5 de junho de 2013

O Comissariado da Auditoria é mentiroso?


Mais uma vez, confesso que estou confuso.
O Comissariado da Auditoria (CA) elabora um relatório detalhado, no qual expõe falhas gravíssimas detectadas pelos seus funcionários no controlo e fiscalização da prestação de serviços de transporte público em autocarros.
E aponta o dedo acusador à Direcção de Serviços dos Assuntos de Tráfego (DSAT).
No dia seguinte, o Secretário para as Obras Públicas e Transportes (SOPT) vem, bem como a DSAT, publicamente  reconhecer a existência de falhas na fiscalização da prestação de serviços,  afirmar convictamente que, estudado o relatório do CA, vão estar atentos a essas falhas, corrigir as mesmas, assegurar-se que não voltarão acontecer.
Mais, e uma vez que foram também apontados incumprimentos contratuais por parte das três empresas que exploram estes serviços, a DSAT, já em conferência de imprensa, afirma que vai punir as referidas empresas em virtude dos incumprimentos detectados.
As mesmas empresas que, ainda dias antes iam (duas delas) ser premiadas pelo bom excelente desempenho, relembre-se.
Um desempenho que os utentes criticavam mas que a DSAT premiava.
Mas só de duas empresas.
A outra portava-se mal.
Confusos?
Ainda agora a procissão vai no adro.
Quando parecia que o relatório do CA vinha obrigar a pôr ordem na casa, impressão que ficou reforçada com as intervenções do SOPT e da DSAT, eis que, no programa Fórum Macau do passado domingo, Cédric Rigaud (Reolian), Chan Hio Ieong (Transmac) e Chen Jianhua (TCM) vêm desmentir o que o CA reportou e que o SOPT e a DSAT corroboraram.
No meio de toda esta confusão, deste imenso barulho, a pergunta impõe-se - o CA é mentiroso, como afirmam os representantes das empresas de transporte público em autocarro?
E, se é, o SOPT e a DSAT seguem a mentira do CA?
Ou há outros mentirosos neste enredo de ópera bufa?
Mais uma vez, confesso que estou confuso.

14 comentários:

  1. Caro amigo Pedro,

    não é para menos... também eu estou confuso. Afinal quem é que está a falhar?
    Mas no meio disto tudo, a única coisa que sei é que os DSAT manifestamente não funcionam. Incompetência? Incapacidade? Não sei, mas o Governo da RAEM devia tomar medidas correctivas e - quiçá - punitivas também dentro dos DSTA.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Anónimo.
      No meio deste jogo do empurra, temos o testemunho do nosso Amigo Cambeta, passageiro frequente dos autocarros, que nos deixa a pensar que não será o CA o mau da fita.
      Alias, pelo que vemos e ouvimos todos os dias, os problemas parecem estar em todos menos no CA.
      Aquele abraço!!

      Eliminar
  2. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Todos falam mentira neste processo, fiscalização não existe.
    E sendo eu um passageiro assiduo dos autocarros de Macau, lamento imenso todo este molhe de brocos.
    A Reolian bem como as outras companhias foram obrigadas a montar o sistema de aviso auditivo sobre as prózimas paragens, foi um erro grasso, já que além de não darem informação correcta, a Reolian diz sempre próxima paragem Portas do Cerco, para além da poluição sonora, o barulho no interior dos autocarros é enorme, mas isso é falta de civismo dos passageiros.
    Os autocarros de pequeno porte da Reolian são imenso barulhentos, a chiarem por todo o lado.
    Fiscalização? vi por vezes uns tipos com um papel na mão tomando nota da hora da passagem do autocarro pela zona.
    Fiscalização? onde? as três compnahias de autocarros tem assentos dedicados a idosos, senhoras grávidas ou transportando ao colo bebés, mas ninguém fiscalizava nada e o civismo em Macau é quase zero.
    Por vezes espero tempo sem fim por um autocarro.
    Os condutores não condições para comer ou descansar um pouco.
    No terminal do Fai Chi Kei veja-se a baginça no parque dos autocarros que ocupam toda a via.
    Junto ao Casino MGM exiete um terminal de autocarros para as carreiras MT1 e MT2, os condutores nem um banco tem para se sentar e tem que tomar as refeições a bordo dos auticarros, quando tem vontade de urinar ou arrear o calhau o fazem nos lavatório do MGM, os passageiros não tem lugar para se sentar nem abrigos e dias de chuva se não levarem o guarda chuva tomam banho.
    Os Serviços de Transportes deviam dar condições aos condutores, tais como locais para tomares as suas refeições e descansarem e aos passageiros darem-lhe melhores condições pois existem muitas paragens sem abrigos da chuva.
    Já para não falar do excesso de passageiros a bordo dos autocarros.
    Passageiros levam enormes volumes mas o condutor nada diz, e quando o diz é ainda ofendido, onde para a fiscalização.
    Parecem-me que existe pessoas em cargos públicos que da matéria nada sabem, mas Macau é Assim já.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. O seu testemunho é precioso, Amigo Cambeta.
      E só confirma o que se vê e ouve todos os dias.
      Aquele abraço!

      Eliminar
  3. Tudo isto é, no mínimo, estranho, Pedro.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. O pior é que, como sempre, quem se lixa é o mexilhão, António.
      Os utentes dos autocarros e os que têm que levar com a falta de civismo dos mesmos.
      Aquele abraço!

      Eliminar
  4. O Pedro está confuso e com razão.

    O pior é que nada do quw as autoridades dizem e desdizem resolve o problema dos utentes, que como sempre só têm que pagar e aguentar...

    Bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que não sou só eu a estar confuso, São.
      Quem é que pode não estar confuso com esta baralhada?

      Eliminar
  5. E quem não fica confuso com tanta troca de acusações?!? Então um dia são empresas que serão premiadas pelo seu excelente desempenho e dias depois já não? Julgava que era só cá que se passava de bestial a besta a grande velocidade... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pior que não serem premiadas, passam a ser punidas por se portarem mal.
      Hoje está marcada uma conferência de imprensa do Comissariado da Auditoria.
      Estou curioso para ver o que vai sair dali.
      Beijocas!

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Nós deixámos por aqui muitos vícios, Carlos.
      Chama-se normalmente a marca da presença portuguesa em Macau.

      Eliminar
  7. Essa novela dos transportes públicos da qual já há tempos falou continua? E estou a ver que sem fim a vista :/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabe a conferência de imprensa?
      Foi aí em Portugal????
      É que aqui, não houve

      Eliminar