29 de setembro de 2011

Porto, derrotado na Rússia, complica contas do apuramento


A palavra crise ouve-se a todo o momento.
A partir de ontem, vai certamente passar a ouvir-se intensamente no Estádio do Dragão.
Pior que a derrota da Rússia (3-1), pior que a série de 3 jogos sem ganhar, pior que as pálidas exibições, só mesmo a sensação de desnorte, de descrença, de impotência, que a equipa transmite.
E que Vítor Pereira parece não conseguir contrariar.
Mais, que Vítor Pereira parece acentuar.
O jogo de ontem só veio confirmar estes sinais preocupantes.
O Porto entrou bem, dominou, marcou primeiro, e desapareceu (já tinha desperdiçado duas vantagens com o Benfica).
Quando devia ser o Zenith a enervar-se (os russos ficavam em muito má posição com esta desvantagem) foi o Porto que tremeu e acumulou erros.
E não foi só a expulsão estúpida (mais uma!!!) de Fucile (o uruguaio terá ontem tirado bilhete para ir embora em Janeiro com a chegada de Danilo).
Foi um meio-campo em tremideira, uma defesa permissiva, um ataque que deixou de existir depois do golo.
E Vítor Pereira a ver.
A não conseguir agir.
Nem sequer reagir.
As contas do apuramento estão todas embrulhadas.
Mas, mais do que isso, a equipa do Porto deu sinais de uma fraqueza preocupante (só não foi goleada porque o Zenith falhou muitos golos), de uma nervoseira incompreensível.
Novo desaire em Coimbra, perante uma Académica cheia de confiança, e vão rolar cabeças.


Nos outros jogos do dia, destaque para a ascenção de Messi a outra galáxia, o empate do Chelsea em Valência, a vitória do Milan, o empate do APOEL em Donetsk que dá aos cipriotas, próximos adversários do Porto, o comando do grupo.

Os resultados:

Grupo E 


Bayer Leverkusen-Racing Genk, 2-0
Valência-Chelsea, 1-1

Grupo F

Arsenal-Olympiakos,2-1
Marselha-Dortmund, 3-0

Grupo G

Zenit-F.C. Porto, 3-1
Shakhtar Donetsk-APOEL Nicosia,1-1

Grupo H

Milan-Viktoria Plzen,2-0
BATE Borisov-Barcelona, 0-5

3 comentários:

  1. Caro Pedro,

    sobre o Porto apenas dizer que o que assisti (últimos 20 minutos do jogo) foi mau demais para ser verdade, aquele "salvador", com alcunha de super-herói da Marvel, andava perdido em campo, o Varela não existiu, as simple as that, o anãozinho do meio campo andava "aos papéis", e na defesa (se é que se pode chamar defesa aquilo) era água por todo o lado, com um irreconhecível Álvaro Pereira (é o que dá ter jogadores contrariados no plantel) e um apático Otamendi.

    No respeitante ao FC Barcelona e a Lionel Messi continuam a fazer história e nós a termos o privilégio de assistir em directo.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Ricardo,
    Não percebo aquela desorientação (Álvaro Pereira e Fucile, com a entrada de Alex Sandro e Danilo, devem ter o destino traço).
    E Vítor Pereira completamente perdido.
    Não age, nem reage.
    Assim não dura muito tempo.

    O Barcelona e Messi são de uma outra galáxia.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. "destino traço"??
    Inventei uma nova expressão na língua portuguesa.
    Traçado, obviamente

    ResponderEliminar