoas já vão para suas ex-colônias para buscar uma vida melhor e não retornam. Putugal está realmente atolado na merda e ninguém quer fazer nada sobre o assunto. Eles preferem viver em mentiras, o que é isso?

    Que opina amigos?

    ResponderEliminar
  7. É incrível que estas situações se continuem a verificar em pleno Séc. XXI e mais ainda na Igreja, nas Religiões ! Isso, para mim, é que é o maior contrassenso !
    Em Instituições, onde deveria imperar a tolerância, o respeito, a compreensão, o amor ao próximo, verifica-se essa total incapacidade ! :(
    Absolutamente revoltante e nojento !!!

    Abraço, Pedro

    ResponderEliminar
  8. Enquanto lia o post lembrei-me do livro “The Red Tent” de Anita Diamant.

    Estou com o Pedro, sou tolerante até certo ponto. Há tradições e costumes que não consigo aceitar. Esta é uma delas, assim como o uso da burca e a mutilação genital... just to mention a few. : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Práticas absolutamente bárbaras, Catarina.
      Como é que se podem aceitar, muito mais respeitar?

      Eliminar
  9. Sendo eu do século passado, trazia esperanças de um mundo mais tolerante, mais inteligente, mas mergulham-me nas redes sociais e em idiotices sem medida.
    Estou a ficar preocupada.
    Gosto de crescimento, de evolução, de crescimento, não de saudosismos e vintage e ideias antigas.

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em muitos locais, em muitas culturas (???) tem sido oposto, Pérola.
      Beijo

      Eliminar
  10. Oh Pedro, está ali um comentário que não tem cabimento aqui no seu blogue! A minha tolerância acabaria ali. : ))))) One click.... gone!! : ))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já fiz o mesmo a um comentário parecido que apareceu no meu blogue!

      Eliminar
    2. O Pedro provavelmente ainda não leu devido à diferença horária. :) estava a dormir... e continua que, neste momento, são lá 3 e tal da madrugada.

      Eliminar
    3. Só vi agora, Catarina.
      Não elimino porque quero que fique ali a prova do fanatismo, da escuridão, de sei lá mais o quê.

      Eliminar
  11. Esta frase está dita e mais que repetida.
    Não podemos ser tolerantes com os intolerantes!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sob pena de um dia sermos por eles dominados, Rosa dos Ventos.
      Abraço

      Eliminar
  12. Cada cultura tem a sua tradição. Umas mais parvas que outras e longe de igualização de genéro.

    ResponderEliminar
  13. Enfim!
    Totalmente de acordo com o que escreveu!! Isto realmente não tem "emenda"...

    Alma desinquietada...
    Beijo, e uma boa noite!

    ResponderEliminar
  14. Meus amigos:
    Aquilo é a União Indiana onde comem com a mão (não mãos) direita, pois a esquerda é para limpar o rabiosque, acreditam que a alminha deles anda a passear de bicho em bicho (a não ser que morram em Varanasi) e quando se querem chatear uns aos outros, se forem sarracenos vão matar uma vaca á porta dum hindu, se for hindu vai matar o porco e deixar correr o sangue num bairro de sarracenos. Quando não comem uns com os outros por problemas de religião ou casta, vão-se admirar que não deixem entrar uma mulher menstruada num templo? O que eles não dizem nem ninguém o diz é que tem que haver alguém (presumivelmente uma adepta desse templo) que vai fazer "a examina", traindo a sua semelhante, pois num povo tão púdico como o indu não estou a ver um homem a fazer esse serviço- Por isso nós os ocidentais não devemos dar opinião sem mais nem menos pois só confirmamos a nossa profunda ignorância sobre o nosso semelhante .Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não posso dar a minha opinião, e os outros comentadores também não, porquê?
      Lei da rolha?
      Cumprimentos

      Eliminar
  15. Não sei a que situação em concreto se refere, mas acho que não
    são precisas mais palavras que aquelas que o Pedro escreveu.
    Só talvez ensinar-lhes que as mulheres não menstruam apenas entre os 10 e os 50 anos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é esse o limite temporal estabelecido, Magui.
      Pelo menos naquele templo (Kerala, Índia).

      Eliminar
  16. O fanatismo religioso tem destas coisas e cada vez vimos mais atrocidades destas
    Abraço

    Kique

    Hoje em Caminhos Percorridos - Já só existem duas vagas!!...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sensação é que estão mesmo a crescer, Kique :(
      Aquele abraço

      Eliminar
  17. Quando li a palavra "impura" pensei que essas mentes doentias estivessem a marginalizar,- interditando-lhes a entrada no templo - prostitutas. Mas...tratasse de mulheres em idade fértil?
    Não dá para acreditar, Pedro! Essa gente é completamente louca. E mais não consigo dizer, de pasmada que estou.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São consideradas "impuras" por uma condição natural do corpo feminino, Janita.
      Nem é preciso dizer mais nada.
      Beijinhos

      Eliminar
  18. É realmente lamentável que esse tipo de coisa ainda aconteça nos dias atuais.

    It's Lizzie | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  19. Ainda estou pensando numa maneira de terem filhos sem menstruação, a tal impureza...
    beijo, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisamente, Tais Luso.
      Estes idiotas nem isso parecem perceber.
      Beijo

      Eliminar
  20. Atavismo... Obscurantismo...

    É impressionante verificar como ele ainda domina o mundo!

    Beijinho, Pedro.
    ~~~~

    ResponderEliminar