24 de janeiro de 2019

Macau e o lobo da recessão


Na fábula de Esopo o pastor tanto mentiu acerca do ataque do lobo que quando este efectivamente atacou ninguém o socorreu.
A lição que ouviu da boca do velho sábio foi que “na boca do mentiroso o certo é duvidoso”.
Da Grécia Antiga para Região Administrativa Especial de Macau, da pastorícia para os jogos de fortuna e azar.
Já há muitos anos que os ditos especialistas andam a gritar recessão relativamente às receitas do sector de jogos de fortuna e azar em Macau.
Um grito que agora se repete porque o cenário de contenda comercial entre Washington e Pequim pode afectar a economia chinesa e indirectamente os casinos em Macau.
Menos dinheiro disponível nas mãos dos jogadores chineses, menos jogadores, menos receitas.
É preciso contratar especialistas pagos a peso de ouro para chegar a estas conclusões??
Conclusões dignas de La Palisse e constantemente desmentidas pela realidade.
Não sou especialista, não quero ser nem parecer.
Mas sou capaz de dizer que o Jogo em Macau é e continuará a ser o que Pequim quiser.
Independentemente das contendas comerciais com terceiros, é Pequim quem controla o fluxo de turistas autorizados a viajar até Macau e o fluxo de dinheiro que circula entre os casinos de Macau e o Continente.
É assim e vai continuar a ser assim por muitos anos.
Sem me pedirem, sou capaz de deixar aqui um conselho aos tais especialistas – como o pastor da fábula de Esopo, tanto gritam lobo (recessão) que, se o lobo (recessão) chegar, e no dia que chegar, ninguém vai acreditar.

38 comentários:

  1. Pois , nunca entendi o motivo destes falsos alarmes....

    ResponderEliminar
  2. Não acredito nesta recessão só se realmente o poder chinês quiser e não vai ser fácil, aproveito para desejar a continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E Pequim quer, Pequim não vai deixar Macau ficar mal, Francisco.
      Só não vê isso quem quer ser cego.
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. (Só um parênteses em honra do grande grão Mestre françês La Palisse. Que para toda a eternidade se´ra evocado como uma homem que diz coisas óbvias... Vou buscar o texto à wikipedia só por ser mais fácil -

    "A sua popularidade junto dos soldados, fez nascer várias canções militares a seu respeito. Uma dessas canções, cantada após a sua morte, possuía os seguintes versos:
    "S’il n'était pas mort il ferait envie", (Se ele não estivesse morto, faria inveja)
    a qual foi deformada em "s'il n'était pas mort il (ƒerait – serait) en vie"(se ele não estivesse morto faria/estaria vivo); desta frase saiu o termo «lapalissada», que designa uma forte evidência, uma situação extremamente óbvia.")

    Quanto ao futuro adivinhado... serão tantos os interesses por trás das decisões que nem me atrevo a comentar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes analistas dizem umas coisas óbvias e depois fazem umas previsões que vão sempre ao lado, Boop.
      Só não se enganam a fazerem-se pagar bem.

      Eliminar
  4. É o mundo em mudanças e as pessoas irão fazendo adaptações para sobreviverem!

    O meu abraço amigo Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os chineses não deixam nada ao acaso, António Querido.
      Tudo está pensado e planeado com muitos anos de antecedência.
      Surpresas não é muito o género que agrade.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Um pequeno oscilar das asas de uma borboleta pode causar tempestades bem longe... E o conflito comercial EUA/China é muito mais que um bater de asas.
    Caro Pedro, continuação de boa semana.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode afectar muita gente, começando pelas duas potências em conflito, pode haver uma diminuição das brutais receitas que entram em Macau, o que até nem seria mau de todo, não haverá recessão nem nada que se pareça com isso.
      A mãe China não vai deixar o filho pródigo passar mal.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Um mundo onde quem manda tem o poder de por e dispor das pessoas e da economia.
    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Por aqui fala-se da vinda do diabo...há gente ansiosa que chegue para finalmente ter razão! 😈

    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Os problemas das duas grandes potencias - China e EU vao sempre mais ou menos afectando outros paises penso eu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta "guerra" sobrar para terceiros é muito mais provável que afectar Macau, Sami

      Eliminar
  9. Oxalá sejam só "boatos" Lol

    Beijos e uma excelente tarde!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais que boatos são os chamados bitaites, Cidália Ferreira.
      Beijos

      Eliminar
  10. Por certo haverá interesses ou manhas por trás desse grito sensacionalista de recessão...
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os "especialistas" precisam de gritar lobo para irem tendo negócio.
      Os americanos, que não engolem o facto de um local como Macau meter Las Vegas no bolso, vão exprimindo um desejo.
      Beijinho

      Eliminar
  11. É a moda das fake news.
    Não sei como é por aqui, mas em Portugal nos noticiários é cada tiro, cada melro.

    ResponderEliminar
  12. É tão verdade que " Na boca de um mentiroso o certo é duvidoso", na China parece que não cola.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os chineses não deixam NADA ao acaso, Maria Araújo.
      Quem faz previsões sem perceber esta realidade básica está condenado a dizer disparates.

      Eliminar
  13. E os Chineses sempre comendo pelas beradas.
    Boa continuação de mês.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E as receitas, que é suposto estarem em recessão, continuamente a bater recordes.
      Boa continuação de mês também

      Eliminar
  14. É assim a modos do português. Só depois da casa ser arrombada é que se trancam as portas!

    Boa noite, muita saúde e um abraço.

    ResponderEliminar
  15. E com o que se está a passar na Venezuela ( com Putin a declarar o seu apoio a Maduro ) o problema torna-se ainda mais explosivo.

    Abraço atlântico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Putin, Xi Jinping, Erdogan, tudo boa gente, João Menéres.
      Com amigos destes...
      Aquele abraço

      Eliminar
  16. Não sabia que a entrada de turistas fosse controlada!
    Um texto muito interessante, Pedro.
    Parabéns!
    Abraço, Amigo.
    ~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma prova que NADA é deixado ao acaso, Majo.
      O célebre mecanismo do visto individual que a China emite aos seus cidadãos.
      Que podem viajar para onde a China quiser.
      "Quero ir visitar Paris.
      Que tal ires visitar Macau??
      Está bem, Macau."
      Quem não percebe isto diz asneiras, Majo.
      Abraço

      Eliminar
  17. Macau pode sair muito afetado. A Huawei está a fazer muita mossa no EUA, mas Trump já percebeu que tb tem muito a perder.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Trump é ignorante.
      Os chineses há muito tempo que também controlam indirectamente uma boa parte da economia americana.
      Através da brutal dívida americana para com a China e do consumo chinês que é essencial para que a economia americana cresça.
      Resposta de Pequim?
      Vamos lá centrar a despesa no consumo interno.
      E vamos ver quem é que vai perder mais.
      Macau está fora dessas guerras.
      Até porque, também aqui, há fortes interesses americanos.
      Apoiantes de Trump.
      E as licenças estão em processo de renovação.
      Se Sheldon Adelson, Steve Wynn, ficam sem a ma$$a de Macau ficam os Republicanos a arder.

      Eliminar
  18. Bem escrito.
    Uma coisa eu sei quando há fogo os bombeiros chegam já as labaredas vão altas. Por isso, especialistas... Bom senso é que é preciso, coisa rara nos últimos tempos.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes ditos especialistas encanitam-me um bocado, Agostinho.
      Abraço

      Eliminar