23 de março de 2012

A sociedade anónima


Pouco a pouco, de mansinho, fomos assistindo ao advento de uma sociedade anónima.
Não de uma Sociedade Anónima (S.A.), mas de uma verdadeira  sociedade anónima.
Uma sociedade na qual, atrás do anonimato, se esconde a cobardia, a denúncia, a bufaria, a ofensa, a devassa.
Incentivada por alguns, glorificada por outros, é uma sociedade cobarde e perigosa.
A coberto do anonimato, lançam-se boatos, insulta-se este, afasta-se aquele, destrói-se a reputação daqueloutro.
Sempre sem se poder confrontar os verdadeiros interessados neste vil procedimento.
Porque se escondem.
E assim, escondidos, embossados, criam a sociedade anónima.
Perigosa, muito perigosa.
Prefiro o Big Brother de George Orwell.
Porque esse, na maioria das vezes, sabemos quem é.
O anónimo não.
Esse nunca se mostra, nunca se revela.
Cobarde, viscoso, é peçonhento, invejoso e queixinhas.
Como é que ainda se lhe dá credibilidade, mesmo sem lhe conhecer a cara, muito menos a personalidade, é algo que ainda me surpreende.
Que sempre me surpreenderá.

9 comentários:

  1. Caro Pedro
    Lamentavelmente o "retrato" está bem tirado.

    ResponderEliminar
  2. Caro confrade Pedro Coimbra!
    O mundo cibernético está infestado de seres peçonhentos que se escondem no anonimato para aparentarem o que não são...
    Também têm aqueles que criam blogs e descaradamente dão vida a fantoches para dar a impressão que o blog é muito acessado e comentado....
    Caloroso abraço! Saudações transparentes!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
  3. Pedro,

    analise correcta, verdadeira e, mais uma vez, colocando o dedo na ferida.

    Não podia concordar mais consigo e com este seu escrito para reflexão no fim de semana e em todos os dias da nossa existência!

    Grande abraço e tenha um excelente fim de semana junto daquelas princesas que adora!

    ResponderEliminar
  4. Rodrigo, Prof. João Paulo de Oliveira, Ricardo,
    Não vos passa pela cabeça a bufaria que para aqui vai!
    E que é incentivada.
    Esta malta não perecebe que, mais dia, menos dia, podem ser vítimas do monstro que criaram?
    Lançar um boato, a coberto do anonimato, é muito fácil.
    Sair desse boato é que é muito complicado.
    Não entendem, ou não querem entender?
    Bom fim-de-semana aos três e respectivas famílias!!

    ResponderEliminar
  5. Realmente aqui na blogosfera existem muitos anónimos, mas se formos a ver bem a coisa, será que aqueles que têm nicks como eu também estaremos a ser, de certa maneira, anónimos mas identificados com um nick?

    ResponderEliminar
  6. Um bom fim de semana Pedro! Esses anónimos... Longe com eles, raça má e covarde! É o termo mesmo!

    ResponderEliminar
  7. Os anónimos da blogosfera (com ou sem nick) são os mais inofensivos, FireHead.
    O problema, sério, são os que existem no dia-a-dia.
    E que causam cada embrulhada!!

    Catarina Sofia,
    Quem entra na crítica, na maledicência, no boato, na queixinha, e se esconde, merece o meu total desprezo.
    Bjs e bfds

    ResponderEliminar
  8. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Estou totalmente de acordo com suas sábias palavras.
    Eu já senti na pele um comentário super ofensivo, infelizmente e como pude apurar vindo de Macau e escrito por um português, comentário esse que não tinha razão alguma de ser escrito, visto que eu, numa postagem elogiei o Governo de Macau, por ter ajudado os residentes do Terrotõrio, aquando das manifestações aqui na Tailândia.
    Existem ainda e infelizmente pessoas cuja moral deixa muito a desejar e a coberto do anonimato ofendem e criticam de uma forma bem estupida que só revela a péssima educação que possuem, enfim a tal SA.

    Estou de volta a Bangkok, tive que encurtar as férias.

    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  9. Amigo Cambeta,
    Espero que, apesar de ter encurtado as férias, esteja tudo bem consigo e famíla.
    Como já aqui referi, os anónimos na net ainda são os mais inofensivos.
    Os piores são aqueles que, no dia-a-dia, dão cabo da vida a algumas pessoas.
    Esses é que são verdadeiramente perigosos.
    E há, cada vez mais, em Macau.
    Aquele abraço e votos de boa semana

    ResponderEliminar