8 de maio de 2018

Deputados que não têm vergonha mas envergonham e enfurecem


Já se conhece a notícia e já se conhecem alguns dos rostos de mais um episódio degradante para a Assembleia da República em Portugal.
Os senhores deputados receberem subsídios de deslocação, ainda que essas deslocações sejam de poucos metros, não é ilegal.
Mas é obsceno.
Num país que tem que gerir muito bem os seus recursos, um estatuto de privilégio como este, repito, é obsceno.
Mas a obscenidade pode ser sempre agravada pela desfaçatez, a falta de vergonha e de carácter.
Abusar destes subsídios e descaradamente mentir para auferir quantias muito superiores às que seriam legalmente devidas não envergonha quem tem este comportamento, como vimos nos últimos dias com muitos dos visados a referirem a desfaçatez como algo de absolutamente normal.
Mas envergonha e enfurece quem toma conhecimento das notícias, vai sabendo os pormenores desta reles e descarada vigarice e trafulhice.
Sim, senhores deputados, tantos que só conhecemos a meia dúzia que sempre aparece, tenho vergonha do vosso comportamento, da vossa pequenez, da vossa tacanhez, da vossa pobreza de espírito.
E estou furioso porque me lembro de ter ouvido muitas vezes a expressão "roubar ao Estado não é roubar".
Não só é roubar como é roubar toda a gente, indiscriminadamente, todos aqueles que pagam escrupulosamente os seus impostos.
Leis medida são uma coisa, leis feitas à medida outra bem diferente.
Podem os senhores deputados facilmente cobrir com um manto de legalidade os seus comportamentos vergonhosos e até substancialmente criminosos.
Da vergonha e da fúria dos cidadãos não se livram com a mesma facilidade.
E depois ainda vimos muita gente surpreendida com o aumento das taxas de abstenção, dos votos brancos, nulos...ainda não perceberam porquê??

40 comentários:

  1. Subscrevo na integra esta pouca vergonha, mas infelizmente há muitas outras que me enfurecem em termo da função pública e ainda dizem que ganham mal? Ainda querem aumentos? têm tudo enquanto os "filhos de um Deus menor" quer na fp quer no privado andam na penúria.

    Beijocas e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que os funcionários públicos e os titulares de cargos políticos devem ser bem remunerados, Fatyly.
      Até para tentar evitar tentações e pouca vergonha.
      Beijocas, bom dia para Portugal

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Pelos vistos quem assim procede não sente vergonha, Isabel Sá...

      Eliminar
  3. Bom dia. Realmente é vergonhoso. Uns com tudo, outros com nada, e viver com 680€ 3 pessoas é já muito bom. Dizem eles. Áh pois!

    Hoje:- Procurei os caminhos do mar...

    Bjos
    Votos de uma boa terça - Feira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma família viver com 680 euros mensais é insultuoso, Larissa Santos.
      Mas esta escumalha, pequenina, miudinha, não percebe isso.
      Bjs, votos de uma óptima terça-feira.

      Eliminar
  4. E nao vejo que alguma vez esses politicos tenham vergonha na cara! So querem encher os bolsos a custa dos pobres trabalhadores que mais e mais impostos pagam!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As excepções contam-se pelos dedos, Sami.
      Infelizmente gente como António Ramalho Eanes (começou aqui em Macau, sabia?), como Mujica, e mais uma meia dúzia, é excepção.
      Uma pena que assim seja.

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Esta gentalha recusa perceber que o manto da legalidade não justifica tudo, Francisco.
      Infelizmente é assim.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. escrevi sobre isso no meu blog e estou totalmente de acordo consigo, Há, no entanto um dado novo revelado pela RTP. Pelo menos 6 deputados declararam uma morada na AR e outra no Tribunal Constitucional. Isto já me perece entrar noutros domínios ainda mais perversos e merecedores de intervenção da justiça.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desconhecia esse desenvolvimento.
      Isso é crime - falsas declarações.
      Já não estamos a falar só de vigarice, já estamos no domínio penal.

      Eliminar
  7. same things happen here too
    the media shouts ,the eloquent speeches are given against the irresponsible behaviour of politicians but
    it is al part of the game

    nothing can change this dishonesty until common man takes the charge as humanist as educationist

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. The People one day will get tired, baili.
      And there's gonna be a beautiful thing to see.

      Eliminar
  8. Assino convictamente, Pedro e sinto-me (de há muitos anos) verdadeiramente defraudado e enganado !!!
    Foi para isto que se fez o 25 de Abril ?... É esta a proclamada "Democracia exemplar" das amplas liberdades ?...
    Muito sinceramente, tenho vergonha da política em que vivemos !!!
    E o que mais me irrita é a benevolência dos adeptos desta Democracia, para quem roubar-nos não conta e o que tem valor é podermos descer a Av. da Liberdade é gritar slogans de liberdade !!! :(((
    Quando será que "esta gente" acorda ?!...

    Adoro Portugal ! ... É das coisas mais belas e melhores do mundo !!! ... Porque teimam em destruí-lo ? ...
    Abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não confundo estes trastes com Portugal, Rui.
      Isto é escumalha reles.
      A maioria dos portugueses não merece ser confundida com estas criaturas.
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Essa é mais uma pouca vergonha. Das muitas que ainda em Portugal continuam por esclarecer. Dos que se dizem ser defensores do povo, que trabalha para eles e elas à grande e à francesa bem viverem!

    E BIBÓ PORTO!

    Tenha um bom dia caro amigo Pedro Coimbra.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, Amigo Eduardo - vamos concentrar-nos nas coisas alegres e esquecer as tristes.
      BIBÓ PORTO!!!
      Aquele abraço

      Eliminar
  10. Pagando os devidos direitos de autor, onde assino??

    Os meus parabéns pelo sucesso do Porto , Pedro. Espero que para o anos, mais uma vez, seja o Sporting,,,

    Boa semana :)

    SÃO

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Sporting ainda tem a final da Taça de Portugal para jogar e o segundo lugar, que dá acesso à Champions, para alcançar, São.
      Boa semana

      Eliminar
  11. Gostei do texto, amigo. Agora temos o poder na mão através do voto, só assim conseguimos mudar o cenário. A situação do Brasil no cenário político é de uma tristeza só. xD

    Blog: O Planeta Alternativo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente, Walterlen A. Segundo - temos na mão a arma mais poderosa, o voto.
      Nem que seja para o inutilizar, deixar em branco, se abster.
      São tudo óptimas formas de protesto.

      Eliminar
  12. O que é que merecem estes bichos, com exemplos desta natureza! Mandá-los dar banho ao cão.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso até é simpático, António Querido.
      Aquele abraço

      Eliminar
  13. Verdade. E os que vivem mais longe, recebem esse subsídio de deslocação e depois recebem o reembolso dos bilhetes do avião ou comboio. Reembolso para bilhetes que já foram pagos com o subsídio.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pura aldrabice.
      E onde é que pára a devolução desses dinheiros indevidamente recebidos??
      Com juros!!
      Abraço

      Eliminar
  14. O mais engraçado, sem graça nenhuma, é que isso não é de agora, Pedro! Bem que eu gostaria de me lembrar onde li acerca dessa pouca vergonha da suspeita fraudulenta, sobre as residências dos senhores deputados, para receberem mais uns cobres para deslocações inexistentes. Creio que foi há uns anitos já, num exemplar da revista Visão. Numa crónica ou algo no género, escrita por um desses corajosos jornalistas que teve de meter a viola ao saco. Agora estalou a polémica, porque os podres estão todos a vir ao de cima...
    Vergonha? Quem a tem na política?

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também não acredito que seja de agora, Janita.
      A prática, o vício, de certeza em de longe.
      Agora passou ao domínio público.
      Essa é a grande diferença.
      Beijinhos

      Eliminar
  15. A banalidade com que se praticam estes actos vergonhosos é assustadora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Banalidade e naturalidade, Magui.
      O tal "roubar ao Estado não é roubar".

      Eliminar
  16. Respostas
    1. Fico com a sensação que será mais fácil e menos trabalhoso contar os honestos, Diana Fonseca.

      Eliminar
  17. E mesmo com os subsídios de deslocação muitos ainda apresentam as despesas dessas deslocações para serem reemboçsados.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se é para roubar, rouba-se muito, Elvira Carvalho.
      Abraço

      Eliminar
  18. Ei Pedro,
    Eu fico impressionada como o mundo
    esta virado as avessas.
    Não importa se ai, ali ou aqui.
    Em fim, é o máximo que consigo
    expressar. Sou grata por seres como você
    que trazem á tona assuntos
    importantes dessa natureza.
    Eu tenho pouco a comentar, mas muito
    a refletir.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é preciso ser desonesto, vigarista, para viver bem, desafogadamente, CatiahoAlc.
      Ganância de gente sem vergonha.
      Bjs

      Eliminar
  19. Esta gente (se não toda, quase) faz-me lembrar uma viagem de barco em mar agitado: dá-me vómitos!

    Akele abraço pah!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que não podem ser combatidos com os tradicionais comprimidos para o enjoo, Kok.
      Aquele abraço

      Eliminar
  20. Isso pode ser legal, mas é imoral! Somos irmãos até nisso, Pedro, é um deboche, um descaso. Aqui é rotina, mas eles sabem que botam a mão no dinheiro do povo, da Nação.
    Como assim... "roubar ao Estado não é roubar" ??? Não dá para entender isso. É difícil! Como piada até que vai bem.
    Beijo, Pedro, vi que já está praticamente bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente, Tais Luso - legalidade e moralidade são coisas bem diferentes.
      Algo que muito boa gente recusa perceber.
      E que, enquanto essa mentalidade de roubar ao Estado permanecer, não vai ser alterado.
      Beijo (estou a recuperar)

      Eliminar